Faltam:
para o ENEM

Lixo Atômico, um problema mundial. Revisão Enem. Confira.

Veja o que é Lixo Atômico e quais os problemas causados por ele. O Blog do Enem preparou um super-resumo para você ficar por dentro desse assunto e mandar bem na prova do Enem e dos vestibulares de todo Brasil. Estude com a gente na aula gratuita abaixo.

O Lixo Atômico (ou resíduo radioativo) é formado de resíduos que contêm elementos químicos radioativos ativos que não têm propósito de uso prático. São resíduos ou subprodutos de usinas nucleares, de equipamentos médicos ou de usos industriais.

Nas usinas nucleares o resíduo é o que sobra da Fissão Nuclear. Mesmo após as reações que geram o calor utilizado nas usinas estes resíduos continuam ativos emitindo radioatividade por centenas de anos.  Este tipo de resíduo também pode ser gerado durante o processamento de  armas nucleares, equipamentos de radioterapia, e de medicina nuclear. 

De onde vem o lixo atômico?

Lixo AtômicoO maior volume de lixo atômico é gerado através das usinas nucleares responsáveis pela produção de energia elétrica, e no ciclo de geração de combustível nuclear.

Um reator nuclear cria durante seu funcionamento partículas radioativas que são extremamente perigosas, como por exemplo o césio, plutônio e o estrôncio, entre outras. O plutônio por sua vez pode ser utilizado inclusive em armas nucleares, com grande poder de destruição.

Após o uso inicial  estes materiais viram resíduos radioativos, e precisam ser ‘blindados’ em capsulas para não contaminar o meio-ambiente com as radiações emitidas. Os resíduos podem ser confinados em cápsulas submarinas, subterrâneas ou mesmo em depósitos específicos de superfície.

O Lixo Atômico emite particulas na forma de raios Alfa, Beta ou Gama durante o processo de instabilidade de elementos como o Urânio, o Rádio, o Plutônio e o Tório. O Urânio, por exemplo, e encontrado com 92 prótons e vai perdendo esta quantidade emitindo radiações até que chegue aos 82 prótons, transformado-se em chumbo.

A radioatividade pode ser natural ou induzida através do bombardeamento de alguns elementos, fazendo um processo de ‘enriquecimento’ dos elementos, que depois podem ser utilzados em equipamentos médicos ou industriais, em usinas nucleares, ou em bombas atômicas.

radioatividade
veja o que é radioatividade

Radioatividade

Estima-se que sejam gerados cerca de 10 mil toneladas de lixo atômico no mundo anualmente, e esses resíduos necessitam de um cuidado muito especial no tratamento do lixo e no seu destino final, sob pena de causarem danos irreversíveis ao meio ambiente e a vida humana, com doenças e morte.

Veja quais são os Elementos Radioativos, do que consiste a Radioatividade, e os diversos usos que os seres humanos fazem dela. Confira nesta aula sobre Radioatividade.

Aula Gratuita sobre Lixo Atômico – Assista a um super vídeo que o blog do Enem separou para você. Se liga! Cai na prova do Enem e também nos vestibulares de todo o Brasil.

Para se ter uma idéia do “presente” que está sendo deixado para as futuras gerações, o lixo atômico que uma usina nuclear produz  utilizando Plutônio enriquecido leva aproximadamente 24.000 anos para ter sua radioatividade reduzida pela metade.

O lixo atômico é classificado como:

1-Resíduos de desclassificação: Não possuem radioatividade suficiente para levar perigo à saúde das pessoas ou ao meio ambiente, no presente e para as gerações futuras. Podem ser utilizados como materiais convencionais.

2- Resíduos de Baixa Atividade: Possuem radioatividade gama ou beta em níveis menores a 0,04 GBq/m³ (gigabecquerel por metro cúbico, unidade do Sistema Internacional de medidas para a radiação), caso sejam líquidos, 0,00004 GBq/m³ se forem gasosos e a taxa é inferior a 20 mSv/h (unidade do Sistema Internacional de medidas que mede a dose de radiação absorvida pela matéria viva). Só são considerados desta categoria os resíduos que além do seu período de semidesintegração é inferior a 30 anos. Podem ser armazenados em depósitos superficiais.

3- Resíduos de Atividade Média: Possuem radiação gama ou beta com níveis superiores aos resíduos de baixa atividade, mas inferiores a 4GBq/m³ para líquidos, gasosos com qualquer atividade e sólidos cuja taxa de radiação em contato supere os 20 mSv/h. Da mesma maneira que os resíduos de baixa radioatividade, só podem ser considerados desta categoria aqueles resíduos cujo período de semidesintegração seja inferior a 30 anos. Podem ser armazenados em depósitos superficiais.

4- Resíduos de Alta Atividade ou Alta Vida Média: São todos aqueles materiais emissores de radiação alfa e aqueles emissores de radiação beta  ou gama que superem os níveis impostos pelos limites dos resíduos de média atividade. Também todos os que superem um período de semidesintegração de 30 anos. Devem ser mantidos em armazenamento geológico profundo.

O que fazer com o Lixo Atômico?

 

Agora que você já sabe o que é o lixo atômico e os perigos causados por ele, resta-nos uma pergunta: onde depositar o lixo atômico? Uma vez que a radioatividade desses rejeitos se prolonga por milhares de anos e é extremamente nociva aos seres vivos, resta buscar ajuda aos órgãos competentes para um descarte adequado.

Os rejeitos de usinas nucleares são colocados em recipientes especiais e descartados em locais com revestimento de concreto, devendo permanecer confinados por um período longo, que varia de 50 a 300 anos. A radiação desaparece após esse tempo e não oferece mais riscos. Mas é importante destacar que esse período não é fixo, pode variar de um lixo para outro.

Um dos maiores acidentes envolvendo o lixo Nuclear ocorreu na cidade de Goiânia, em 13 de setembro de 1987, e resultou na morte de mais de 400 pessoas. O material radioativo responsável pela catástrofe foi o Césio 137, que contaminou adultos e crianças. Após o acidente foi preciso criar o repositório: local isolado e profundo, recoberto com placas de chumbo (isolante), onde o lixo nuclear foi armazenado. Acesse o link e veja mais sobre esse acidente:

Dicas do Blog do Enem

1 – Relembre as principais unidades de medidas mais utilizadas nas questões de química dos vestibulares de todo Brasil e no Enem. Acesse o nosso link e veja tudo sobre as unidades e suas conversões. Aproveite essa oportunidade! https://blogdoenem.com.br/unidades-de-medidas-quimica/

– Relembre outros assuntos de química acessando o nosso blog www.blogdoenem.com.br e gabarite as questões de química nas provas dos vestibulares e do Enem.
Munique Química - Poluição
Os textos e exemplos de apresentação desta aula foram preparados pela professora Munique Dias para o Blog do Enem. Munique é formada em química pela UFSC, tem mestrado e atualmente cursa o doutorado em Engenharia. Química, também pela UFSC. Facebook: https://www.facebook.com/MuniqueDias .