5 estratégias para aproveitar o bônus regional do Sisu 2024

Aproveitar o bônus regional do Sisu em 2024 oferece vantagens a candidatos de áreas específicas. Saiba as diferenças entre bônus e cotas, conheça as regiões contempladas, critérios de elegibilidade e prepare sua estratégia para a inscrição.

Você já considerou a possibilidade de transformar um benefício em uma vantagem decisiva para garantir sua vaga no ensino superior? Aproveitar o bônus regional do Sisu em 2024 pode ser esse diferencial tão desejado! 

O recurso extra, concedido a candidatos de determinadas regiões, pode ser a chave para abrir portas no competitivo processo de seleção.

Por isso, explorar e aplicar táticas direcionadas é uma importante oportunidade de acesso e também um meio para se destacar entre os concorrentes. Continue lendo e confira nossas dicas!

Entenda o que é o bônus regional do Sisu

O bônus regional do Sisu é um benefício concedido a candidatos que realizam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e desejam ingressar em instituições de ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada.

Ele se destina a estudantes provenientes de determinadas regiões geográficas do Brasil, a fim de promover uma maior equidade e inclusão no acesso à educação.

Essa vantagem consiste em um acréscimo na pontuação do Enem para candidatos que se enquadram nos critérios estabelecidos pelas instituições participantes do Sisu. Geralmente, é aplicado um percentual extra, que pode chegar a 20%, sobre a pontuação obtida no exame, beneficiando os estudantes que residem em regiões consideradas estratégicas para as políticas educacionais do país.

O objetivo é reduzir desigualdades regionais no acesso à educação superior, levando em consideração os contrastes socioeconômicos e educacionais existentes entre diferentes áreas do Brasil. 

Dessa forma, busca-se oferecer oportunidades mais equitativas e incentivar a valorização e o desenvolvimento educacional em regiões historicamente menos privilegiadas nesse aspecto.

Bônus e cotas: entenda as diferenças

A diferença fundamental entre bônus e cotas reside na maneira como são aplicados nos processos seletivos. 

As cotas são reservas de vagas destinadas a grupos específicos, como autodeclarados pretos, pardos, quilombolas ou indígenas, além de estudantes vindos de escolas públicas e de baixa renda. 

Estas vagas são separadas para garantir maior representatividade e inclusão social, proporcionando oportunidades a grupos historicamente sub-representados no ensino superior.

Por outro lado, o bônus consiste em uma pontuação adicional que é acrescida às notas dos candidatos no momento da seleção para as vagas, seja para cotas ou para a modalidade de ampla concorrência. 

Esse acréscimo nas notas é aplicado apenas aos candidatos que se enquadram em determinados critérios estabelecidos pelas instituições de ensino, geralmente ligados à região geográfica de origem ou outros critérios socioeconômicos.

Enquanto as cotas garantem uma porcentagem específica de vagas reservadas para grupos sociais específicos, o bônus proporciona um aumento na pontuação do candidato, mas não necessariamente garante uma vaga. 

Ambos os mecanismos têm o propósito de promover a equidade e a inclusão no acesso ao ensino superior, embora de formas distintas: as cotas garantem uma proporção fixa de vagas, enquanto o bônus oferece uma vantagem pontual na disputa por essas vagas.

Atualização na Lei de Cotas já vai valer para o Sisu 2024

Entenda quais são as mudanças na Lei de Cotas, atualizada em novembro de 2023, que já vão valer para o processo seletivo do Sisu em 2024.

1. Escolha de cursos e instituições

Para aproveitar o bônus regional do Sisu 2024 é preciso antes conhecer os cursos e instituições que oferecem o benefício. 

Por exemplo, suponhamos que um estudante do Nordeste do Brasil tenha direito a um acréscimo de 20 pontos em sua nota do Enem ao se candidatar a uma universidade pública na região. 

Nesse caso, ele pode direcionar sua atenção para instituições que ofereçam esse recurso, avaliando a reputação do curso e também o bônus concedido, o que pode tornar essa opção mais vantajosa em comparação com outras universidades.

Além disso, ao explorar as alternativas, é possível descobrir cursos e instituições com diferentes perspectivas acadêmicas e oportunidades oferecidas. 

Uma universidade no Centro-Oeste do país pode oferecer um bônus menor, mas ter um programa de intercâmbio robusto que pode ser extremamente atrativo. 

Portanto, a avaliação das vantagens oferecidas em diversas localidades é essencial para fazer uma escolha alinhada aos seus objetivos acadêmicos e profissionais.

Regiões contempladas com o bônus

As regiões abrangidas pelo bônus variam de acordo com as políticas estabelecidas pelas próprias instituições de ensino que fazem parte do programa. Geralmente, são contempladas regiões consideradas de menor desenvolvimento socioeconômico e educacional, como parte do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.

Cabe destacar que, em 2023, as instituições que ofereceram o benefício foram:

  • Universidade Federal do Amazonas (UFAM)
  • Universidade Federal Rural do Amazonas (UFRA)
  • Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
  • Universidade Federal do Acre (UFAC)
  • Universidade Federal do Amapá (Unifap) 
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • Instituto Federal da Paraíba (IFPB)
  • Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (UFAPE)
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
  • Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar)
  • Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)
  • Instituto Federal do Ceará (IFCE)
  • Universidade Federal de Alagoas (Ufal)
  • Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal)
  • Instituto Federal de Alagoas (IFAL) 

Cada universidade define as áreas específicas elegíveis para receber o bônus, considerando os índices de desenvolvimento e critérios pré-estabelecidos pelos órgãos responsáveis pela oferta de vagas no programa.

2. Conheça os critérios de elegibilidade

Cada instituição pode ter critérios específicos para a concessão do bônus regional. Por isso, é importante fazer uma pesquisa abrangente e conhecer quais são esses requisitos, inclusive possíveis temas locais que impactem na pontuação do Enem, como forma de se preparar adequadamente.

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por exemplo, desde 2021 os candidatos vindos de escolas públicas ou privadas recebem um acréscimo em suas pontuações no processo seletivo. 

Essa vantagem não está vinculada a critérios de renda ou etnia, mas é exclusiva para aqueles que cursaram tanto o ensino fundamental quanto o médio inteiramente em microrregiões específicas do Rio Grande do Norte e da Paraíba. 

Vale ressaltar que aqueles que concluíram o ensino básico por meio de exames supletivos não atendem aos pré-requisitos estabelecidos.

É importante saber que nem todos os cursos são contemplados com esse benefício adicional, que é direcionado apenas para aqueles de alta concorrência e que atraem estudantes de diversas regiões do país, como é o caso do curso de Medicina.

3. Acompanhamento dos Editais

Ficar atento à divulgação dos editais das instituições também é um passo fundamental na busca por informações detalhadas para aproveitar o bônus regional do Sisu. 

Esses documentos apresentam com detalhes quais são os critérios para a concessão do recurso, bem como os cursos elegíveis, os percentuais adicionais aplicados à pontuação do Enem e quaisquer requisitos específicos estipulados pela instituição.

Ao ler os editais, você pode descobrir que determinadas áreas do conhecimento ou cursos específicos são contemplados com percentuais mais elevados de bônus, o que pode direcionar a sua decisão.

Os editais também trazem informações que vão além do bônus em si, como prazos,  requisitos para a candidatura, documentação necessária e até mesmo diretrizes específicas para a participação no processo seletivo. 

4. Prepare sua estratégia de inscrição

Assim que abrir o período de inscrições no Sisu, é fundamental integrar o bônus regional à escolha de cursos e instituições. A variação das notas de corte demanda uma abordagem estratégica, já que a sua escolha pode determinar sua classificação final no processo seletivo.

Ao considerar o bônus durante a inscrição, é importante listar suas opções preferenciais e avaliar cuidadosamente os cursos e instituições que oferecem esse benefício adicional. Essa análise pode significar optar por cursos nos quais seu desempenho combinado com o bônus aumente significativamente as suas chances de ingresso.

Além disso, acompanhar as variações das notas de corte é fundamental. Uma estratégia inteligente envolve escolher opções realistas e distribuir suas escolhas considerando a amplitude dessas pontuações em diferentes instituições e cursos. 

5. Chamada regular e lista de espera

Se você for selecionado na chamada regular do Sisu, siga todas as orientações da instituição para efetuar a matrícula. Não deixe de conferir a documentação necessária.

Caso não seja selecionado na primeira chamada, não desanime. Você ainda pode ter uma chance de ser convocado na lista de espera. Acompanhe as convocações e esteja preparado para agir rapidamente.

Mudanças no Sisu 2024

Você já está sabendo sobre as mudanças no Sisu 2024? O jornalista João Wesley te conta quais são as principais. Assista!

Agora que você já conhece algumas estratégias para aproveitar o bônus regional do Sisu em 2024, também entende melhor a importância desse recurso adicional no processo seletivo para ingressar no ensino superior. Essas dicas podem influenciar sua classificação final e também são uma chance de equilibrar as oportunidades educacionais entre diferentes regiões do país. Use isso a seu favor! 

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: Educação, Ensino Superior, Sisu
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Intensivo
gapixel

intensivogapixel