Relações Internacionais – o curso de graduação e o mercado de trabalho

Você sabe o que faz o profissional formado em Relações Internacionais? Confira abaixo o que se estuda na graduação e quais as oportunidades do mercado de trabalho. Confira abaixo!

 

Relações internacionais é a área de estudos e de atuação profissional que cuida da condução das relações entre povos, nações e empresas nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial e do Direito. O profissional formado em Relações Internacionais analisa o cenário mundial, investiga mercados, avalia as possibilidades de negócios e aconselha investimentos no exterior. O profissional formado em relações internacionais está habilitado a negociar interesses e fazer a intermediação de acordos entre diversas partes, podendo trabalhar para países, estados, prefeituras, empresas privadas e ONGs seja buscando recursos, fechando parceiras ou projetos com diferentes objetivos.

relacoes internacionais

Perfil do profissional

Quem pretende cursar Relações Internacionais na faculdade precisa ser bom em geografia, ter facilidade para aprender idiomas e interesse por direito, economia, política e história. Mente aberta e compreensão global também são características exigidas pela profissão.

“É necessário ter tolerância cultural e empatia por outros povos. Também é preciso ter facilidade para estabelecer contatos e fazer amizades. Interesse por línguas é fundamental. Português, inglês e espanhol são básicos. É bom conseguir um diferencial como mandarim, por exemplo”, diz o assessor de relações internacionais da prefeitura de São Paulo, João Paulo Paixão, ouvido pelo G1.

Mercado de trabalho

O cenário atual está favorável para o profissional de Relações Internacionais. Dois fatores importantes prometem alavancar a profissão e expandir o mercado de trabalho no Brasil: a crescente preocupação com as questões ambientais e os eventos esportivos mundiais que serão sediados pelo país nos próximos anos. A internacionalização da economia também amplia o campo de atuação desse profissional, que pode trabalhar em ministérios, embaixadas e ONGs.

“O Brasil é a sétima economia mundial e está cada vez mais no foco das principais empresas no exterior”, afirma Paixão. Para ele, o Brasil está na moda e Copa e Olimpíadas vão ajudar a colocar o país de vez no mercado internacional.

A questão ecológica, outro aliado da profissão, se tornou discussão no mundo todo e exige uma negociação entre as nações para que o planeta não seja afetado. Como além de meio ambiente, o tema ecológico envolve interesses políticos, sociais e econômicos, um profissional multidisciplinar como o formado em relações internacionais, está habilitado a fazer a ponte entre as nações e instituições privadas.

A globalização exige que as empresas brasileiras alarguem seus horizontes e internacionalizem suas atividades. “O profissional em relações internacionais pode atuar em multinacionais como ‘diplomata corporativo’, trabalhando na elaboração e implantação de projetos, captação de investimentos, negociação internacional, dentre outras atividades”, explica o professor Matheus Souza, da Unijorge, ouvido pelo Guia do Estudante. As principais oportunidades de trabalho estão concentradas no eixo Rio-São Paulo e em Brasília, mas novas vagas aparecem em capitais nordestinas.

SALÁRIO INICIAL: de R$ 1.500,00 a R$ 1.800,00 – Fonte: prof. Matheus Souza, da Unijorge

O curso de graduação em relações internacionais

O currículo do curso de Relações Internacionais se divide em três grandes áreas: economia, política e direito. Durante a graduação de quatro anos, os alunos estudam bastante sociologia, economia e história. Questões sobre a guerra e a paz, o papel das organizações internacionais e a integração regional são alguns dos temas tradicionalmente tratados. Além disso, as aulas práticas colocam os alunos em situações de simulação de negociações políticas, empresariais, comerciais e diplomáticas. Trata-se de uma formação que exige muita leitura e o domínio de línguas estrangeiras – o inglês é indispensável. Na maioria das instituições de ensino é necessário que os estudantes façam estágio em empresas ou instituições públicas ou privadas que possuem atuação internacional. As escolas exigem a realização de um trabalho de conclusão de curso.

E depois da faculdade?

O Guia do Estudante preparou uma lista com as opções de caminhos que o estudante de Relações Internacionais pode seguir depois de formado. Confira a lista abaixo e veja se algum desses caminhos combina com os objetivos de vida que você tem:

Agências governamentais

Planejar ações dos governos federal, estaduais ou municipais nos setores político, econômico, comercial, social e cultural.

Analista internacional

Coletar dados e elaborar relatórios sobre a conjuntura internacional para órgãos governamentais, empresas privadas e ONGs. Participar da elaboração de programas de cooperação com outras nações.

Comércio exterior

Identificar oportunidades de comércio com outros países e intermediar a importação e a exportação de produtos.

ONDE ESTUDAR?
(CURSOS QUE FORAM CLASSIFICADOS COMO 5 ESTRELAS PELO GUIA DO ESTUDANTE)

– Universidade de Brasília (UnB) – Brasília, DF

– Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) – Rio de Janeiro, RJ

E aí, Relações internacionais era o que você estava procurando? Não? Então acesse o nosso Guia de profissões.