Formas de governo por Platão – Filosofia Enem

Você sabe o que é democracia? E tirania, você sabe o que é? Vamos entender o que é cada uma através de Platão e suas formas de governo. Revise Filosofia para o Enem.

Filosofia Enem: Platão (428 a.c), foi discípulo de Sócrates e mestre de Aristóteles. Suas teorias foram apresentadas em livros, que foram feitos através de diálogos.

Platão demonstrou sua preocupação com a política e sua organização nos livros: A República, O Político e As Leis. Seu ponto de partida para o desenvolvimento de suas teorias foi a sociedade ateniense.

Através de seus estudos, chegou a conclusões importantes quanto à consciência política por parte dos cidadãos: essa consciência deveria ser ensinada, principalmente aos jovens durante  a sua base educacional.1Os estudos de Platão indicaram, para ele, que há três formas de governo, três tipologias possíveis de se governar uma sociedade:

  • 1 democracia,
  • 2 aristocracia,
  • 3 – monarquia.

Estas formas de governo são classificadas por Platão como formas puras e, como tudo tem dois lados, essas formas puras possuem sua versão impura ou seja, ruim, danosa, quando adotadas.

Veja:3

Tipologia de governo para Platão

As formas de governo puras correspondem primeiramente ao modo como são exercidas. A democracia, governo de muitos, do povo (demo= povo, cracia= governo); aristocracia, governo de alguns( poucos) intelectuais e comerciantes; e a monarquia, governo de um só ( o Rei-Filósofo).

É importante salientar que apesar de termos herdado o conceito de democracia da Grécia Antiga, atualmente nossa democracia é muito diferente da que foi outrora (somente os homens livres (que representavam aproximadamente 30% de uma população), sendo que estrangeiros, escravos (era assim naquele tempo) e mulheres não tinham direito a voto.

Quando não bem exercidas, essas formas se degeneram, a democracia degenera em uma anarquia, a monarquia se transforma em uma tirania; a aristocracia em oligarquia, quando essas degenerações acontecem significa que o governante não está mais governando para  e pelo seus governados, ou seja, está interessado apenas em seus próprios interesses.

O democrático, segundo Platão, se corrompe pelo desejo de liberdade, o aristocrata é corrompido pelo desejo de riqueza e o monarca, para manter-se no poder utiliza-se da violência.

 “(…) Consiste na composição harmônica e ordenada de três categorias de homens- os governantes-filósofos, os guerreiros e os que se dedicam aos trabalhos produtivos. Trata-se de um Estado que nunca existiu em nenhum lugar.”

“Todos os Estados que realmente existem, os Estados reais, são corrompidos – embora de modo desigual. Enquanto o Estado perfeito é um só (e não pode deixar de ser assim, porque só pode haver uma constituição perfeita) (…).”

Vale lembrar que o Brasil  hoje é um República democrática, mas já foi uma monarquia (século XIX), chamada de O Império do Brasil.

Os tempos da monarquia terminaram com a deposição, em 15 de novembro de 1889, do imperador D. Pedro II, após um reinado de 58 anos, por meio de um golpe de Estado guiado por um grupo de líderes militares, que culminou na Proclamação da República, com a adoção de uma forma democrática e  republicana de governo.

No início da República governaram os militares e depois os latifundiários, num ciclo em que o poder estava nas mãos da  aristocracia brasileira, com os  grandes latifundiários os barões do leite e do café, o que originou a política café com leite.

Em 1930 Getúlio Vargas, novamente com os militares, toma o poder e governa de maneira ditatorial até 1945, quando é obrigado a deixar a presidência da república por pressão dos Marechais, Generais, Almirantes e Brigadeiros que retornam dos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial.

Temos eleições, vendidas pelo Marechal Dutra. Getúlio Vargas volta pelo voto popular em 1951, e comete suicídio em 1954. Juscelino Kubitschek ganha as eleições após a morte de Getúlio, e governa democraticamente até 1960. Jânio Quadros vence as eleições para suceder Juscelino, mas renuncia em 1961, abrindo as portas para um ciclo de turbulências.

O Vice de Jânio Quadros era João Goulart, que foi deposto pelos militares em 1964. Tem início um novo ciclo de Ditadura Militar que dura até 1985, quando retorna o regime democrático.

Como você pode ver, a política no Brasil já viveu todas as formas de governo definidas por Platão.

Vamos exercitar um pouco?

 

Questão 1

A forma com que os gregos viviam as questões da polis levou às primeiras reflexões sobre as formas ideais de governo. Coube a Platão escrever a primeira obra sistematizada de ciência política do Ocidente, A República. Nesta obra, Platão, entre outros assuntos, discute temas como justiça, educação, cidadania e formação dos governantes. A classificação das formas de governo realizada por Platão em A República é a seguinte:

a) Aristocracia, Democracia, Oligarquia, Tirania, Anarquia e Monarquia

b) Aristocracia, Timocracia, Oligarquia, Democracia, Anarquia e Tirania

c) Timocracia, Democracia, Aristocracia, Anarquia, Monarquia e Tirania

d) Monarquia, Oligarquia, Democracia, Tirania e Timocracia

 

Questão 2

“… os traços pelos quais a democracia é considerada forma boa de governo são essencialmente os seguintes: é um governo não a favor dos poucos mas dos muitos; a lei é igual para todos, tanto para os ricos quanto para os pobres e portanto é um governo de leis, escritas ou não escritas, e não de homens; a liberdade é respeitada seja na vida privada seja na vida pública, onde vale não o fato de se pertencer a este ou àquele partido mas o mérito.”

(BOBBIO, Norberto. Estado, governo, sociedade: para uma teoria geral da política. Trad. de Marco Aurélio Nogueira. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. p. 141.)

 

Com base no texto, considere as seguintes afirmativas sobre os direitos fundamentais da democracia grega.

 

I. Todos os cidadãos submetem-se a uma elite, formada pelos ricos, que governa privilegiando seus interesses particulares.

II. Todos os cidadãos possuem os mesmos direitos e devem ser tratados da mesma maneira, perante as leis e os costumes da pólis.

III. O cidadão não tem a liberdade de expor, na assembléia, seus interesses e suas opiniões, discutindo-os com os outros.

IV. Todo cidadão deve ter suas opiniões respeitadas, a partir de uma amplo e, às vezes conflituoso, debate de idéias.

 

Assinale a alternativa correta.

 

a) Apenas as afirmativas I e II são corretas.

b) Apenas as afirmativas I e IV são corretas.

c) Apenas as afirmativas II e III são corretas.

d) Apenas as afirmativas II e IV são corretas.

e) Apenas as afirmativas III e IV são corretas.

 

Gabarito

 

Questão 1 – A

Questão 2 – D

Paula Filosofia
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Paula Pille para o Blog  do  Enem. Paula Pille  é  formada  em  Filosofia  pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Filosofia em escolas da  Grande  Florianópolis  desde  2004.  Facebook: https://www.facebook.com/paula.pille.1.