Biologia – Revise as principais doenças causadas por vírus!

Aids, gripe, caxumba, catapora, herpes, sarampo, febre amarela, rubéola e poliomielite são doenças causadas por vírus que podem aparecer no Enem e nos vestibulares. Vamos revisar?

Na história da humanidade, os vírus aparecem com uns dos principais carrascos dos seres humanos. Grandes epidemias, como a gripe espanhola (que matou cerca de 20 milhões de pessoas), causam grande desespero entre a população e podem servir de arma, em possíveis guerras biológicas. Alguns vírus, típicos da infância, como os que causam a catapora e a caxumba, geralmente causam doenças benignas, que o nosso sistema imunológico “tira de letra”. Outras, desafiam nossas defesas, sendo – até o momento – impossíveis de serem curadas, como a Aids. Tudo isso, faz com que as doenças virais recebam atenção especial dos governos e dos órgãos de saúde. E, com certeza, merecem sua atenção também querido(a) candidato(a), pois aparecem no Enem e nos vestibulares. Portanto, vamos revisar?

Dica 1: Você não lembra de nada sobre a estrutura dos vírus? Então, antes de continuar estudando as principais doenças virais, que tal dar uma revisada na estrutura e nos ciclos vitais dos vírus? Para isso, veja este post, com aula da Khan Academy e dicas da professora Juliana Santos: https://blogdoenem.com.br/biologia-revise-virus-khan-academy/

Para introduzir o conteúdo, veja esta vídeo-aula do professor Paulo Jubilut, do canal “Biologia total”:

E aí, gostou do vídeo? Beleza! Então, para ficar fera no assunto e gabaritar as questões de Biologia do Enem e dos vestibulares, veja o super resumo que preparamos para você:

Antes de estudar propriamente as doenças virais, é importante se familiarizar com alguns termos que costumam acompanhar o estudo dessas doenças:

São consideradas epidemias, as doenças virais que aparecem repentinamente e se espalham de maneira muito rápida, acometendo um grande número de pessoas em tempo limitado. Caso determinada doença apareça persistentemente em determinada região, afetando um grande número de pessoas por longos períodos, classificamos esta doença como endemia (como no caso da malária em algumas regiões da África e na Amazônia). Quando determinada doença se espalha por grande parte do planeta, atingindo grande número de pessoas, classificamos essa doença de “pandemia”.

Principais doenças virais:

Dica 2: Temos um post dedicado especialmente à Aids e ao HIV! Têm vídeos com explicações do Dr. Dráuzio Varella e dicas da professora Juliana Santos: https://blogdoenem.com.br/biologia-aids-enem/

Gripe: Transmitida por gotículas provenientes das vias respiratórias. A gripe causa coriza, obstrução nasal, tosse, espirro, dores no corpo e febre. Há vacina disponível que é renovada todos os anos, uma vez que o vírus que causa a gripe tem grande potencial de mudança. No Brasil, há campanha anual de vacina contra a gripe, onde a vacina é fornecida a grupos de risco: idosos, crianças até dois anos, gestantes e pessoas com doenças crônicas.

Vacina Gotinha - VìrusPoliomielite: Transmitida através de alimentos e água contaminados ou por contato com a saliva dos doentes. A poliomielite é causada por um vírus que vive no intestino humano – o poliovírus. Causa, na maior parte dos casos, sintomas inespecíficos, muito semelhantes à gripe, como febre e dores no corpo. Nos casos mais graves (aproximadamente 1% dos casos), atinge o sistema nervoso, danificando nervos motores, podendo levar à paralisia de membros (daí seu nome popular – paralisia infantil, pois atinge principalmente crianças). A poliomielite não tem tratamento específico. Sua prevenção pode ser feita com saneamento básico e vacina. *Atenção: Até o ano de 2013, a vacina utilizada nas campanhas de vacinação do SUS era a Sabin, popularmente conhecida como “vacina do Zé Gotinha”. A Sabin é uma vacina feita com vírus atenuados, ou seja, vivos e enfraquecidos. É uma vacina muito eficiente, porém não é 100% segura, uma vez que crianças com imunidade baixa podem ser, em raros casos, atacadas pelos vírus da vacina e desenvolverem a doença. A vacina via oral está sendo substituída gradualmente pela injetável conhecida como Salk, produzida com vírus mortos e, portanto, mais segura. Vale lembrar também que, por conta das seguidas campanhas de imunização contra a pólio, a doença é considerada erradicada no Brasil desde 1994.

Dica 3: Você não sabe a diferença entre soros e vacinas? Então veja este super post com dicas para você se dar bem nas questões de Biologia do Enem: https://blogdoenem.com.br/biologia-enem-vacina-soro/

Raiva: Também conhecida como hidrofobia, a raiva é transmitida de mamífero para mamífero (portanto uma zoonose, pois afeta diferentes espécies) através da saliva do animal contaminado em contato com mucosas ou feridas abertas e durante mordeduras. Após a infecção, o vírus pode ficar encubado de um mês a dois anos. Os primeiros sintomas são inespecíficos, como febre, dor de cabeça e mal-estar. Quando se multiplica, atingindo órgãos do sistema nervoso central, causa espasmos e contrações musculares involuntárias, dor ao deglutir, sensibilidade à luz, confusão mental e agressividade. Em poucos dias, o animal infectado entra em coma e morre. Quando um ser humano sofre mordedura de animal e é levado a um hospital, receberá soro e vacina antirrábica (que pode ajudar, uma vez que fica incubado mais tempo que o necessário para a vacina fazer efeito). Caso os sintomas secundários já tenham se apresentado, a doença é fatal, sendo registrados menos de dez casos de cura no mundo. A prevenção é feita principalmente com a vacinação anual de animais domésticos.

Febre amarela: É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti (isso mesmo, o mesmo “danado” que transmite a dengue) e por mosquitos do gênero Haemagogus. O vírus da febre amarela causa febre, vômito, dores no estômago e degeneração do fígado, causando o aumento do pigmento bilirrubina no sangue, deixando o doente amarelado. Em casos mais graves, há ocorrência de hemorragias internas que podem levar o doente ao óbito. No Brasil, é considerada erradicada da maioria das áreas urbanas. Por tal motivo, a vacinação concentra-se em regiões onde é endêmica, como a região norte e centro-oeste e partes das demais regiões, onde há proximidade com grandes florestas onde há recorrência de casos.

Hepatites virais: Os vírus das hepatites atacam o fígado, dificultando o processamento de substâncias tóxicas ao organismo e degenerando o órgão, levando a um excesso de bilirrubina ao sangue, o que deixa os pacientes amarelados. Além disso, ocorre febre, vômitos, mudança nas cores da urina e das fezes. Existem vários tipos de vírus que causam as hepatites virais, os de maior importância médica são: hepatite A (transmitida através de água e alimentos contaminados, via fecal-oral) e hepatites B e C (transmitidas através de relações sexuais desprevenidas e objetos perfuro cortantes contaminados).  A prevenção está relacionada ao tipo de transmissão e para a hepatite B existe vacina.

Dengue: Transmitida através do mosquito Aedes aegypti. A dengue causa febre alta, dores no corpo (principalmente nas articulações), dores de cabeça e nos olhos, inflamação na garganta e, nos caso mais graves, hemorragias. Como não há vacina, a prevenção está diretamente relacionada ao combate ao vetor – o mosquito. Para isso, é preciso interferir no ciclo reprodutivo do mosquito, evitando deixar água parada para a postura de ovos e desenvolvimento das larvas.

Herpes: É transmitida através de contato direto com o portador.  O vírus da herpes causa pequenas vesículas cheias de líquido que, quando estouram são muito dolorosas e formam feridas. São mais frequentes próximas aos lábios ou aos genitais, porém podem aparecer em outras áreas, como próximo aos olhos ou atingindo a musculatura. Geralmente não há cura e os vírus podem permanecer latentes no sistema nervoso e serem ativados em situações de baixa imunidade do indivíduo (como em situações de stress ou febre) voltando a ocasionar as feridas.

Sarampo: Doença altamente contagiosa, transmitida através de gotículas expelidas pelo nariz ou boca dos doentes e que são inaladas. O vírus do sarampo causa tosse, febre alta e manchas vermelhas por todo o corpo. Em geral, o organismo consegue eliminar a doença entre duas e três semanas. Pode ser grave em crianças mal nutridas e quando transmitida de mãe para filho durante a gestação. A prevenção é feita por vacinação, presente no calendário de vacinas do SUS – tríplice viral (previne contra sarampo, rubéola e caxumba).

Rubéola: Transmitida por via respiratória. O vírus da rubéola causa dores de cabeça e no corpo, febre e manchas rosadas pelo corpo. É considerada uma doença “benigna”, que o corpo consegue expulsar em poucos dias. Também pode se tornar grave quando transmitida de mãe para filho durante a gestação, causando má formação no feto (cegueira, surdez e problemas neurais). É prevenida através de vacinação na infância e em campanhas de vacinação dirigidas especialmente a mulheres em idade reprodutiva.

Caxumba: Transmitida por gotículas eliminadas pelo doente durante espirros ou tosse. A caxumba é também chamada de parotidite, pois atinge principalmente as glândulas salivares parótidas, situadas à frente das orelhas. O vírus causa inflamação nessas glândulas que ficam inchadas, deixando o pescoço e parte da face com as laterais aumentadas. Também causa febre e dificuldade de deglutição. Em adultos pode ser mais grave, atingindo outros órgãos, como os testículos. Sua prevenção é feita através da vacina tríplice viral, administrada em três doses nos primeiros anos de vida.

Catapora: Também chamada de varicela, é transmitida através de gotículas de saliva expelidas na tosse ou espirro. O vírus da catapora causa febre baixa e pequenas bolhas pelo corpo que causam grande coceira. Depois de alguns dias, estas bolhas secam, formando pequenas cascas. Em geral, não há grandes complicações relacionadas à catapora. Há vacina disponível, porém, não está disponível no calendário do SUS.

E aí, conseguiu aprender um pouco mais sobre as doenças virais? Então, que tal testar seus conhecimentos?

1)    (Enem – 2001) A partir do primeiro semestre de 2000, a ocorrência de casos humanos de febre amarela silvestre extrapolou as áreas endêmicas, com registro de casos em São Paulo e na Bahia, onde os últimos casos tinham ocorrido em 1953 e 1948. Para controlar a febre amarela silvestre e prevenir o risco de uma reurbanização da doença, foram propostas as seguintes ações:

I. Exterminar os animais que servem de reservatório do vírus causador da doença.

II. Combater a proliferação do mosquito transmissor.

III. Intensificar a vacinação nas áreas onde a febre amarela é endêmica e em suas regiões limítrofes.

É efetiva e possível de ser implementada uma estratégia envolvendo

a) a ação II, apenas.

b) as ações I e II, apenas.

c) as ações I e III, apenas.

d) as ações II e III, apenas.

e) as ações I, II e III.

Resposta: D

2)     (Enem-2011) Os sintomas mais sérios da Gripe A, causada pelo vírus H1N1, foram apresentados por pessoas mais idosas e por gestantes. O motivo aparente é a menor imunidade desses grupos contra o vírus. Para aumentar a imunidade populacional relativa ao vírus da gripe A, o governo brasileiro distribuiu vacinas para os grupos mais suscetíveis.

A vacina contra o H1N1, assim como qualquer outra vacina contra agentes causadores de doenças infectocontagiosas, aumenta a imunidade das pessoas porque

A) possui anticorpos contra o agente causador da doença.

B) possui proteínas que eliminam o agente causador da doença.

C) estimula a produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea.

D) possui linfócitos B e T que neutralizam o agente causador da doença.

E) estimula a produção de anticorpos contra o agente causador da doença.

Resposta: E.

3)    (Enem 2013) Milhares de pessoas estavam morrendo de varíola humana no final do século XVIII. Em 1976, o médico Edward Jenner (1746-1823) inoculou em um menino de 8 anos o pus extraído de feridas de vacas contaminadas com vírus da varíola bovina, que causa uma doença branda em humanos. O garoto contraiu uma infecção benigna e, dez dias depois, estava recuperado. Meses depois, Jenner inoculou, no mesmo menino, o pus varioloso humano, que causava muitas mortes. O menino não adoeceu. Disponível em: www.bbc.co.uk. Acesso em: 5 dez. 2012 (adaptado).

Considerando o resultado do experimento, qual a contribuição desse médico para a saúde humana?

A) A prevenção de diversas doenças infectocontagiosas em todo o mundo.

B) A compreensão de que vírus podem se multiplicar em matéria orgânica.

C) O tratamento para muitas enfermidades que acometem milhões de pessoas.

D) O estabelecimento da ética na utilização de crianças em modelos experimentais.

E) A explicação de que alguns vírus de animais podem ser transmitidos para os humanos.

Resposta: A.

Dica 4: Precisa revisar mais conteúdos de biologia? Veja os vídeos de Biologia da Khan Academy já traduzidos para o Português pela equipe da Fundação Lemann no http://www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/#videos
Dica 5: Quer treinar seus conhecimentos em Biologia? Baixe esta apostila de biologia gratuitamente! https://blogdoenem.com.br/biologia-enem-apostila-gratuita/
Juliana Biologia Enem
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Juliana Santos para o Blog do Enem. Juliana é formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007. Facebook: https://www.facebook.com/juliana.evelyndossantos