Conflito entre Palestina e Israel – Atualidades e Geografia Enem

Compreender  o Conflito Israel e Palestina é algo complexo porém muito requisitado em provas e vestibulares. O Blog do Enem fez um resumo especial pra ajudar vocês. Venha com a gente e reveja esse conteúdo.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, o Oriente Médio – região historicamente disputada – tem ocupado a mídia internacional como a principal zona de conflito do mundo. As rivalidades não são apenas interestatais, elas existem também no interior de alguns países, expressando-se na forma de sangrentos conflitos separatistas e guerras civis.

Neste cenário, os conflitos mais persistentes e de maior dimensão política e bélica (de armamentos) têm sido os que envolvem países árabes, Israel e os palestinos.

A Palestina possui uma superfície de aproximadamente 27 mil Km² e sua dimensão pode ser comparada a do estado de Alagoas. Seus limites são o Líbano, a Síria, a Jordânia e o Egito. Banhada pelo Mar Mediterrâneo. Os históricos conflitos entre árabes e israelenses ocorrem pela posse desse território.

A ocupação judaica recente dessa região está ligada à formação do movimento sionista. Em 1896, o escritor judeu Theodor Herzl  lançou um livro, O Estado Judeu, composto pelas bases de um movimento político-religioso que defendia a criação de um Estado nacional para os judeus.

No 1º Congresso Mundial Sionista, realizado na Basileia, Suíça, em 1897, foi aprovado um programa de compra de terras com essa finalidade. O movimento optou pela aquisição de terras na Palestina, região historicamente ligada às tradições judaicas. Inspirados por esse sentimento nacionalista, milhares de judeus iniciaram intensa migração à região. O sionismo cresceu e com o financiamento de judeus do mundo inteiro, seus integrantes compraram muitas terras na Palestina.

Os Palestinos, por sua vez, foram cada vez mais pressionados a deixar suas terras, pois eram agricultores pobres e não tinham como competir com os investimentos maciços do movimento sionista, surgindo, portanto, um confronto entre o direito de fato e o direito histórico.

Em 1947, a ONU aprovou a criação de um Estado Judeu e outro Palestino e de uma região sobre controle internacional, onde estariam as cidades de Belém e Jerusalém.

O Estado de Israel foi então fundado em maio de 1948, embora o Estado Palestino nunca tenha sito concretizado. No dia seguinte à proclamação da Independência de Israel, cinco Estados árabes vizinhos – Egito, Síria, Iraque, Transjordânia (atual Jordânia) e Libano – invadiram o novo país. A vitória de Israel, nesse conflito, permitiu a eles o aumento de seu território passando a controlar 78% do território da Palestina. As regiões da Faixa de Gaza e Cisjordânia, que representam os 22% restantes – foram ocupadas pelo Egito e pela Jordânia.

A luta pela recuperação dos territórios ocupados por Israel e pela criação de um Estado soberano deu início a chamada Questão Palestina.

Tem sido muito difícil um acordo de paz no logo conflito entre Israel e Palestina porque há radicais dos dois lados tentando boicotá-lo. Do lado palestino há três organizações que têm sido responsáveis por ataques terroristas contra a população israelense: o Hamas, a Jihad Islâmica e as Brigadas dos Mártires de Al-qsa. Esses grupos são contrários a qualquer concessão a Israel e acreditam que os judeus devem ser expulsos da Palestina.

Do lado de Israel há os setores da direita, do partido Likud e especialmente dos partidos ortodoxos que abrigam fundamentalistas religiosos, contrários a qualquer concessão aos palestinos. Esses setores da sociedade israelense acreditam que a “terra santa”, a “terra prometida”, só pertence ao povo judeu. São contrários, por exemplo, à retirada dos colonos judeus que vivem em Gaza e na Cisjordânia, portanto, em territórios já oficialmente devolvidos por Israel aos palestinos.

Além disso  a capacidade militar israelense é muito superior e sua retaliação a qualquer agressão dos grupos acima mencionados à população civil do país quase sempre fere e mata muito mais civis palestinos.

Dados lançados em 2015 pelo jornal G1 (globo) aponta números alarmantes de vítimas deste conflito. O ano de  2014 deixou o pior balanço de perdas civis entre os palestinos desde 1967 devido, sobretudo, aos mortos durante a operação “Barreira de Proteção” lançada no verão pelo exército israelense na Faixa de Gaza.

Durante a operação, “mais de 1.500 civis foram mortos, 11.000 ficaram feridos e 100.000 deslocados”, segundo o relatório anual do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) da ONU.

No total, 2.200 palestinos foram mortos na Faixa de Gaza, incluindo combatentes e 550 crianças, segundo o documento que tem como título “Vidas fragmentadas”. Do lado israelense, 73 pessoas morreram, incluindo 67 soldados.

Pessoas fogem de bombardeios na Faixa de Gaza.

Compreender esse conflito de uma forma completa as vezes se torna uma tarefa muito difícil, já que há diversas opiniões e distorção dos fatos.  Para auxiliar na compreensão veja alguns vídeos que selecionei para você ver diferentes pontos de vista:

Videoaula do canal QG do Enem:

Reportagem da TV Brasil:

Reportagem do Jornal Nacional:

Documentários:


Se você ainda quiser mais um material sobre o Conflito entre Israel e Palestina, veja esta lista de Filmes que preparei para você:

Valsa com Bashir (2008)

Limoeiro (2008)

Suicide Killers (2006)      

Paradise Now (2005)

Munique (2005)

Agora, para finalizar sua revisão, que tal testar seus conhecimentos?

(Enem 2007) – Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da Palestina que previa a criação de dois Estados: um judeu e outro palestino. A recusa árabe em aceitar a decisão conduziu ao primeiro conflito entre Israel e países árabes. A segunda guerra (Suez, 1956) decorreu da decisão egípcia de nacionalizar o canal, ato que atingia interesses anglo-franceses e israelenses. Vitorioso, Israel passou a controlar a Península do Sinai. O terceiro conflito árabe-israelense (1967) ficou conhecido como Guerra dos Seis Dias, tal a rapidez da vitória de Israel. Em 6 de outubro de 1973, quando os judeus comemoravam o Yom Kippur (Dia do Perdão), forças egípcias e sírias atacaram de surpresa Israel, que revidou de forma arrasadora. A intervenção americano-soviética impôs o cessar-fogo, concluído em 22 de outubro.

A partir do texto acima, assinale a opção correta:.
a) A primeira guerra árabe-israelense foi determinada pela ação bélica de tradicionais potências europeias no Oriente Médio.

  1. b) Na segunda metade dos anos 1960, quando explodiu a terceira guerra árabe-israelense, Israel obteve rápida vitória.
  2. c) A guerra do Yom Kippur ocorreu no momento em que, a partir de decisão da ONU, foi oficialmente instalado o Estado de Israel.
  3. d) A ação dos governos de Washington e de Moscou foi decisiva para o cessar-fogo que pôs fim ao primeiro conflito árabe-israelense.
  4. e) Apesar das sucessivas vitórias militares, Israel mantém suas dimensões territoriais tal como estabelecido pela resolução de 1947 aprovada pela ONU.

(PUC-RIO -2009) O Estado de Israel, que completou 60 anos em maio deste ano, teve suas fronteiras definidas a partir de várias guerras com países vizinhos. A esse respeito, avalie as afirmativas abaixo:

I – O plano de Partilha da ONU (Resolução 181) de 1947 previa a retirada das tropas do Império russo, a criação de um Estado judaico e de um Estado independente árabe-palestino na região da Palestina.

II – Os árabes rejeitaram o plano de partilha da Palestina aprovado pela Assembleia Geral das Nações Unidas e atacaram o recém-formado Estado de Israel em 1948: era o começo dos conflitos árabe-israelenses e do dilema dos refugiados palestinos.

III – A vitória israelense na Guerra dos Seis Dias (1967) permitiu a ocupação de quase toda a Palestina, isto é, do Sinai, da Faixa de Gaza, da Cisjordânia, de Jerusalém e o do Iraque.

IV – A partir de 1987, a população civil palestina começou a série de levantes (Intifada) contra a ocupação israelense usando paus, pedras e atentados.

 

ASSINALE a alternativa correta.

  1. a) Somente as afirmativas I e III estão corretas.
  2. b) Somente as afirmativas I e II estão corretas.
  3. c) Somente as afirmativas II e IV estão corretas.
  4. d) Somente as afirmativas II e III estão corretas.
  5. e) Somente as afirmativas III e IV estão corretas.

Curso Enem Gratuito

Quer aumentar suas chances no próximo Exame Nacional do Ensino Médio e mandar bem nas Notas de Corte do Enem? Estude com as apostilas e aulas gratuitas do Curso Enem Online. Todas as matérias do Exame e ainda as Dicas de Redação. Acesse aqui o Curso Enem Gratuito Online.

curso enem gratuito blue fino

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Priscila Colturato para o Blog do Enem. Priscila é formada em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina.