Reino Protista ou Protoctista: características, seres vivos e classificações

Você sabe quais seres vivos pertencem ao Reino Protista? E por que em alguns livros aparece o termo “Protoctista”? Tire suas dúvidas aqui e arrase em Biologia no Enem e nos Vestibulares!

O Reino Protista sempre é motivo de dúvidas. Há classificações que colocam dentro desse Reino apenas seres unicelulares. Outras incluem dentro dele também as algas pluricelulares. Mas, afinal por que isso acontece? Na verdade, querido (a) candidato (a), você realmente tem motivos para ficar confuso (a) em relação ao Reino Protista!

Esse Reino parece mais um “balaio de gatos”, onde tudo o que não “coube” em outros Reinos, foi colocado ali. Isso acontece por que o Reino dos Protistas é um Reino polifilético, ou seja, as espécies presentes nele descendem de ancestrais diversos, ao contrário dos demais Reinos, que possuem uma descendência em comum. Ainda está confuso (a)? Não se preocupe! Nós vamos te ajudar! “Bora” revisar?

Para introduzir este assunto, assista minha videoaula:

Reino Protista

O Reino Protista é bastante controverso. Como dito acima, ele é um grupo polifilético, que descende de ancestrais variados.

Sendo assim, a classificação desse Reino não é natural, o agrupamento dos indivíduos desse Reino é totalmente artificial. Esse agrupamento “errôneo” existe por uma questão de simplificação didática.

Mas, o que os indivíduos desse grupo têm em comum? Basicamente, o fato de serem os primeiros eucariontes a surgirem na Terra.

Biologia - Reino Protista

Na classificação de Whitakker (a mais utilizada pelos vestibulares), dentro do Reino dos Protistas estariam apenas espécies unicelulares e eucariontes (protozoários e algas unicelulares). Nas classificações mais atuais, o Reino Protista foi expandido, passando a abrigar também as algas pluricelulares (antes classificadas dentro do Reino das Plantas).

A reclassificação das algas para o Reino Protista se deve principalmente ao fato de que, apesar de serem pluricelulares, as algas não possuem tecidos verdadeiros. Todas as suas células são semelhantes, apresentando poucas especializações. Por tal motivo, são também chamadas de talófitas.

Quando nos referimos ao Reino Protista, incluindo as algas pluricelulares, podemos chamá-lo de Reino Protoctista, em uma classificação mais atual.

Características do Reino Protista

Características celulares:

As células dos protoctistas são eucariontes. Por tal motivo, além de terem o núcleo delimitado por carioteca, suas células também possuem uma série de organelas membranosas que realizam as mais variadas funções dentro da célula.

Os protozoários e algas unicelulares podem possuir estruturas locomotoras, como flagelos e cílios. Algumas espécies possuem carapaças silicosas ou de carbonato de cálcio envolvendo e protegendo a célula.

A grande maioria das espécies é unicelular (protozoários e algas unicelulares), porém, como dito acima, nas classificações mais atuais, as algas pluricelulares também estão incluídas nesse grupo.

Nutrição:

Os protozoários são todos heterótrofos, podendo ter os mais variados hábitos de vida (parasitas, predadores, decompositores). Já as algas, tanto unicelulares quanto pluricelulares são autótrofas, realizando fotossíntese.

Algumas espécies podem ter hábitos oportunistas, como as algas do gênero Euglena, que na maior parte do tempo são autótrofas, porém, podem ter hábitos heterótrofos quando não há a presença de luz. Neste caso, classificamos este tipo de nutrição de mixotrófico (tanto heterótrofo quanto autótrofo).

Hábitos:

A maioria dos protoctistas / protistas é aquática, vivendo em mares, rios, lagos, poços, lama e terra úmida. Há espécies mutualísticas (como o protozoário Triconympha, que vive no sistema digestório de cupins) e outras parasitas (como o Plasmodium, que causa malária).

Muitas espécies fazem parte do zooplâncton (composto por organismos heterótrofos, como os protozoários e larvas de peixes e outros animais) e do fitoplâncton (composto por organismos autótrofos, como as algas unicelulares).

Reprodução:

No caso dos indivíduos unicelulares, geralmente a reprodução se dá de maneira assexuada por bipartição. Porém, pode haver também reprodução sexuada por conjugação ou formação de gametas (como no caso do Plasmodium). As algas pluricelulares possuem ciclos reprodutivos complexos chamados de haplobiônticos.

Por fim, agora que você já tirou suas dúvidas sobre o Reino Protista / Protoctista, que tal testar seus conhecimentos?

1) (UFPI 2003)

Atualmente, biólogos da área de sistemática e evolução dos seres vivos incluem as algas como pertencentes ao reino Protoctista, e não ao reino Vegetal, como tradicionalmente se conhece devido à sua aparência com as plantas. A explicação para se classificar as algas como Protoctista e não como Vegetal está no fato da:

a) ausência de organelas celulares.

b) presença de clorofila como pigmento fotossintetizante.

c) presença de células com parede celulósica.

d) ausência de tecidos e órgãos bem diferenciados.

e) ausência de envoltório nuclear em suas células.

Resposta: D