10 exemplos de Redação nota 1000: textos aprovados com nota máxima.

Tirar nota mil numa Redação faz toda a diferença. Você aumenta sua pontuação geral e tem mais chances nos vestibulares, na disputa de vagas do Sisu, Prouni e do Fies. Veja como criar o texto dissertativo-argumentativo e confira abaixo 10 exemplos aprovados pelo MEC com nota máxima.

Vai encarar os vestibulares, o Enem ou o próximo Encceja? – Então, veja 10 Exemplos de Redação Nota 1000 no Exame Nacional do Ensino Médio em 2017, 2016, 2015, 2014, e também nos exames de 2013 e 2012. Está cada vez mais difícil. Em 2016 foram apenas 77 Redações Enem Nota Máxima. E, em 2017, foram menos ainda, só 53.

 Sempre ajuda você na elaboração do seu texto dissertativo conhecer o que já foi avaliado como uma Redação Enem nota 1000. Só aumenta a sua chance ao se preparar para os vestibulares, o próximo Enem ou o Encceja. Copiar textos premiados não vale, e nem adianta. Leia neste post 10 exemplos de Redação Enem corrigidas com nota máxima nos últimos anos para você perceber que dá sim para chegar lá também.

O fundamental para você conseguir uma boa nota na Redação é ler o enunciado com atenção e ter capacidade para entender o tema e a proposição. São os primeiros passos para fazer o texto dissertativo argumentativo observando bem a estrutura de Introdução, Desenvolvimento, e Conclusão. Fazer redações é fundamental para exercitar!

Ler é o melhor remédio para mandar bem na Redação do Enem –  A melhor vacina para fazer uma boa redação é ler, compreender o que se lê, saber reelaborar argumentar e contra argumentar em relação ao que se leu, e ainda conseguir colocar o seu posicionamento na forma de um texto escrito dentro das normas da língua portuguesa como é corrente no Brasil. Confira todas as dicas de Redação para o Enem aqui.

Temas de Redação Enem 2018

 

Os professores do Cursinho Descomplica fizeram uma lista atualizada para os Temas de Redação do Enem 2018. Tem o Bullying nas Escolas; Inclusão Social; Violência e mais 22 temas quentes. Clique na imagem para ver os Temas de Redação do Descomplica. Aqui > Temas de Redação Enem DescomplicaVeja na imagem os temas selecionados pelos professores do Descomplica para o Enem 2018

Confira a seguir exemplos de Redação Enem Nota 1000 nos Exames em 2017, 2016, 2015, 2014, e no Enem de 2013 e 2012. Leia uma, duas, três, mil vezes se for preciso uma Redação Enem corrigida com nota 1000.

Redação Enem 2017 nota 1000: Marcus Vinícius Monteiro Oliveira (Ceará) No Brasil, o início do processo de educação de surdos remonta ao Segundo Reinado. No entanto, esse ato não se configurou como inclusivo, já que se caracterizou pelo estabelecimento de um “apartheid” educacional, ou seja, uma escola exclusiva para tal público, segregando-o dos que seriam considerados “normais” pela população.

Assim, notam-se desafios ligados à formação educacional das pessoas com dificuldade auditiva, seja por estereotipação da sociedade civil, seja por passividade governamental. Portanto, haja vista que a educação é fundamental para o desenvolvimento econômico do referido público e, logo, da nação, ela deve ser efetivada aos surdos pelos agentes adequados, a partir da resolução dos entraves vinculados a ela.

Sob esse viés, pode-se apontar como um empecilho à implementação desse direito, reconhecido por mecanismos legais, a discriminação enraizada em parte da sociedade, inclusive dos próprios responsáveis por essas pessoas com limitação. Isso por ser explicado segundo o sociólogo Talcott Parsons, o qual diz que a família é uma máquina que produz personalidades humanas, o que legitima a ideia de que o preconceito por parte de muitos pais dificulta o acesso à educação pelos surdos.

Tal estereótipo está associado a uma possível invalidez da pessoa com deficiência e é procrastinado, infelizmente, desde o Período Clássico grego, em que deficientes eram deixados para morrer por serem tratados como insignificantes, o que dificulta, ainda hoje, seu pleno desenvolvimento e sua autonomia.

Além do mais, ressalte-se que o Poder Público incrementou o acesso do público abordado ao sistema educacional brasileiro ao tornar a Libras uma língua secundária oficial e ao incluí-la, no mínimo, à grade curricular pública. Contudo, devido à falta de fiscalização e de políticas públicas ostensivas por parte de algumas gestões, isso não é bem efetivado.

Afinal, dados estatísticos mostram que o número de brasileiros com deficiência auditiva vem diminuindo tanto em escolas inclusivas – ou bilíngues -, como em exclusivas, a exemplo daquela criada no Segundo Reinado. Essa situação abjeta está relacionada à inexistência ou à incipiência de professores que dominem a Libras e à carência de aulas proficientes, inclusivas e proativas, o que deveria ser atenuado por meio de uma maior gerência do Estado nesse âmbito escolar.

Diante do exposto, cabe às instituições de ensino com proatividade o papel de deliberar acerca dessa limitação em palestras elucidativas por meio de exemplos em obras literárias, dados estatísticos e depoimentos de pessoas envolvidas com o tema, para que a sociedade civil, em especial os pais de surdos, não seja complacente com a cultura de estereótipos e preconceitos difundidos socialmente.

Outrossim, o próprio público deficiente deve alertar a outra parte da população sobre seus direitos e suas possibilidades no Estado civil a partir da realização de dias de conscientização na urbe e da divulgação de textos proativos em páginas virtuais, como “Quebrando o Tabu”.

Por fim, ativistas políticos devem realizar mutirões no Ministério ou na Secretaria de Educação, pressionando os demiurgos indiferentes à problemática abordada, com o fito de incentivá-los a profissionalizarem adequadamente os professores – para que todos saibam, no mínimo, o básico de Libras – e a efetivarem o estudo da Língua Brasileira de Sinais, por meio da disponibilização de verbas e da criação de políticas públicas convenientes, contrariando a teórica inclusão da primeira escola de surdos brasileira.

E você, gostou do texto do Marcus? Para conseguir uma nota assim tão boa é preciso se preparar bem para montar a sua redação do Enem com a estrutura correta e com os fundamentos para fazer a abordagem do tema, desenvolver um ponto de vista, apresentar os argumentos, e concluir com uma proposta de intervenção. Veja aqui uma aula gratuita sobre como fazer a redação do Enem10 passos para uma redação Enem nota 1000

Redação Enem 2017 nota 1000. Candidata Isabella Barros Castelo Branco (Piauí) Na obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, o realista Machado de Assis expõe, por meio da repulsa do personagem principal em relação à deficiência física (ela era “coxa), a maneira como a sociedade brasileira trata os deficientes.

Atualmente, mesmo após avanços nos direitos desses cidadãos, a situação de exclusão e preconceito permanece e se reflete na precária condição da educação ofertada aos surdos no País, a qual é responsável pela dificuldade de inserção social desse grupo, especialmente no ramo laboral.

Convém ressaltar, a princípio, que a má formação socioeducacional do brasileiro é um fator determinante para a permanência da precariedade da educação para deficientes auditivos no País, uma vez que os governantes respondem aos anseios sociais e grande parte da população não exige uma educação inclusiva por não necessitar dela.

Isso, consoante ao pensamento de A. Schopenhauer de que os limites do campo da visão de uma pessoa determinam seu entendimento a respeito do mundo que a cerca, ocorre porque a educação básica é deficitária e pouco prepara cidadãos no que tange aos respeito às diferenças.

 Tal fato se reflete nos ínfimos investimentos governamentais em capacitação profissional e em melhor estrutura física, medidas que tornariam o ambiente escolar mais inclusivo para os surdos.

 Em consequência disso, os deficientes auditivos encontram inúmeras dificuldades em variados âmbitos de suas vidas. Um exemplo disso é a difícil inserção dos surdos no mercado de trabalho, devido à precária educação recebida por eles e ao preconceito intrínseco à sociedade brasileira.

 Essa conjuntura, de acordo com as ideias do contratrualista Johm Locke, configura-se uma violação do “contrato social”, já que o Estado não cumpre sua função de garantir que tais cidadãos gozem de direitos imprescindíveis (como direito à educação de qualidade) para a manutenção da igualdade entre os membros da sociedade, o que expõe os surdos a uma condição de ainda maior exclusão e desrespeito.

Diante dos fatos supracitados, faz-se necessário que a Escola promova a formação de cidadãos que respeitem às diferenças e valorizem a inclusão, por intermédio de palestras, debates e trabalhos em grupo, que envolvam a família, a respeito desse tema, visando a ampliar o contato entre a comunidade escolar e as várias formas de deficiência.

Além disso, é imprescindível que o Poder Público destine maiores investimentos à capacitação de profissionais da educação especializados no ensino inclusivo e às melhorias estruturais nas escolas, com o objetivo de oferecer aos surdos uma formação mais eficaz.

Ademais, cabe também ao Estado incentivar a contratação de deficientes por empresas privadas, por meio de subsídios e Parcerias Público-Privadas, objetivando a ampliar a participação desse grupo social no mercado de trabalho. Dessa forma, será possível reverter um passado de preconceito e exclusão, narrado por Machado de Assis e ofertar condições de educação mais justas a esses cidadãos.

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/noticia/leia-redacoes-nota-mil-do-enem-2017.ghtml

Assédio Sexual e outros temas quentes de Redação Enem

Para o Enem 2018 começam a despontar temas que estão na agenda do país, e que podem cair na Redação. Em primeiro lugar está a questão do Assédio Sexual, que se destaca em todo o mundo, e também com força no Brasil. Veja:Assédio Sexual como tema de Redação do EnemClique na imagem acima para ver um post completo sobre Assédio Sexual como tema de Redação.

Confira agora a lista dos professores do Curso Enem Gratuito, também com boas chances de cair no Enem: Zika Vírus e Microcefalia; Redução da Maioridade Penal; Terrorismo e Violência;  Mobilidade Urbana; Mobilização Social; e O DNA da Corrupção. Comece a fazer rascunhos com estes temas para exercitar o Ponto de Vista, a Argumentação, e a Proposta de Intervenção nos seus textos.Temas de Redação EnemUma boa dica é levar os textos nota 1000 e seus rascunhos para seu Colégio de Ensino Médio e pedir para o seu  (ou a sua) professor(a) de redação explicar para a turma por que fatores o texto mereceu Nota 1000, e que nota você tiraria.

Redação Enem 2016 nota 1000:  Candidata: Marcela Sousa Araújo, 21 anos, Itabuna (Bahia)

No meio do caminho tinha uma pedra

No limiar do século XXI, a intolerância religiosa é um dos principais problemas que o Brasil foi convidado a administrar, combater e resolver. Por um lado, o país é laico e defende a liberdade ao culto e à crença religiosa. Por outros, as minorias que se distanciam do convencional se afundam em abismos cada vez mais profundos, cavados diariamente por opressores intolerantes. O Brasil é um país de diversas faces, etnias e crenças e defende em sua Constituição Federal o direito irrestrito à liberdade religiosa. Nesse cenário, tomando como base a legislação e acreditando na laicidade do Estado, as manifestações religiosas e a dissseminação de ideologias fora do padrão não são bem aceitas por fundamentalistas. Assim, o que deveria caracterizar os diversos “Brasis” dentro da mesma nação é motivo de preocupação. Paradoxalmente ao Estado laico, muitos ainda confundem liberdade de expressão com crimes inafiançáveis. Segundo dados do Instituto de Pesquisa da USP, a cada mês são registrados pelo menos 10 denúncias de intolerância religiosa e destas 15% envolvem violência física, sendo as principais vítimas fieis afro-brasileiros. Partindo dessa verdade, o então direito assegurado pela Constituição e reafirmado pela Secretaria dos Direitos Humanos é amputado e o abismo entre oprimidos e opressores torna-se, portanto, maior.

Parafraseando o sociólogo Zygmun Bauman, enquanto houver quem alimente a intolerância religiosa, haverá quem defenda a discriminação. Tomando como norte a máxima do autor, para combater a intolerância religiosa no Brasil são necessárias alternativas concretas que tenham como protagonistas a tríade Estado, escola e mídia.

O Estado, por seu caráter socializante e abarcativo deverá promover políticas públicas que visem garantir uma maior autonomia religiosa e através dos 3 poderes deverá garantir, efetivamente, a liberdade de culto e proteção; a escola, formadora de caráter, deverá incluir matérias como religião em todos os anos da vida escolar; a mídia, quarto poder, deverá veicular campanhas de diversidade religiosa e respeito às diferenças. Somente assim, tirando as pedras do meio do caminho, construir-se-á um Brasil mais tolerante.

Redação Enem nota 1000 – Ano 2015 – Veja!

1 – Candidata Isadora Peter Furtado (17 anos, Pelotas – RS. Ela estudou no grupo de alunos do professor Luís Fernando Gallo). O tema da Redação Enem 2015 foi ‘A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira’.  Veja o texto dissertativo argumentativo que ganhou a nota máxima:

A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira é um problema muito presente. Isso deve ser enfrentado, uma vez que, diariamente, mulheres são vítimas desta questão. Neste sentido, dois aspectos fazem-se relevantes: o legado histórico-cultural e o desrespeito às leis.  Segundo a História, a mulher sempre foi vista como inferior e submissa ao homem. Comprova-se isso pelo fato de elas poderem exercer direitos, ingressarem no mercado de trabalho e escolherem suas próprias roupas muito tempo depois do gênero oposto.

Esse cenário, juntamente aos inúmeros casos de violência contra as mulheres corroboram a ideia de que elas são vítimas de um histórico-cultural. Nesse ínterim, a cultura machista prevaleceu ao longo dos anos a ponto de enraizar-se na sociedade contemporânea, mesmo que de forma implícita, à primeira vista.

Conforme previsto pela Constituição Brasileira, todos são iguais perante à lei, independente de cor, raça ou gênero, sendo a isonomia salarial, aquela que prevê mesmo salário para mesma função, também garantidas por lei. No entanto, o que se observa em diversas partes do país,  é a gritante diferença  entre os salários de homens e mulheres, principalmente se estas forem negras. Esse fato causa extrema decepção e constrangimento a elas, as quais sentem-se inseguras e sem ter a quem recorrer. Desse modo, medidas fazem-se necessárias para corrigir a problemática.

Diante dos argumentos supracitados, é dever do Estado proteger as mulheres da violência, tanto física quanto moral, criando campanhas de combate à violência, além de impor leis mais rígidas e punições mais severas para aqueles que não as cumprem. Some-se a isso investimentos em educação, valorizando e capacitando os professores, no intuito de formar cidadãos comprometidos em garantir o bem-estar da sociedade como um todo.

E você, gostou da Redação Nota 1000 da gaúcha Isadora Peter Furtado?  Então, leve o texto para os seus professores de Redação comentarem em sala de aula. Veja aqui as dicas de estudo da Isadora.

O que mais Cai no Enem > Plano de Estudos Gratuito

Os professores do Blog do Enem prepararam para você Planos de Estudos Gratuitos com o que mais cai no Enem. Você pode conferir os 10 Temas de cada matéria que mais se repetem nas provas para dar prioridade na sua revisão:
O que mais cai no Enem

No Plano de Estudo Gratuito você encontra Regra de Três; Cálculo de Juros e Porcentagem; Ácidos e Bases; Tipos Sanguíneos; Vírus da AIDS; as Leis de Mendel; Interpretação de Texto; Fuso Horário; Brasil República; A Revolução Industrial; As Leis de Newton e outros temas que sempre caem. Aulas Online Gratuitas, com dicas e simulados. Veja o que mais cai no Enem.

Confira abaixo mais nove Redações Enem Nota 1000!

Quatro passos para a Redação Enem Nota 1000. Veja!

1A Estrutura da Redação
2Como fazer a Introdução da Redação
3Como defender um ponto de vista
4Três técnicas para fazer uma boa Conclusão

Outra Redação Enem 2015 nota 1000 – Veja!

2 – Candidata Mariana Moura Goes (17 anos, Fortaleza (CE), aluna do colégio Ari de Sá). O tema da Redação Enem 2015 foi ‘A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira’.  Veja o texto dissertativo argumentativo que ganhou a nota máxima:

A mulher vem, ao longo dos séculos XX e XXI, adquirindo valiosas conquistas, como o direito de votar e ser votada. Entretanto, a violência contra este gênero parece não findar, mesmo com a existência de dispositivos legais que protegem a mulher. A diminuição dos índices deste tipo de violência ocorrerá no momento em que os dispositivos legais citados passarem a ser realmente eficazes e o machismo for efetivamente combatido, desafios esses que precisam ser encarados tanto pelo Estado quanto pela sociedade civil.

A Lei Maria da Penha e a Leio do Feminicídio, por exemplo, são dispositivos legais que protegem a mulher. Entretanto, estes costumam ser ineficazes, visto que a população não possui esclarecimentos sobre eles. Dessa forma, muitas mulheres são violentadas diariamente e não denunciam por não terem conhecimento sobre as ditas leis e os agressores, por sua vez, persistem provocando violências físicas, psicológicas, morais, etc., por, às vezes, não saberem que podem ser seriamente punidos por suas ações.

(continue a ler)