O que vi e passei no Enem 2016 – Diário de bordo

Fui para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano na condição de observadora, até mesmo para entender melhor o que o público aqui do blog passa. Nada melhor do que sentir na pele a emoção, não é mesmo? E senti.

O meu intuito como jornalista do Blog do Enem é, cada vez mais, saber o que o candidato do Enem precisa para se dar nas provas e garantir uma vaga na universidade. Fiz as provas na cidade de São José, em Santa Catarina, no Instituto Federal de Educação.

diario-de-bordo

Comportamento de fiscais gera ansiedade

A minha experiência foi enriquecedora, pois realmente entrei no clima da prova, e até ansiedade eu senti. Também, dois dias exame, sendo 31 páginas para ler e resolver em cada um dos dias! Mas, o que mais me deixou “ansiosa” foi o despreparo e a falta de respeito de fiscais para com os candidatos. Pelo menos da sala onde fiz a prova.

Os fiscais simplesmente não paravam de conversar e isso realmente tira a concentração. E o que eu podia fazer? Comecei a observar os demais candidatos da prova e constatei que muitos também estavam desconcentrados. Imagina a tensão desse povo? Já praticamente não dá tempo de resolver a prova toda, ainda mais no segundo dia, com Matemática e Redação juntas!

E, ainda por cima, os fiscais não tem o mínimo de postura profissional e de respeito para com as pessoas que estudaram muito, durante pelo menos um ano para prestar o Enem!

Quem fiscaliza os fiscais?

Enquanto fazia a prova, tanto no primeiro, quanto no segundo dia, a cada deslize ou falta de capacitação dos fiscais, a pergunta que não queria calar era: qual o critério para ser fiscal do Enem? Qual o controle para o comportamento dos fiscais após o treinamento?

Sim, porque o INEP e o MEC são bastante seletivos com os estudantes. E com os fiscais que cuidam das provas, qual é o processo? Pode parecer simples, mas uma conduta errada do fiscal em sala de aula pode arruinar a tentativa de um candidato se dar bem no exame. O que presenciei não foi nada legal e a minha esperança é que essa minha experiência tenha sido a exceção, e não a regra do que ocorre pelas inúmeras escolas do Brasil que recebem o Enem. Será?!

biometriaDesinformação no preenchimento da biometria

Além da conversa contínua, os fiscais sequer sabiam se o cartão com a digital (a biometria) deveria ser preenchido. Eles instruíram que todos os candidatos não o preenchessem, quando as instruções no cartão eram bem claras: preencha!
O caso do preenchimento das informações pessoais na biometria só foi resolvido depois de eu chamar o fiscal, mostrar a instrução, ele ficar em dúvida, chamar um superior… Enfim, pensem na muvuca!

Meninas pedindo socorro na fila do banheiro

E na hora de ir ao banheiro? Até nessa hora os fiscais não sabiam como agir. Sim, eu até acho que eles estavam na condição de ‘coitados’ ali, pois parecia que não tinham recebido instrução e treinamento prévio. Será mesmo que ninguém os instruiu?

Aconteceu, por exemplo, que a fila do banheiro das meninas estava ficando cada vez maior, pois a fiscal só deixava ir uma por vez ao banheiro, mesmo tendo vários disponíveis. Uma candidata começou a ficar nervosa porque estava perdendo muito tempo na espera e perguntou: “será que não dá para entrar mais de uma por vez?

Estamos perdendo tempo de prova. Não era mais fácil uma fiscal ficar lá dentro do banheiro para monitorar e agilizar a fila?” Sabe qual foi a resposta? Nem que podia, nem que o edital não permitia. A fiscal simplesmente respondeu: “Sabe que eu não sei. Teríamos que conferir no edital”. Triste, não?!

bloquinhoDiário de bordo

O que vi do Enem 2016 foram pessoas descapacitadas aplicando as provas. E, mais do que nunca, a certeza de que um adolescente em idade de finalizar o Ensino Médio, definitivamente, não pode carregar nas costas a obrigação de conseguir uma vaga na universidade em sua primeira tentativa. É possível passar de primeira? É sim, mas, sinceramente, não dá para ter isso como regra.

A prova do Enem, a meu ver, não é fácil nem difícil, mas requer um olhar crítico e interdisciplinar. E muita, muita leitura mesmo! Até as provas de Química, Matemática e Física são pura interpretação e com uns enunciados gigantescos. Muitas dessas questões (a maioria) nem precisam de fórmulas para serem resolvidas.

Então, se você fez o Enem, estudou muito, superou os seus limites e deu o seu melhor no dia a dia, relaxe! Continue nesse ritmo que, na hora certa, a sua vaga na universidade será conquistada, pode ter certeza!

Martha Ramos

Post escrito por Martha Ramos. Jornalista formada na Universidade Estácio de Sá em Santa Catarina. Fez Pós-Graduação em Marketing e trabalha com produção de conteúdos para jornais, revistas, empresas e blogs. Face: https://www.facebook.com/martha.ramos.5203

Martha Ramos

Jornalista formada na Universidade Estácio de Sá em Santa Catarina. Fez Pós-Graduação em Marketing e trabalha com produção de conteúdos para jornais, revistas, empresas e blogs.
Categorias: Destaques, Enem Tags: , ,