Faltam:
para o ENEM

Normas de Linguagem – Gramática Enem

Sempre é bom relembrar o conteúdo de Normas de Linguagem e ficar super preparado para o próximo Enem ou Vestibular. Então, aproveite e confira essa aula de Gramática e faça os exercícios sobre as normas de linguagem. Abaixo.

– Normas de Linguagem cai no Enem?

– Sim, cai sim! Muita gente chegou a pensar que o Ministério da Educação tinha entrado na onda de que falar ou escrever ‘nóis pega os peixe’ estava valendo como norma oficial do idioma português no Brasil, e abandonado as Normas de Linguagem. Mas, foi mesmo só uma escorregada, um vacilo do MEC, que voltou a exigir o cumprimento das normas de linguagem (culta) na correção da Redação do Enem e nos exercícios de gramática. Veja abaixo.normas de linguagem post

O que são as Normas de Linguagem? – Uma definição rápida e correta para você não esquecer mais: As Normas de Linguagem consistem na variedade linguística de uso real dos falantes que possuem maior contato com a escrita. Vamos lá:

Norma Padrão

Norma Padrão é a normatização da gramática. O gramático delimita, localiza e identifica quem são os falantes da norma culta, coleta a língua utilizada por eles e fornece uma descrição objetiva e clara da língua. É dentro deste padrão que ocorre o processo de alfabetização no ambiente escolar. cartilha sodré Tradicionalmente o processo de aprendizagem da língua portuguesa no Brasil ocorria por ‘cartilhas’ de alfabetização. As mais famosas foram a Cartilha Sodré, e a Cartilha Caminho Suave, estão nestas duas imagens. cartilha caminho suave

Há programas de alfabetização por computador disponíveis no mercado, como o ‘Caça Palavras’, onde crianças de quatro ou cinco anos ‘apendem brincando’  a formar sílabas, palavras, frases, e a ler em menos de seis meses.

Nestes sistemas conhecidos por ‘sintéticos’ ou ‘fônicos’ o aprendizado parte da fonética (dos sons) das letras para depois formar sílabas, palavras e frases.  Há também os ‘métodos globais’ de alfabetização, também conhecidos por ‘analíticos’, e que fazem um caminho diferente, e partem do todo e consideram o contexto do educando para depois ir aos fragmentos.

Observação: Com base no conceito de norma padrão é possível notar variações nas diferentes regiões do Brasil nos usos e costumes. Mas os fundamentos podem e devem ser preservados, independente dos regionalismos.

Níveis de linguagem

Ao usarmos a linguagem verbalizada, podemos registrá-la de forma falada ou escrita. Ambas se apresentam aos contextos linguísticos, basicamente, de duas maneiras: de forma culta ou de forma coloquial.

nível culto: prima pela correção gramatical, pela ausência de gírias e de expressões ou termos regionalistas. As frases são mais bem elaboradas e o vocabulário mais rico. Encontramos esse tipo de linguagem nos livros, nas revistas, nas palestras, nas provas, na entrevista de empregos, dentre outras situações mais formais.

– nível coloquial: dispensa formalidades, aceita termos regionais, gírias. É uma maneira mais descontraída e informal de usar a língua. Empregamos essa situação no bate-papo diário, na conversa familiar, no bilhete a alguém próximo, etc.

Observação: Cabe a cada usuário da língua avaliar o contexto de uso e escolher a forma de expressão mais apropriada. Afinal, paralelamente à sua condição de sistema de unidades e regras combinatórias, a língua é expressão da imagem que os interlocutores fazem da situação social em que se encontram – ou seja, uma forma de comportamento -, e como tal requer de seus usuários discernimento para adequar as formas que empregam à situação e à finalidade do ato comunicativo.

É nisso que consiste a competência verbal de um cidadão. (AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2008, p.66.)

Dica 1 – Gramática Enem – Super aula sobre as Variantes Linguísticas. Veja aqui.

Veja agora com estes Exercícios para você compreender melhor:

Questão 1

(Enem/ 2009) A escrita é uma das formas de expressão que as pessoas utilizam para comunicar algo e tem várias finalidades: informar, entreter, convencer, divulgar, descrever. Assim, o conhecimento acerca das variedades linguísticas sociais, regionais e de registro torna-se necessário para que se use a língua nas mais diversas situações comunicativas.

Considerando as informações acima, imagine que você está à procura de um emprego e encontrou duas empresas que precisam de novos funcionários. Uma delas exige uma carta de solicitação de emprego. Ao redigi-la, você:

a) fará uso da linguagem metafórica.

b) apresentará elementos não verbais.

c) utilizará o registro informal.

d) evidenciará a norma padrão.

e) fará uso de gírias.

Dica 2 – Português Enem: Saiba tudo sobre as vozes verbais – https://blogdoenem.com.br/portugues-enem-vozes-verbais/

Questão 2

Os dois níveis de fala, o coloquial e o culto, são determinados pela cultura e formação escolar dos falantes, pelo grupo social a que eles pertencem e pela situação concreta em que a língua é utilizada. Um falante adota modos diferentes de falar dependendo das circunstâncias em que se encontra. Leia os quadrinhos a seguir, observando a utilização do nível coloquial e, por fim, transporte as falas das personagens para o culto.

4011.pnghttp://www.radicci.com.br/tirinhas.asp

Questão 3

Leia a letra de música a seguir e responda o solicitado.

Quando você vem

Pra passar o fim de semana

Eu finjo que tá tudo bem

Mesmo dura ou com grana

Você ignora tudo que eu faço

Depois vai embora

Desatando os nossos laços

Quero te encontrar

Quero te amar

Você pra mim é tudo

Minha terra, meu céu, meu mar

(Buchecha)

a) Identifique e corrija a linguagem coloquial apresentada na letra de música.

b) Justifique o coloquialismo empregado pelo autor.

Dica 3 – Gramática Enem – Revisão sobre comunicação humana. Veja aqui.

Questão 4

(Enem/ 2009)

Iscute o que tô dizendo,

Seu dotô, seu coroné:

De fome tão padecendo

Meus fio e minha muié.

Sem briga, questão nem guerra,

Meça desta grande terra

Umas tarefa pra eu!

Tenha pena do agregado

Não me dêxe deserdado

Daquilo que Deus me deu.

(PATATIVA DO ASSARÉ. A terra é naturá. In: Cordéis e outros poemas. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2008 (fragmento).

A partir da análise da linguagem utilizada no poema, infere-se que o eu lírico revela-se como falante de uma variedade linguística específica. Esse falante, em seu grupo social, é identificado como um falante:

a) escolarizado proveniente de uma metrópole.

b) sertanejo morador de uma área rural.

c) idoso que habita uma comunidade urbana.

d) escolarizado que habita uma comunidade do interior do país.

e) estrangeiro que imigrou para uma comunidade do sul do país.

Questão 5

(Enem/ 2011)

Entre ideia e tecnologia

O grande conceito por trás do Museu da Língua é apresentar o idioma como algo vivo e fundamental para o entendimento do que é ser brasileiro. Se nada nos define com clareza, a forma como falamos o português nas mais diversas situações cotidianas é talvez a melhor expressão da brasilidade. (SCARDOVELI, E. Revista Língua Portuguesa. São Paulo: Segmento, Ano II, no 6, 2006.)

O texto propõe uma reflexão acerca da língua portuguesa, ressaltando para o leitor a:

a) inauguração do museu e o grande investimento em cultura no país.

b) importância da língua para a construção da identidade nacional.

c) afetividade tão comum ao brasileiro, retratada através da língua.

d) relação entre o idioma e as políticas públicas na área de cultura.

e) diversidade étnica e linguística existente no território nacional.