Faltam:
para o ENEM

Veja aqui tudo sobre a Formação do Estado Moderno – História Enem

A formação do Estado Moderno é também uma consequência da ascensão da Burguesia, que provoca o declínio do poder feudal. Cai no Enem e nos vestibulares. Então, não perca esta revisão de História!

Antes de estudar a Formação do Estado Moderno e a importância da Burguesia, vamos rever a situação política da Europa ocidental durante a Idade Média (séculos V ao XV)?

Durante este período o modelo de poder era o Feudalismo. A Europa ocidental estava dividida em diversas unidades políticas, os chamados feudos. Neles o poder estava concentrado na mão dos senhores feudais (nobreza). O poder político era, portanto, descentralizado.

A situação começou a mudar a partir do século XI quando as relações feudais foram se alterando, abrindo caminho para a população que morava nos burgos – nome das cidades de então. Vem daí o nome Burguesia.

Dica 1 – Você já estudou e aprendeu sobre os “Feudos”? É um conteúdo importante para o Enem e os vestibulares. Faça aqui uma revisão gratuita: https://blogdoenem.com.br/feudo-idade-media-historia/

Com o crescimento dos burgos e do comércio um novo grupo social, a burguesia, aos poucos foi ocupando espaço nas relações de poder e rivalizando com a nobreza feudal.  É dentro deste contexto que ocorreu a crise do Feudalismo e surgiu uma nova estrutura política: o Estado Moderno.

Dica 2 – Quer saber um pouco mais sobre o comércio e as cidades na chamada Baixa Idade Média (séculos XI a XV)? Então, veja aqui este post especial que o blog do Enem preparou para você: https://blogdoenem.com.br/baixa-idade-media/

Os Estados Modernos surgiram da união de interesses entre a burguesia, o rei e alguns membros da nobreza:

  • Para poder ter poder de fato sobre o seu reino, o rei precisava de apoio político e dos recursos econômicos da burguesia;
  • Os nobres precisavam do rei para retomar alguns privilégios perdidos com o fracasso das Cruzadas e garantir a manutenção de suas terras;
  • A burguesia tinha interesse em unificar o território, pois conseguiria vários benefícios: moeda única, padronização de pesos e medidas, leis unificadas, melhorias em estradas, segurança pública, tributo único devido ao rei.
Dica 3 – Quer saber o que os nobres desejavam ao participar das expedições militares religiosas promovidas pela Igreja católica: as Cruzadas? O Blog do Enem pode te ajudar! Acesse o link e descubra: https://blogdoenem.com.br/historia-cruzadas/

Que tal agora assistir a uma aula em vídeo do HistóriaAção sobre este tema?

Os Estados Modernos surgiram em momentos históricos diferentes e em situações distintas. Vamos ver como isso ocorreu?

Portugal – A centralização política iniciou no século XI com a chamada Reconquista (luta contra os árabes ou mouros). No século XII, Portugal já possuía um poder relativamente centralizado e forte.

História

Em 1385 (século XIV), com a Revolução da Dinastia de Avis (batalha contra os castelhanos pelo trono real), o rei João I (imagem no selo comemorativo), da Ordem de Avis, foi auxiliado pela burguesia e conseguiu se separar do reino de Castela (Espanha), e fortaleceu Portugal. A centralização política de Portugal no século XIV permitiu o seu pioneirismo nas Grandes Navegações.

Espanha – O processo de centralização política da Espanha foi bem mais longo que de Portugal. A quantidade de reinos independentes (Castela, Aragão, Leão, Navarra, condados catalães…) e a maior resistência dos mulçumanos dificultaram a centralização.

História

Apenas em 1469 com o casamento de Isabel de Castela com Fernando de Aragão (na imagem), os mouros foram derrotados (1492) e Granada reconquistada.  Anos depois Navarra também. Completava-se assim, a formação do reino da Espanha. O novo reino pôde, enfim, investir nas navegações marítimas.

História
Fonte: BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História Sociedade & Cidadania 6º. ano. 2ª. ed. São Paulo: FTD, 2012. p. 131.

Os reinos de Portugal e Espanha formaram-se a partir dos territórios reconquistados que foram perdidos para os árabes.

França – Filipe Augusto, Luís IX e Filipe, o Belo, deram início à centralização política da França nos séculos XIII e XIV. Com a Guerra dos Cem Anos o nacionalismo francês foi reforçado na figura de Joana d’Arc, a primeira heroína da França como nação.

História

As guerras religiosas do século XVI prejudicaram a economia e a política francesa. Em 1598, com o Edito de Nantes (imagem), que dera liberdade de culto aos protestantes, é que o rei Henrique IV (na imagem, com a família) tornou-se forte perante a nobreza.

História
Fonte: BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História Sociedade & Cidadania 6º. ano. 2ª. ed. São Paulo: FTD, 2012. p. 128.

No mapa da acima você vê o território francês antes do reinado de Filipe Augusto. O do centro, a França depois dele. Perceba como sob o seu reinado o território francês tornou-se três vezes maior.

Inglaterra – A centralização política teve início no século XII com Henrique II e terminou em 1485 (século XV) com a Guerra das Duas Rosas, quando Henrique VII subiu ao trono (imagem).

História

No caso inglês, com algumas exceções, a monarquia teve uma tendência mais moderada, pois, desde o princípio a burguesia adquiriu maior importância e ascendeu socialmente. A Magna Carta (1215), imposta ao rei João Sem Terra, serviu para controlar os excessos reais ao dividir o poder do monarca com o parlamento.  

Está achando complicado? Então que tão assistir uma continuação do vídeo acima sobre a Formação dos Estados Modernos? E, não se esqueça: pesquise, estude para o Vestibular e Enem!

Exercício – Agora chegou a sua vez! Responda a esta questão de vestibular que o Blog do Enem preparou para você.

(UEMS) – A formação do Estado Moderno foi resultado de um complexo de causas, entre as quais avulta o aparecimento de uma aristocracia comercial que havia tomado parte ativa nos movimentos de emancipação das cidades e que, em seu próprio interesse, reagia contra o feudalismo apoiando a realeza. As instituições que deram ao Estado Moderno suas características foram:

A) (     ) A injustiça real, que sobrepujou o direito de julgar dos antigos senhores; a moeda real, que substituiu a pluralidade de moedas cunhadas pelos nobres feudais.
B) (     )  A justiça real, que deu o direito de não julgar dos antigos senhores; a moeda real que não foi mais cunhada e que substituiu a pluralidade de moedas cunhadas pelos nobres feudais.
C) (     ) A justiça real, que sobrepujou o direito de julgar dos antigos senhores; a moeda real, que substituiu a pluralidade de moedas cunhadas pelos nobres feudais.
D) (     ) A justiça real, que sobrepujou o direito de julgar dos antigos senhores; a moeda real, que não substituiu a pluralidade de moedas cunhadas pelos nobres feudais.

Resposta: A alternativa correta é a letra “c”.

Com a formação dos Estados Modernos o rei ajudado pela burguesia, alguns membros da nobreza e o clero, passa a centralizar o poder em suas mãos. A justiça real prevalecer em todo o território nacional, assim como, a cunhagem de uma única moeda que substitui a cunhagem diversificada de moedas dos senhores feudais.

Carla Regina História
O texto desta aula foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.