Faltam:
para o ENEM

União Ibérica e invasões holandesas – Parte II – História Enem

É hora de continuar a rever o conteúdo sobre a União Ibérica e as invasões holandesas. Cai no Enem e nos vestibulares de todo o Brasil. Não perca!

Veja como foi a ocupação e a administração holandesa no Brasil, e conheça o papel de Maurício de Nassau, que deixou registros até hoje respeitados em Pernambuco.

Na aula de hoje você vai ficar sabendo como foi a administração holandesa no Brasil e por que e como os holandeses foram expulsos do Nordeste brasileiro. Vamos começar então?

Administração holandesa no Brasil:

Nassau - União Ibérica e Invasões HolandesasO conde Maurício de Nassau (imagem) foi enviado para administrar o chamado “Brasil holandês” (Pernambuco) em 1637.  Aqui permaneceu até 1644. Nassau transferiu a sede do governo da cidade de Olinda para Recife e ficou responsável pela direção política, militar, financeira e judiciária da capitania.  A política de Nassau estava baseada em três pontos:

  • – Aos senhores de engenho luso-brasileiros foram concedidos empréstimos para que estes recuperassem suas lavouras destruídas com a guerra e comprassem equipamentos e escravos;
  • – A tolerância religiosa permitiu aos holandeses (calvinistas) ter apoio dos senhores de engenho (católicos) e capitais dos judeus;
  • – A cidade de Recife passou por uma série de mudanças: calçamento de ruas, abertura de canais, construção de pontes, praças, edifícios, jardins e hospitais.
Dica 1 – Esqueceu o que é calvinismo? Não se preocupe, o blog do Enem preparou um post especial para você sobre este conteúdo. Acesse: https://blogdoenem.com.br/reforma-protestante-anglicanismo-calvinismo/

 Você sabia que a administração de Nassau marcou profundamente Pernambuco? Até hoje ele é ainda lembrado!

História Enem: União Ibérica e invasões holandesas – Parte II

Nassau modernizou Recife construindo pontes e canais. Recife, PB, Museo do Estado.
História Enem: União Ibérica e invasões holandesas – Parte II
À esquerda o Palácio do Campo das Princesas, ao centro, o Teatro Santa Isabel e a praça da República (área verde atrás do teatro). Essas construções faziam parte da Cidade Maurícia. Recife, 2011.

Junto com Nassau vieram cientistas, pintores e homens de letras que estudaram as doenças tropicais, o uso medicinal de plantas brasileiras, a flora e a fauna, a geografia e a meteorologia do Nordeste brasileiro. Os pintores Frans Post e Albert Eckhout, por exemplo, retrataram as paisagens, os costumes, os animais, as frutas e as flores do Brasil.

História Enem: União Ibérica e invasões holandesas – Parte II
Mulher Tapuia, obra de Albert Eckhout, 1641.

Que tal assistir agora a dois vídeos sobre Maurício de Nassau? Nestes vídeos de Roberto C. M. Filho, Phelipe A. C. A. Soares e de Fátima M. Pontes você fica sabendo da importância de Nassau para Recife. Não perca!

Gostou? Então vamos continuar?

Como você deve ter percebido a administração de Nassau obteve sucesso em Pernambuco, ganhou a confiança da população local que aceitou seu governo sem maiores conflitos. Mas, isso não durou muito tempo.

Dica 2 – Ainda não leu a primeira parte do conteúdo sobre a União Ibérica e as Invasões holandesas? É importante para você entender por que os holandeses invadiram o Brasil. Então, acesse: https://blogdoenem.com.br/historia-uniao-iberica-invasoes-holandesas/

Por que e como os holandeses foram expulsos do Nordeste brasileiro:

Em 1640, Portugal conseguiu recuperar sua independência em relação à Espanha. Este movimento ficou conhecido como Restauração que pôs fim à União Ibérica. Mas o país estava falido! Dívidas, territórios coloniais perdidos, acentuada queda do comércio e da arrecadação de impostos impossibilitaram aos portugueses reaver de imediato territórios ocupados por estrangeiros. Por este motivo, os holandeses permaneceram no Nordeste até 1654.

Em 1641, Portugal assina com a Holanda um acordo de paz – esta trégua, que deveria se estender por 10 anos – permitiria a permanência dos holandeses no Brasil em troca do apoio da Holanda, caso Portugal entrasse em guerra novamente contra a Espanha.

Bem, acontece que neste mesmo ano, a companhia das Índias Ocidentais começou a pressionar Nassau para que este cobrasse o dinheiro emprestado aos senhores de engenho e restringisse o crédito dado a eles. Nassau não concordou e acabou demitindo-se do cargo, deixando o Brasil em 1644.

Sem a política conciliatória de Nassau a relação entre os holandeses e os colonos mudou. A cobrança dos empréstimos e dos juros elevados fez com que muitos senhores de engenho perdessem suas propriedades e outros fossem presos. Inconformados, em 1645, os colonos rebelaram-se na chamada Insurreição Pernambucana.

União Ibérica e Invasões Holandesas
Batalha dos Guararapes, pintura de Victor Meirelles, 1875-1879. Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro.

Em 1648 e 1649 luso-brasileiros e holandeses enfrentaram-se nas Batalhas dos Guararapes que foram ambas vencidas pelos luso-brasileiros. Chegava ao fim o julgo holandês no Nordeste Brasileiro!

Vamos revisar? Assista a estas aulas em vídeo do professor Eugênio Cristiano do HistóriaAção sobre todo o conteúdo da União Ibérica e invasões holandesas.

Exercício – Agora chegou a sua vez! Responda a esta questão de vestibular que o blog do Enem preparou para você!

(UEPR)

Leia o texto:

“Nassau chegou em 1637 e partiu em 1644, deixando a marca do administrador. Seu período é o mais brilhante de presença estrangeira. Nassau renovou a administração (…). Foi relativamente tolerante com os católicos, permitindo-lhes o livre exercício do culto, como também com os judeus (depois dele não houve a mesma tolerância, nem com os católicos, nem com os judeus — fato estranhável, pois a Companhia das Índias contava muito com eles, como acionistas ou em postos eminentes). Pensou no povo, dando-lhe diversões, melhorando as condições do porto e do núcleo urbano (…), fazendo museus de arte, parques botânicos e zoológicos, observatórios astronômicos.”
(Francisco lglésias)

Esse texto se refere:

a) (     ) à chegada e à instalação dos puritanos ingleses na Nova Inglaterra, em busca de liberdade religiosa.
b) (     ) à invasão holandesa no Brasil, no período de União Ibérica e à fundação da Nova Holanda no Nordeste açucareiro.
c) (     ) às invasões francesas no litoral fluminense e à instalação de uma sociedade cosmopolita no Rio de Janeiro.
d) (     ) ao domínio flamenco nas Antilhas e à criação de uma sociedade moderna, influenciada pelo Renascimento.
e) (     ) ao estabelecimento dos sefardins, expulsos na Guerra de Reconquista Ibérica, nos Países Baixos e à fundação da Companhia das Índias Ocidentais.

Resposta: A alternativa correta é a letra “b”.

Carla Regina História
O texto desta aula foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.