Literatura Enem – Revise a estrutura de um texto narrativo

Vem com a gente estudar as sequências narrativas de um texto para arrasar nas questões de literatura brasileira do Enem e dos vestibulares!

Literatura Enem: Independente do gênero literário a que pertencem, os textos têm características representativas que permitem ser classificados em determinados tipos, como: narrativo, descritivo, argumentativo, explicativo, etc.

Neste post, você vai aprender sobre o texto narrativo que, a partir de suas características linguísticas e com a ajuda desse resumo, você, sem dúvida alguma, passará a identificar com facilidade. Vem com a gente estudar as principais características de um texto narrativo para gabaritar literatura no Enem e nos vestibulares!  A Estrutura do Texto Narrativo

Marcadores de tempo – em uma sequência narrativa, os fatos ocorrem de modo progressivo no tempo e em um determinado lugar, ­sendo que esse lugar, normalmente, aparece no início do texto. Ainda que a época do fato contado não apareça, elementos gramaticais denunciam ao interlocutor o tempo dos acontecimentos narrados.

As expressões adverbiais – expressões como: à noite, de madrugada, algum tempo, em menos de uma semana, poucos anos depois, ontem, agora, há três dias, etc., são expressões que servem para marcar, por exemplo, os intervalos de tempo, a duração e momento em que o fato ocorreu.

Os advérbios antes e depois não tem sentido interpretativo fora de um contexto. O sentido será dado através de referências transmitidas ao interlocutor, que darão sentido à sequência temporal dos acontecimentos.

Esses advérbios podem ser alterados por outro advérbio, no qual sua função será de aumentar ou diminuir o intervalo de tempo por eles determinados, em comparação com o tempo em que eles se referem.

Verbos – a escolha feita pelo narrador sobre os usos dos tempos verbais te dirá se os acontecimentos já foram concluídos ou não, assim como também fazer referência a fatos já acontecidos anteriormente. Como a sequência narrativa é representada por uma ação ocorrida em determinada tempo, a predicação verbal é predominante, geralmente, por tempos pretéritos.

Você deve, também, prestar atenção na pessoa em que estão conjugados, sabendo que ela indica o foco narrativo, ou seja, se conta os fatos e participa deles (narrativa em 1ª pessoa) ou se é apenas um narrador que observa o que está sendo relatado (narrativa em 3ª pessoa).

Os elementos do texto narrativo – para que uma história seja contada, ela precisa de alguns elementos chave que dê sentido ao texto e ao fato narrado. Dentre esses elementos, temos:

  1. Espaço: lugar onde acontece a narrativa;
  2. Tempo: como foi visto mais acima, o tempo é aquele que nos indica quando aconteceu, em que época aconteceu, há quanto tempo aconteceu o fato narrado;
  3. Personagens: certamente são os elementos principais de uma narrativa, já que, sem dúvidas, sem eles dificilmente a história aconteceria, não é mesmo?
  4. Narrador: é quem nos conta a história. Temos três tipos de narrador. São eles: o narrador-personagem, que conta e participa da história, sempre narrada em 1ª pessoa; o narrador-observador, conta a história sendo vista por fora e não participa dela e, dessa maneira, não conhece muito sobre os personagens e, por último, o narrador-onisciente, que narra a história em 3ª pessoa e que, em certos momentos, participa da história narrando os fatos em 1ª pessoa. Este tipo de narrador sabe tudo sobre os personagens, revelando seus pensamentos e sentimentos.

Aula Gratuita

Saiba ainda mais sobre textos narrativos, sua estrutura e elementos nesse vídeo aula que selecionei pra você, para complementar o assunto desse post. Fonte: ENIAC – Educação básica e superior


Depois de ler o texto e assistir ao vídeo e, claro, levando em conta seu conhecimento literário adquirido até agora, chegou a hora da ação! Teste seus conhecimentos nos exercícios sobre textos narrativos, presentes nos vestibulares mais concorridos:

1- (FUVEST) A narração dos acontecimentos com que o leitor se defronta no romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, se faz em primeira pessoa, portanto, do ponto de vista da personagem Bentinho. Seria, pois, correto dizer que ela se apresenta:

a) fiel aos fatos e perfeitamente adequada à realidade;

b) viciada pela perspectiva unilateral assumida pelo narrador;

c) perturbada pela interferência de Capitu que acaba por guiar o narrador;

d) isenta de quaisquer formas de interferência, pois visa à verdade;

e) indecisa entre o relato dos fatos e a impossibilidade de ordená-los.

2- (UFV) Considere o texto:

“O incidente que se vai narrar, e de que Antares foi teatro na sexta-feira 13 de dezembro do ano de 1963, tornou essa localidade conhecida e de certo modo famosa da noite para o dia. (…) Bem, mas não convém antecipar fatos nem ditos. Melhor será contar primeiro, de maneira tão sucinta e imparcial quanto possível, a história de Antares e de seus habitantes, para que se possa ter uma idéia mais clara do palco, do cenário e principalmente da personagens principais, bem como da comparsaria, desse drama talvez inédito nos anais da espécie humana.” (Érico Veríssimo)

Assinale a alternativa que evidencia o papel do narrador no fragmento acima:

a) O narrador tem senso prático, utilitário e quer transmitir uma experiência pessoal.

b) É um narrador introspectivo, que relata experiências que aconteceram no passado, em 1963.

c) Em atitude semelhante à de um jornalista ou de um espectador, escreve para narrar o que aconteceu com x ou y em tal lugar ou tal hora.

d) Fala de maneira exemplar ao leitor, porque considera sua visão a mais correta.

e) É um narrador neutro, que não deixa o leitor perceber sua presença.

3- (UNIFENAS) Com base no texto abaixo, indique a alternativa cujo elemento estruturador da narrativa não foi interposto no episódio:

“Porque não quis pagar uma garrafa de cerveja, Pedro da Silva, pedreiro, de trinta anos, residente na rua Xavier, 25, Penha, matou ontem em Vigário Geral, o seu colega Joaquim de Oliveira.”

a) o lugar

b) a época

c) as personagens

d) o fato

e) o modo

Gabarito:

1 – B

2 – C

3 – E

O texto foi escrito pela professora Analice, formada em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – Unesp. Atualmente é mestranda em Literatura na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, professora de português na rede particular e colaboradora do Blog do Enem. Facebook: http://www.facebook.com/analice.andrade