Você conhece os meios de transportes no Brasil?

Salve, salve!!! Tudo belezinha? Vou falar nesta aula sobre os meios de transportes no Brasil... aí você pensa: “ixi, é só problema pela frente! Olha, não é que você entende de meios de transportes mesmo!? Temos um sistema bastante deficitário, confira abaixo!

Na Geografia, quando falamos dos meios de transporte, não é levado em conta, os meios de tração animal, por isso, falarei apenas dos meios movidos por motores, independente da fonte energética utilizada por eles. Vamos lá!

Inicialmente, temos que lembrar que o Brasil investe ERRADO em seu sistema de transportes. O país é muito grande, então, deveria investir em meios mais baratos, que consumissem menos e transportassem mais. Mas até hoje tem feito o contrário.

geo

– RODOVIÁRIO

O Brasil tem uma das maiores malhas viárias do mundo, porém, de péssima qualidade. O maciço investimento em rodovias, começou com Juscelino Kubitschek na tentativa de atrair as indústrias automotivas. Não seria problema, se as estradas fossem mais utilizadas pelos automóveis, mas o grande problema é que de toda a carga transportada no Brasil, mais de 90% escoa pelo sistema rodoviário. Esse sistema é muito caro e a capacidade de carga é pequena. Além disso, as condições das nossas rodovias são precárias.

– FERROVIÁRIO

Dominou o transporte no Brasil até o final do século XIX. Mas, de uma forma quase que exclusiva para cargas. Assim, as estradas de ferro saíam do interior em direção ao litoral, já que, o destino das produções era quase sempre a exportação. Com o passar do tempo, as ferrovias foram abandonadas e sucateadas. Hoje, quase todas as ferrovias se encontram neste estado: nem 20% das estradas de ferro no Brasil estão em funcionamento e são dominadas pelo setor privado. Apesar de ter um custo elevado de construção, há pouco custo de manutenção e consumo, com um poder de carga 10 vezes mais do que o rodoviário.

– HIDROVIÁRIO

Podemos dividir em dois tipos:

Marítimo: basicamente utilizado para importação e exportação. Sendo pouquíssimo utilizado para o transporte de pessoas. Poderia ser melhor utilizado aqui no Brasil pelo tamanho do litoral do país. Uma possibilidade seria o sistema de cabotagem, percorrendo de porto em porto, por exemplo. Dentre os principais portos, temos o de Santos, Paranaguá, Itajaí, São Francisco do Sul e de Tubarão.

Fluvial: pouco utilizado, porque as áreas de maior potencialidade, produzem pouco ou são pouco habitadas. No Amazonas, a utilização é por conta da Zona Franca de Manaus e o transporte de pessoas, pois as condições das estradas são péssimas ou nem existem, então, o rio é o caminho que pode ser utilizado.

– AEROVIÁRIO

O transporte aéreo no Brasil ainda é bastante caro. Nos últimos anos, o valor tem caído por conta da entrada de empresas que reduziram os custos para poder baixar o valor das passagens. A maior parte desse transporte é utilizado por passageiros, pela pouca capacidade de carga e o alto custo. Além disso, os nossos aeroportos são pouquíssimo preparados.

E aí, ficou com alguma dúvida nos meios de transportes no Brasil? Então, assiste a videoaula e depois faça os exercícios a seguir, ok? Bons estudos!

Videoaula

Exercícios

1 – O Brasil é um país de dimensões continentais, o que eleva a importância de uma articulada rede de transporte que integre de maneira eficaz e pouco onerosa todas as áreas habitadas e de uso do espaço geográfico no país. Nesse sentido, o sistema de transporte mais utilizado para deslocamento de cargas e serviços é o:

a) rodoviário

b) ferroviário

c) hidroviário

d) aeroviário

e) marítimo

2 – (UFMG) Considerando-se as redes que compõem as diferentes modalidades de transporte no Brasil, é INCORRETO afirmar que:

a) as ferrovias são, em sua grande extensão, utilizadas sobretudo para o escoamento da produção mineral e subutilizadas no transporte interurbano e inter-regional de passageiros.

b) as hidrovias tornariam o preço do produto agrícola brasileiro mais competitivo no mercado internacional, mas têm sua implementação dificultada pelo custo e pelos impactos ambientais decorrentes de seus projetos.

c) as rodovias, principal modalidade de transporte do país, assumem, com alto custo, elevada tonelagem no deslocamento de mercadorias diversas e maior percentual de tráfego de passageiros.

d) o transporte aéreo registra um uso mais intenso nas regiões do país onde há grandes distâncias entre os principais centros urbanos e fraca densidade das redes rodoviária e ferroviária.

3 – (ENEM-2012) A soma do tempo gasto por todos os navios de carga na espera para atracar no porto de Santos é igual a 11 anos – isso, contando somente o intervalo de janeiro a outubro de 2011. O problema não foi registrado somente neste ano. Desde 2006 a perda de tempo supera uma década.

Folha de S. Paulo, 25 dez. 2011 (adaptado).

A situação descrita gera consequências em cadeia, tanto para a produção quanto para o transporte. No que se refere à territorialização da produção no Brasil contemporâneo, uma dessas consequências é a

a) realocação das exportações para o modal aéreo em função da rapidez.

b) dispersão dos serviços financeiros em função da busca de novos pontos de importação.

c) redução da exportação de gêneros agrícolas em função da dificuldade para o escoamento.

d) priorização do comércio com países vizinhos em função da existência de fronteiras terrestres.

e) estagnação da indústria de alta tecnologia em função da concentração de investimentos na infraestrutura de circulação.

GABARITO

1 – A

2 – D

3 – C

Os textos e exemplos acima foram produzidos pelo professor Leandro, formado em Geografa pela Udesc. Leandro é professor de Geografia em escolas da Rede Particular de Ensino da Grande Florianópolis.