Pronomes oblíquos átonos – Revisão de Gramática para o Enem

Você sabia que os pronomes exercem um papel fundamental na estruturação das frases e, em consequência, na construção de textos? Não sabia? Então continue a leitura deste super post e fique craque em pronomes!

Basicamente, os pronomes constituem uma classe de palavras que são utilizadas para substituir um substantivo. Os pronomes indicam em uma oração a pessoa do discurso e podem ajudar a situá-la no tempo e no espaço.

Você sabe como utilizar os pronomes oblíquos átonos? Não? Então, veja as vantagens de saber utilizá-los corretamente:

  • Utilizar de forma adequada certas construções exigidas pela variedade padrão da língua;
  • Compreender melhor o que lê, pois os pronomes, que são fundamentais na coesão textual, orientam as retomadas e as antecipações no percurso da leitura de um texto;
  • Produzir frases bem construídas quanto à estrutura gramatical, coesão e clareza.

1

Os pronomes constituem uma das classes gramaticais mais importantes do idioma, tanto na perspectiva de seu efetivo emprego nos atos de comunicação, quanto na perspectiva de seu estudo.

Os pronomes pessoais, num discurso – ato linguístico de comunicação – realizam-se por meio de relações que se estabelecem entre um emissor, um receptor e o assunto (alguém ou alguma coisa a que o emissor se refere). Esses três componentes denominam-se, respectivamente: 1ª pessoa, 2ª pessoa e 3ª pessoa do discurso.

FIQUE LIGADO(A)
A palavra pessoa, em gramática, não significa, necessariamente, “gente, ser humano”. A 1ª pessoa (o falante) e a 2ª ( o ouvinte) correspondem, obviamente, a seres humanos ou personificados. A 3ª pessoa (“o assunto”) pode referir-se tanto a um ser humano quanto a uma coisa, uma ideia, um acontecimento etc.

Já sabemos que os pronomes pessoais, num ato de comunicação, representam as três pessoas do discurso, certo? Sabemos também que as três pessoas do discurso podem ocorrer no singular ou no plural e cada uma tem um conjunto específico de pronomes pessoais para representá-la. Veja:

2

Observações:

 

  1. Cada grupo é constituído por diferentes formas de um mesmo pronome pessoal. O emprego de uma ou de outra forma depende da estrutura da frase em que o pronome ocorre. Exemplo: Eu estou triste; ela me disse que não mais confia em mim.
  2. Os empregos de tu e você são regionalizados. Em algumas regiões usa-se, por exemplo, “Tu vais”; em outras, “Você vai”.
  3. A forma vós, de raríssimo uso, restringe-se, atualmente, a situações de comunicação solenes e extremamente formais, como em textos religiosos, por exemplo. Um famoso escritor brasileiro já dizia, há mais de 50 anos, que esse era um pronome do tempo dos “a-vós” (dele…).

Dentro desses pronomes pessoais há uma subdivisão dos pronomes pessoais em retos e oblíquos. Neste post, abordaremos os oblíquos. Acompanhe-me!

Uma palavra, quando entra na constituição de uma oração, além de integrar uma determinada classe gramatical (substantivo, adjetivo pronome etc.), exerce também outra função, chamada de função sintática. A função sintática de uma palavra depende da maneira como ela se associa às demais palavras com as quais se combina para formar a oração.

Os pronomes pessoais, dependendo de como são empregados nas orações, podem exercer a função sintática de sujeito ou de complemento. Essa dupla possibilidade de função leva a uma subdivisão dos pronomes pessoais em retos e oblíquos. Assim:

Se o pronome pessoal exerce função de sujeito – pronome do caso reto

Se o pronome exerce a função de complemento – pronome do caso oblíquo

Veja estes exemplos:

  • Nós torcemos muito por eles. (nós pronome reto, pois é sujeito) (eles pronome oblíquo, pois é complemento)
  • Eles torceram muito por nós. (eles pronome reto, pois é sujeito) (nós pronome oblíquo, pois é complemento)

Observe, pelos exemplos, que a classificação de um pronome pessoal reto ou oblíquo não é fixa; ela depende da função sintática que o pronome exerce no enunciado. No quadro abaixo coloquei todas as formas de pronomes pessoais e as funções que elas podem exercer.

3

Curiosidade:

Os pronomes o, os, a, as assumem formas especiais depois de certas terminações verbais. Quando o verbo termina em -z, -s ou -r, o pronome assume a forma lo, los, la ou las, ao mesmo tempo que a terminação verbal é suprimida.

Por exemplo:

fiz + o = fi-lo
fazeis + o = fazei-lo
dizer + a = dizê-la

Quando o verbo termina em som nasal, o pronome assume as formas no, nos, na, nas.

Por exemplo:
viram + o: viram-no
repõe + os = repõe-nos
retém + a: retém-na
tem + as = tem-nas

Para tirar ainda mais as suas dúvidas, fique ligado(a) nesta videoaula:
https://www.youtube.com/watch?v=EGzjHFRcDws

Ficou mais claro agora, certo? Então, mostre suas habilidades nestes exercícios de fixação e excelente estudo!

Questão 01

Leia, reflita e analise os páreos de enunciados, apontando qual deles se adequa ao padrão formal da linguagem, levando em consideração os conhecimentos que você dispõe acerca dos pronomes oblíquos na função de complementos verbais. Procure justificar sua resposta.

a) Ela o ama X Ela lhe ama

b) Agradecer-lhe X Agradecê-lo(a)

c) Apresentar-lhe X Apresentá-lo(a)

d) Obedecê-lo(a) X Obedecer-lhe

Questão 02

Preencha as lacunas do texto abaixo com os pronomes oblíquos devidos:

“ Não ______ ajudou, nem _______ pediu nada, não ______ julgou e nem _____ condenou por isso”.

a – (  ) o, lhe, o, o
b – (  ) o, lhe, o, lhe
c-  (  ) lhe, lhe, o, o
d – (  ) o, lhe, lhe, o
e – (  ) o, lhe, lhe, lhe

Questão 03

I – Demos a ele todas as oportunidades.
II – Fizemos o trabalho como você orientou.
III – Acharam os livros muito interessantes.

Substituindo as palavras destacadas por um pronome oblíquo, temos:

a) I – Demos-lhe; II – Fizemo-lo; III – Acharam-los.
b) I – Demos-lhe; II – Fizemos-lo; III – Acharam-os.
c) I – Demos-lhe; II – Fizemo-lo; III – Acharam-nos.
d) I – Demo-lhe; II – Fizemos-o; III – Acharam-nos.
e) I – Demo-lhe; II – Fizemo-lhe; III – Acharam-nos.

Questão 04

Atenha-se aos enunciados, cujo intuito é analisar o emprego dos pronomes oblíquos, atribuindo-lhes a classificação adequada, tendo em vista o seguinte código:

(O.D) Objeto direto
(O. I) Objeto indireto

a – (    ) Acharam-no interessante.
b – (    ) Colocaram-na em cima da mesa.
c – (    ) Entregaram-lhes as encomendas.
d – (    ) Disseram-lhe toda a verdade.
e – (     ) Puseram-no contra todos.
f – (     ) Analisá-lo é preciso.

GABARITO

Resposta Questão 1

a) Ela o ama, visto que “amar” se classifica como verbo transitivo direto = quem ama, ama alguém.

b) Agradecer-lhe, pois em se tratando da regência verbal, infere-se que o verbo agradecer se classifica como transitivo indireto = quando agradecemos, o fazemos a alguém.

c) Apresentá-lo(a), em virtude de o verbo apresentar se classificar como transitivo indireto, nesse caso em especial, bem como direto. Assim, podemos afirmar: Irei apresentá-la(O.D) aos meus amigos(O.I).

d) Obedecer-lhe, pois no que diz respeito à predicação do verbo obedecer, esse se classifica como transitivo indireto, cujo complemento atua somente como objeto indireto.

Resposta Questão 2

Alternativa adequada expressa pela letra “A”.

Resposta Questão 3

a) Alternativa não adequada ao enunciado em questão, visto que o item III não se adequa ao padrão formal da linguagem em virtude da colocação do pronome oblíquo “los”.

b) Alternativa inadequada ao enunciado, haja vista que o pronome oblíquo demarcado no item III não se encontra adequado ao padrão formal da linguagem.

c) Alternativa adequada ao enunciado, pois todos os pronomes oblíquos, ora atuando como complementos verbais, apresentaram-se adequados à norma culta da linguagem.

d) Alternativa incoerente, pois os itens I e II se encontram ajustados de forma incorreta, tendo em vista o emprego do pronome oblíquo como complemento do verbo.

e) Alternativa inadequada ao enunciado, visto que os itens I e II não se encontram adequados ao padrão formal da linguagem, em virtude da má colocação do pronome oblíquo.

Resposta Questão 4

a – ( O.D ) Acharam-no interessante.
b – ( O.D ) Colocaram-na em cima da mesa.
c – ( O.I  ) Entregaram-lhes as encomendas.
d – ( O.I  ) Disseram-lhe toda a verdade.
e – ( O.D ) Puseram-no contra todos.
f – ( O.D  ) Analisá-lo é preciso.

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Gisele Garcez para o Blog do Enem. Gisele é formada em Letras pela UNISUL, especialista em Linguística, Gramática, Literatura e Produção Textual da Língua Portuguesa. Dá aulas de Língua Portuguesa em escolas da Grande Florianópolis desde 1998. Facebook:  https://www.facebook.com/gisele.garcez.3