Redação do Enem: conheça todos os temas já cobrados no exame

Elencamos todos os temas já abordados na Redação do Enem em todas as edições do exame, desde 1998. Saiba como estudar e se preparar para tirar uma boa nota!

A expectativa em relação ao tema da redação do Enem é sempre imensa, não é? A cada ano, especula-se sobre a proposta, porém, poucas vezes é possível acertar o assunto com antecedência. 

Geralmente, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) costuma escolher temas relacionados aos Direitos Humanos, cidadania, ética, respeito aos direitos civis, convivência com a diferença e meio ambiente, embora os assuntos abordados sejam atemporais e amplamente discutidos pela sociedade.

Para aumentar a sua chance de obter nota máxima na redação, é recomendado estudar os temas das provas anteriores e praticar a escrita dentro dos padrões exigidos pelo Inep. 

Por isso, hoje vamos apresentar todas as propostas já cobradas na redação do Enem em edições passadas. Acompanhe a leitura!

Competências avaliadas na redação do Enem

A redação do Enem é avaliada com base em cinco competências. Cada uma delas vale até 200 pontos. Veja quais são: 

  1. Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa;
  2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos de diversas áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro da estrutura do texto dissertativo-argumentativo;
  3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos para defender um ponto de vista;
  4. Demonstração do conhecimento dos recursos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  5. Elaborar uma proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Se você precisar de ajuda para entender melhor como escrever a redação do Enem, pode aproveitar o e-book que preparamos, com um passo a passo desde a descoberta do tema até a elaboração da estrutura do texto, bem completa. 

Estrutura da redação do Enem

A redação do Enem possui uma estrutura específica que deve ser seguida pelos participantes. A prova avalia a capacidade de expressar ideias de forma clara, coerente e argumentativa, respeitando a norma culta da língua portuguesa. 

Tema e texto motivador

No início da prova, é apresentado um tema que geralmente envolve questões sociais, políticas, culturais ou ambientais relevantes. 

Junto com o tema, é fornecido um texto motivador, como um trecho de uma reportagem, poema, gráfico ou imagem, que serve como base para a argumentação do candidato

O texto motivador tem o objetivo de estimular a reflexão e oferecer elementos para o desenvolvimento do tema. Lembre-se de que não é permitido copiá-lo!

Estrutura dissertativa-argumentativa

A redação do Enem deve seguir a estrutura de um texto dissertativo-argumentativo. Isso significa que você deve apresentar uma tese – opinião ou ponto de vista – e sustentá-la com argumentos consistentes ao longo do texto, de forma clara e objetiva. 

Introdução

O primeiro parágrafo da redação é a introdução, onde o candidato deve apresentar o tema e sua tese de forma sucinta. É comum começar com uma contextualização do assunto, trazendo informações relevantes e estatísticas para situar o leitor.

Desenvolvimento

Nos dois parágrafos seguintes, o candidato deve desenvolver sua tese, apresentando argumentos que sustentem sua posição. Cada parágrafo pode abordar um argumento específico, e é importante usar dados, exemplos e referências para enriquecer a argumentação.

Conclusão + Proposta de Intervenção

No último parágrafo, você precisa concluir sua redação retomando a tese, reforçando os principais argumentos e apresentando uma proposta de intervenção para o problema abordado. 

A proposta deve ser prática, viável e respeitar os direitos humanos

É importante, ainda, destacar que a redação é uma prova subjetiva e a correção leva em conta diversos critérios, como domínio da norma culta, coesão textual, coerência argumentativa, originalidade de ideias, proposta de intervenção, entre outros.

Além disso, é essencial evitar cópias e plágio, pois isso pode levar à anulação da prova. O candidato deve expor suas próprias ideias de forma clara e objetiva, seguindo a estrutura exigida e aplicando o conhecimento adquirido.

Temas da redação do Enem 

Desde a primeira edição do Enem, os temas das redações têm abordado diversas questões relevantes, como você vai poder verificar a seguir. 

É essencial conhecer os direitos do cidadão, compreender a realidade brasileira em relação à intolerância, ao trabalho infantil, à violência e ao preconceito, sem recorrer ao sensacionalismo. 

Da mesma forma, informações sobre o cenário ambiental no Brasil, conflitos de terra, escassez de água e medidas de preservação são importantes para abordar temas ligados ao meio ambiente.

É essencial que você não ataque os Direitos Humanos, já que isso pode levar à perda de até 200 pontos na correção por violação. 

Embora os temas não sejam necessariamente ligados a questões em destaque na mídia, escrever sobre o tema da redação demonstra o repertório do estudante e o conhecimento adquirido durante a vida escolar.

Veja agora a lista dos temas da redação do Enem em todas as suas aplicações anteriores: 

1998: Viver e Aprender

A primeira edição do Enem apresentou aos candidatos um tema inspirado em um fragmento da música “O que é, o que é”, composta por Gonzaguinha. 

Essa escolha teve o propósito de instigar os participantes a refletirem sobre a viabilidade de promover um mundo melhor e o significado da existência humana.

1999: Cidadania e participação social

Na segunda edição, a redação do Enem convidou os participantes a escrever sobre a capacidade transformadora da juventude na sociedade. Foi a primeira vez que a prova enfatizou o papel dos jovens na busca pela ampliação dos direitos e conquistas sociais.

2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional?

Nesta edição, os candidatos foram instigados a refletir sobre a problemática dos direitos das crianças e adolescentes no contexto nacional e a propor soluções para enfrentar esse desafio.

Essa escolha de tema foi de extrema relevância, pois abriu espaço para abordar questões relacionadas à garantia dos direitos fundamentais e à proteção dos jovens em diferentes aspectos da sociedade. 

Os participantes foram incentivados a analisar os desafios enfrentados por essa parcela da população e a pensar em medidas concretas para assegurar seus direitos, sua proteção e seu desenvolvimento pleno.

2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?

Em 2001, o tema inspirou a reflexão sobre o desafio de encontrar um equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente, considerando que muitas vezes esses interesses estão em conflito.

Essa proposta abriu espaço para abordar uma das questões mais importantes e urgentes da sociedade contemporânea: o desenvolvimento sustentável. 

Os participantes foram incentivados a analisar os dilemas enfrentados pelas sociedades modernas, que buscam crescer economicamente e ao mesmo tempo preservar os recursos naturais e a biodiversidade do planeta.

2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais de que o Brasil necessita?

O tema da redação do Enem de 2002 suscitou uma profunda reflexão sobre o papel do voto como ferramenta para o desenvolvimento social do país. 

Os candidatos foram instigados a examinar a importância do voto como instrumento de mudança política e social, bem como a necessidade de uma participação ativa da população nas decisões do país. 

A redação incentivou a análise do sistema político brasileiro e o engajamento cívico, destacando o poder transformador que o voto possui na busca por um Brasil mais justo e democrático.

2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo?

Aqui, os candidatos foram desafiados a pensar em soluções para enfrentar o grave problema social da violência no Brasil, considerando suas diversas facetas e raízes. 

A redação trouxe à tona questões sobre segurança pública, educação, desigualdades sociais e cultura da violência. 

Além disso, estimulou uma análise crítica das políticas públicas de combate à violência, bem como a importância da participação da sociedade civil na busca por mudanças efetivas e duradouras.

2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação?

O tema de 2004 levantou uma discussão sobre a democratização da informação e a responsabilidade dos meios de comunicação na sociedade. 

Os candidatos foram incentivados a analisar o papel da imprensa, a liberdade de expressão e o impacto da mídia na formação da opinião pública. 

A redação promoveu a reflexão sobre a ética jornalística e os desafios de garantir a pluralidade de vozes e a veracidade das informações veiculadas pelos meios de comunicação, visando assim evitar abusos e manipulações que possam prejudicar a sociedade.

2005: O trabalho infantil na realidade brasileira

Em 2005, o Enem trouxe à tona uma questão de extrema relevância social e humana. Os candidatos foram desafiados a refletir sobre a exploração de crianças no mercado de trabalho e suas consequências para o desenvolvimento social e educacional do país. 

A redação instigou a análise das causas e consequências do trabalho infantil, bem como a busca por soluções para erradicar essa realidade, assegurando o direito à infância e à educação para todas as crianças brasileiras.

2006: O poder de transformação da leitura

A redação do Enem de 2006 destacou a importância da leitura como uma ferramenta capaz de promover mudanças significativas na vida das pessoas e na sociedade como um todo. 

Os candidatos foram incentivados a refletir sobre os benefícios da leitura para o desenvolvimento intelectual, emocional e cultural, além de sua capacidade de despertar a empatia e a compreensão do mundo. 

A redação promoveu a valorização do hábito de ler e reconheceu o poder transformador que a leitura possui, despertando nos candidatos a importância de disseminar o acesso aos livros e ao conhecimento como meio para uma sociedade mais crítica e consciente.

2007: O desafio de se conviver com a diferença

A redação do Enem de 2007 promoveu uma reflexão sobre a diversidade presente na sociedade e os desafios que surgem no processo de convivência harmoniosa entre indivíduos de diferentes origens, culturas, crenças e valores. 

Aqui, foi necessário analisar a importância do respeito à diversidade e a busca por uma sociedade mais inclusiva e igualitária. 

A redação incentivou a reflexão sobre a superação de preconceitos e estereótipos, bem como a valorização do diálogo e da empatia como instrumentos fundamentais para uma convivência saudável e enriquecedora.

2008: Máquina de chuva da Amazônia

Em 2008, o tema da redação do Enem levantou uma questão de grande relevância ambiental e científica. 

Os candidatos foram desafiados a refletir sobre a importância da Floresta Amazônica para o equilíbrio climático do planeta e as discussões em torno das propostas de manipulação do clima para fins de garantir chuvas na região. 

A redação promoveu a análise das consequências das intervenções humanas na natureza e os dilemas éticos e ambientais envolvidos nessa questão. Além disso, incentivou a busca por soluções para a preservação da Amazônia e a valorização do conhecimento científico para a tomada de decisões responsáveis em relação ao meio ambiente.

2009: O indivíduo frente à ética nacional

Em 2009, os candidatos foram desafiados a refletir sobre a importância da ética nas ações individuais e coletivas, considerando seu papel na construção de uma sociedade mais justa e responsável. 

A redação promoveu a análise das relações entre ética e cidadania, bem como o impacto das escolhas individuais no contexto social e político do país. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre a responsabilidade do indivíduo em agir de forma ética e consciente em suas relações com o próximo e com o meio ambiente.

2010: O trabalho na construção da dignidade humana

A redação do Enem de 2010 estimulou a reflexão sobre o valor do trabalho na vida das pessoas e seu papel na busca por uma vida digna e plena. 

A proposta viabilizou a análise de questões relacionadas aos direitos trabalhistas, à exploração do trabalho, às desigualdades sociais e às condições de trabalho no Brasil. 

A redação promoveu a valorização do trabalho como um meio para a realização pessoal e a construção da dignidade humana, além de incentivar a reflexão sobre a importância das políticas públicas e das ações governamentais na promoção do trabalho decente e da inclusão social.

2011: Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado

Em 2011, o tema da redação abordou questões sobre o uso das tecnologias de comunicação e a preservação da privacidade na era digital. 

Os candidatos foram desafiados a refletir sobre os impactos das redes sociais e da internet na vida das pessoas, bem como sobre a exposição pública e a proteção dos dados pessoais. 

A redação promoveu a análise das vantagens e desvantagens das redes sociais, e incentivou a reflexão sobre a importância de uma convivência digital responsável, pautada no respeito à privacidade e à segurança. 

2012: Movimento imigratório para o Brasil no século 21

Em 2012, a redação do Enem abordou a temática da imigração e suas implicações sociais, culturais e políticas. 

Foi necessário analisar o fenômeno da imigração no contexto brasileiro contemporâneo, considerando os desafios e oportunidades advindos desse movimento.

A proposta promoveu a reflexão sobre as questões relacionadas à diversidade cultural, à inclusão social e aos direitos dos imigrantes. Além disso, incentivou a busca por soluções que visem a integração e acolhimento dos imigrantes, bem como a promoção do diálogo e do respeito às diferenças culturais em uma sociedade cada vez mais plural.

2013: Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil

Em 2013, a redação do Enem provocou uma reflexão sobre os impactos da Lei Seca na redução de acidentes de trânsito, no comportamento dos motoristas e na cultura de consumo de bebidas alcoólicas no Brasil. 

A redação promoveu a discussão sobre a eficácia das políticas de combate à embriaguez ao volante e a importância da conscientização da sociedade para a construção de um trânsito mais seguro e responsável.

Além disso, incentivou a reflexão sobre o papel das leis e das ações governamentais na promoção da segurança viária e na prevenção de acidentes.

2014: Publicidade infantil em questão no Brasil

O tema da redação de 2014 trouxe à tona a discussão sobre a regulamentação e o impacto da publicidade direcionada às crianças. 

Os candidatos foram instigados a refletir sobre os efeitos dessa publicidade no comportamento e no consumo infantil, bem como quanto aos desafios de conciliar os interesses comerciais com a proteção da infância. 

A redação promoveu a análise das estratégias de marketing voltadas para as crianças e seus efeitos na formação de hábitos de consumo. Além disso, incentivou a busca por soluções que visem a promoção de uma publicidade ética e responsável, respeitando os direitos e a vulnerabilidade das crianças como consumidores.

2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

Em 2015, o tema da redação do Enem convidou a refletir sobre os diversos aspectos da violência de gênero no Brasil, suas causas e consequências, bem como a busca por soluções para combater esse grave problema social. 

A redação promoveu a análise das desigualdades de gênero, o papel da educação na prevenção da violência e a importância da denúncia e proteção das vítimas. 

A proposta incentivou ainda a reflexão sobre o papel da sociedade na construção de uma cultura de respeito e igualdade de gênero, visando a promoção de uma sociedade mais justa e livre de violência contra as mulheres.

2016 – 1ª aplicação: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil

A primeira aplicação da prova de 2016 trouxe a problemática da discriminação e da violência motivadas por questões religiosas no país. 

Aqui, coube uma reflexão sobre os desafios enfrentados pelas diferentes crenças e religiões no Brasil, e a busca por estratégias para promover o respeito à diversidade religiosa e a convivência pacífica entre os indivíduos de diferentes convicções. 

A redação promoveu a análise dos mecanismos de combate à intolerância religiosa, bem como a importância do diálogo inter-religioso e da educação para a construção de uma sociedade mais inclusiva e respeitosa.

2016 – 2ª aplicação: Caminhos para combater o racismo no Brasil

Já na segunda aplicação, o tema da redação abordou a questão da discriminação racial e suas implicações sociais e culturais. 

Os candidatos foram desafiados a refletir sobre os diferentes aspectos do racismo no país, suas raízes históricas e a busca por estratégias para combater essa forma de preconceito. 

A redação promoveu a análise dos mecanismos de promoção da igualdade racial, bem como a importância do respeito à diversidade étnica e cultural para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre o papel de cada indivíduo na luta contra o racismo e na promoção de uma convivência harmoniosa e respeitosa entre todas as raças e etnias.

2017: Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil

Em 2017, os candidatos foram instigados a refletir sobre os desafios enfrentados pelos surdos na busca por uma educação de qualidade, considerando as barreiras linguísticas, sociais e pedagógicas. 

A redação promoveu a análise das políticas de inclusão e os avanços na educação de surdos, bem como os desafios que ainda precisam ser superados. 

A proposta incentivou também a reflexão sobre o papel do Estado, das escolas e da sociedade na construção de uma educação mais inclusiva e respeitosa às necessidades dos estudantes surdos.

2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet

Em 2018, o tema da redação abordou a problemática da privacidade e da manipulação das informações pessoais na era digital. 

Coube aos candidatos refletir sobre os riscos e as consequências do uso indiscriminado de dados pelas empresas e plataformas digitais. 

A proposta favoreceu uma análise quanto aos impactos das redes sociais e das tecnologias de informação na vida das pessoas, e a importância da proteção dos dados pessoais e da consciência crítica do usuário. 

2019: Democratização do acesso ao cinema no Brasil

O tema da redação do Enem de 2019 convidou a refletir sobre as desigualdades sociais no acesso ao cinema e as barreiras econômicas e geográficas que limitam a participação da população nessa forma de arte. 

A redação promoveu a análise do papel do cinema como expressão cultural e de formação de identidade, bem como a importância de políticas públicas que visem a democratização do acesso à cultura. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre a valorização da diversidade cultural e a promoção da inclusão social através do acesso ao cinema e às artes em geral.

2020 impresso: O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira

A edição impressa do Enem de 2020 abordou a discussão sobre a saúde mental e a luta contra o preconceito e a estigmatização das pessoas que sofrem com doenças mentais. 

Foi importante refletir sobre a importância da conscientização e da sensibilização da sociedade em relação às questões de saúde mental, assim como a busca por estratégias de combate ao estigma e à discriminação. 

A redação promoveu também uma análise quanto aos desafios enfrentados pelas pessoas que sofrem com doenças mentais e a importância da promoção da empatia e do acolhimento como forma de construir uma sociedade mais inclusiva e respeitosa com a diversidade de condições de saúde mental.

2020 digital: O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil

Já na edição digital do Enem no mesmo ano, o tema pediu uma reflexão sobre as desigualdades sociais, econômicas e educacionais entre as diferentes regiões brasileiras, bem como a busca por estratégias para promover um desenvolvimento mais equitativo e sustentável em todo o território nacional. 

A redação promoveu a análise das políticas de desenvolvimento regional e a importância da inclusão social e econômica das regiões menos favorecidas. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre o papel do Estado, da sociedade civil e das instituições na construção de um país mais justo e igualitário.

2021: Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil

Em 2021, os candidatos foram desafiados a refletir sobre os desafios enfrentados por muitas pessoas para obterem o registro civil e as consequências da invisibilidade jurídica na vida dos cidadãos. 

Da mesma forma, a redação promoveu a análise das políticas públicas de inclusão social e a importância do acesso aos documentos de identificação para o pleno exercício dos direitos e deveres da cidadania. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre a importância da garantia dos direitos civis e da igualdade perante a lei para a construção de uma sociedade mais justa e democrática.

2022 – aplicação regular: Os desafios para a valorização das comunidades e povos tradicionais do Brasil

Em 2022, na aplicação regular do Enem, o tema da redação destacou a importância da preservação da cultura e dos modos de vida das comunidades tradicionais. 

Os candidatos foram instigados a refletir sobre as ameaças enfrentadas por essas comunidades, bem como a busca por estratégias para promover o reconhecimento e a valorização de suas tradições e conhecimentos. 

A redação possibilitou a análise dos desafios socioambientais e culturais enfrentados pelas comunidades tradicionais, bem como a importância de políticas de preservação e inclusão social. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre o papel das instituições públicas e da sociedade na proteção e no fortalecimento das identidades culturais das comunidades tradicionais do Brasil.

2022 – reaplicação e PPL: Medidas para o enfrentamento da recorrência da insegurança alimentar no Brasil

Na reaplicação e prova para pessoas privadas de liberdade (PPL) em 2022, o tema da redação levantou a discussão sobre a garantia do direito à alimentação para todos os brasileiros. 

Os participantes foram desafiados a refletir sobre as causas e consequências da insegurança alimentar, assim como a busca por soluções que visem a erradicação da fome no país. 

A proposta proporcionou uma análise sobre as políticas de segurança alimentar e nutricional, bem como a importância da promoção do acesso a alimentos de qualidade para a população. 

Além disso, incentivou a reflexão sobre o papel do Estado, da sociedade civil e das instituições no enfrentamento das desigualdades sociais e na garantia do direito à alimentação como um direito humano fundamental.

2023 – aplicação regular: Desafios para o Enfrentamento da Invisibilidade do Trabalho de Cuidado Realizado pela Mulher no Brasil

Esse tema provocativo e relevante trouxe à tona uma questão que permeia a sociedade brasileira desde sempre: a invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pelas mulheres.

A proposta instigou os participantes a refletirem sobre a significativa carga de trabalho não remunerado, muitas vezes invisível e desvalorizado, que recai sobre as mulheres. O tema abriu espaço para discutir não só as responsabilidades domésticas, mas também o cuidado com familiares, crianças, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade, demonstrando a relevância dessas atividades para o funcionamento da sociedade como um todo.

Ao abordar a invisibilidade desse trabalho e seus impactos na vida das mulheres, a pauta incentivou a reflexão sobre desigualdades de gênero, divisão social do trabalho e a necessidade de reconhecimento e valorização das atividades de cuidado. Ele também estimulou a discussão sobre políticas públicas, equidade e os obstáculos enfrentados para promover uma distribuição mais justa e igualitária dessas responsabilidades.

2023 – reaplicação e Enem PPL: Desafios para a (re)inserção socioeconômica da população em situação de rua no Brasil

Na reaplicação do Enem em 2023 e na edição destinada à população privada de liberdade (Enem PPL), o tema selecionado trouxe à tona uma realidade social complexa, convidando os participantes a pensarem sobre os obstáculos enfrentados pela população em situação de rua e as dificuldades associadas à sua reinserção na sociedade.

O tema abriu espaço para explorar as múltiplas facetas da situação de rua, indo além da falta de moradia e evidenciando os aspectos socioeconômicos, de saúde, dignidade humana e exclusão social enfrentados por esses indivíduos. Ele também provocou uma reflexão sobre a responsabilidade coletiva em relação a essa problemática, levantando questões sobre políticas públicas, acesso a serviços essenciais, estigma social e oportunidades de reinserção.

Ao direcionar o foco para a (re)inserção socioeconômica, o tema busca incentivar propostas e reflexões que possam contribuir para a construção de estratégias efetivas de apoio a essa parcela da população. Abordar a reinserção socioeconômica da população em situação de rua implica discutir não somente abrigos e assistência social, mas também oportunidades de educação, capacitação profissional, acesso ao mercado de trabalho e políticas que promovam a inclusão e a dignidade desses indivíduos.

Agora que você já conhece todos os temas já abordados na redação do Enem, é hora de estudar atualidades para a prova e treinar a sua escrita. Lembre-se de que o Curso Enem Gratuito oferece o Curso Redação Enem Começando do Zero, com tudo o que você precisa saber para se dar bem e garantir uma boa nota

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: Enem, Redação Enem
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Intensivo
gapixel

intensivogapixel