Sistema nervoso somático e autônomo: o que são e quais suas diferenças

O sistema nervoso pode ser classificado em sistema nervoso autônomo e somático. O sistema nervoso autônomo, por sua vez, é dividido em simpático e parassimpático.

Para estudar o sistema nervoso, costumamos dividi-lo de duas maneiras: quanto à sua anatomia e quanto à sua função. Em relação à divisão funcional, dividimos o sistema nervoso em somático e autônomo. Já anatomicamente dividimos o sistema nervoso em central (composto pelos órgãos do encéfalo e pela medula espinal) e periférico (composto pelos nervos que partem do sistema nervoso central).

Mas nesta aula vamos nos concentrar no estudo da divisão funcional. Se você quiser entender melhor a divisão anatômica, pode ver nossa aula sobre sistema nervoso central e periférico.

A principal diferença entre o sistema nervoso somático e o autônomo é que o primeiro é responsável por movimentos voluntários e o segundo, como o próprio nome já diz, é responsável por movimentos involuntários.

Em seguida vamos aprender um pouco mais sobre cada um deles.

Sistema nervoso somático ou voluntário

O sistema nervoso somático corresponde à parte do sistema nervoso que controla a musculatura esquelética, que é responsável pela nossa locomoção e por outros movimentos voluntários. Além disso, também tem como função produzir respostas ao ambiente externo que podem ser controladas conscientemente.

O sistema nervoso somático é dividido em duas partes:

  • Aferente: sensitivo, que leva as informações ao sistema nervoso central.
  • Eferente: motor, que traz as respostas voluntárias aos órgãos efetores.

Sistema nervoso autônomo

Nem sempre as respostas do nosso organismo ao ambiente são controladas por nossa vontade. Muitas vezes, as respostas são involuntárias, comandadas pelo sistema nervoso autônomo. Fazem parte dessa parte do sistema nervoso os nervos que enervam a musculatura lisa, assim como aqueles que levam impulsos nervosos às glândulas e à musculatura cardíaca.

O sistema nervoso autônomo coordena as funções da vida vegetativa, que buscam manter a homeostase do organismo. A maioria dos órgãos que são regulados por este sistema recebe dois tipos de nervos: um que irá estimular suas funções e outro que irá inibi-las. Dessa forma, o sistema nervoso autônomo pode ser dividido em simpático e parassimpático.

Classificamos os nervos que estimulam o funcionamento das funções de cada órgão de sistema nervoso autônomo simpático. Enquanto isso, os nervos que têm como objetivo inibir as funções desses órgãos fazem parte do sistema nervoso autônomo parassimpático.

Sistema nervoso autônomo simpático e parassimpático

Sistema nervoso autônomo simpático e parassimpático.

Sistema nervoso autônomo simpático

Os nervos simpáticos saem da região mediana da medula espinhal. Quando o impulso nervoso sai dos gânglios nervosos (partes mais dilatadas da medula) para os órgãos efetores (nervos pós-ganglionares), os neurônios utilizam a noradrenalina como neurotransmissor.

Enquanto isso, os nervos que saem da medula em direção aos órgãos efetores (nervos pré-ganglionares), utilizam acetilcolina. Esses nervos regulam ações que mobilizam energia, preparando o organismo para situações de estresse.

O sistema nervoso simpático participa, por exemplo, do aumento da pressão arterial e dos ritmos cardíaco e respiratório, assim como do aumento da quantidade de glicose no sangue e ativação geral do metabolismo do nosso organismo.

Sistema nervoso autônomo parassimpático

Os nervos pertencentes ao sistema nervoso autônomo parassimpático se ramificam a partir do bulbo e da extremidade final da medula. O neurotransmissor dessa parte do sistema nervoso é a acetilcolina.

O sistema nervoso parassimpático atua principalmente em atividades relaxantes para os órgãos efetores como, por exemplo, na diminuição dos ritmos cardíaco e respiratório.

Como você pôde perceber, os sistemas simpático e parassimpático agirão de maneira antagônica nos órgãos. Juntamente com os hormônios, esses sistemas agirão para regular uma série de fenômenos em nosso corpo. Um exemplo disso é o ritmo cardíaco: o coração é estimulado pelo SNA simpático e inibido pelo parassimpático.

Videoaula

A fim de se aprofundar nos conteúdos vistos aqui, recomendamos a seguinte videoaula:

Exercícios

Por fim, agora que você já sabe tudo sobre sistema nervoso somático e autônomo, que tal testar seus conhecimentos?

1 – (FCM PB/2018)    

Com a proximidade do vestibular, intensificaram-se os encontros dos5 estudantes, que rotineiramente se reunião na casa de D. Maria, mãe de um deles, par estudar. Após uma jornada de mais de 4 horas ininterrupta, D. Maria, chamou-os para o tão almejado almoço. Ao ver a mesa com as apetitosas comidas, Luana, uma das estudantes exclamou: Estou com água na boca! Então, D. Maria, que participava dos encontros aproveitou para perguntar: E aí meninada, quero ver se vocês estão afiados. Dentro dessas opções que vou colocar para vocês, e foi logo escrevendo, determine qual a estrutura ocular e o sistema nervoso que estão respectivamente envolvidos, portanto, responsável por estimular a produção da saliva de Luana. Assinale corretamente,

a) a pupila e o simpático.

b) a pupila e o autônomo.

c) a retina e o somático.

d) a retina e o parassimpático

e) a pupila e o parassimpático

2 – (Faculdade São Francisco de Barreiras BA/2017)    

Sinais fisiológicos podem alterar o ritmo cardíaco pela regulação do nodo sinoatrial ou marca passo. O aumento da frequência cardíaca permite ao sistema circulatório aumentar o fornecimento de oxigênio, enquanto a diminuição dessa frequência é uma adaptação que pode conservar energia nos sistemas biológicos. O aumento e a redução da frequência cardíaca podem estar associados à secreção de hormônios, à mudança na temperatura corpórea e ao sistema nervoso.

Com relação ao sistema nervoso, é correto afirmar:

a) O sistema nervoso parassimpático aumenta a frequência cardíaca e o sistema nervoso simpático a diminui.

b) O sistema nervoso simpático aumenta a frequência cardíaca, e o sistema nervoso parassimpático a diminui.

c) Os sistemas nervosos simpático e parassimpático reduzem a frequência cardíaca.

d) Os sistemas nervosos simpático e parassimpático aumentam a frequência cardíaca.

e) Os sistemas nervosos simpático e parassimpático mantêm a frequência cardíaca estável.

3- (UNITAU SP/2016)    

O sistema nervoso autônomo subdivide-se em sistema simpático e parassimpático, os quais atuam antagonicamente, pois agem de formas opostas em momentos de emergência e no restabelecimento da normalidade do organismo. Analise os exemplos abaixo, referentes à ação dos sistemas simpático e parassimpático.

I. Em momentos de emergência, o sistema simpático atua promovendo a dilatação das pupilas, e, em contrapartida, o sistema parassimpático age levando à contração das pupilas.

II. Para os momentos de perigo, os brônquios pulmonares são dilatados pela ação do sistema simpático e, para restabelecer o equilíbrio, o sistema parassimpático provoca a contração dos brônquios.

III. Quando há risco para o organismo, os esfíncteres urinário e anal acabam por ser relaxados pela ação do sistema simpático e, antagonicamente, pela ação do sistema parassimpático, serão posteriormente contraídos.

a) I, II e III estão corretos.

b) I, II e III estão incorretos.

c) Apenas II e III estão corretos.

d) Apenas I e III estão corretos.

e) Apenas I e II estão corretos.

Gabarito:

  1. D
  2. B
  3. E