O que dá para fazer com 350 pontos do Enem?

Com 350 pontos no Enem, é possível ingressar em diversos cursos através do Sisu, Prouni e Fies. As notas de corte variam e cursos como Ciências Biológicas e Engenharia Agronômica estão acessíveis. Confira!

O Exame Nacional do Ensino Médio é um dos principais meios de acesso ao ensino superior no Brasil, e muitos estudantes se perguntam sobre suas possibilidades com diferentes pontuações. Você sabia que 350 pontos no Enem já podem garantir uma vaga na universidade?

Esta pontuação, embora não esteja entre as mais altas, abre portas para diversas oportunidades educacionais e pode ser o início de uma jornada acadêmica surpreendente.

O resultado oficial do exame será divulgado apenas no dia 16 de janeiro, mas você já pode fazer planos. Assim, quando as notas de corte do Sisu 2024 forem divulgadas, fica mais fácil ter uma ideia melhor quanto às suas alternativas. Vamos conferir? 

O que são notas de corte?

A nota de corte representa o limite mínimo de pontos necessários para um candidato ter a possibilidade de ingressar em um curso superior oferecido por instituições de ensino através de programas do governo, como Sisu, Prouni e Fies. Essa nota é baseada na relação entre a quantidade de vagas disponíveis e o nível de competição entre os candidatos para cada curso e universidade.

É essencial entender que a nota de corte não é fixa; ela varia a cada processo seletivo de acordo com a demanda pelos cursos e o desempenho dos candidatos. Além de ser um critério para admissão em universidades públicas, a nota de corte também influencia no acesso a bolsas de estudo e benefícios em faculdades privadas.

Para exemplificar, no Sisu 2023, a menor nota de corte foi 137,04 para o curso de Química Industrial, destinado a candidatos com deficiência, que estudaram integralmente em escolas públicas, independente de sua renda.

Essa mesma lógica aplica-se para calcular as possibilidades de admissão em outros cursos. Portanto, se um estudante conseguiu 350 pontos no Enem, já possui uma pontuação suficiente para começar uma graduação em alguns cursos.

Cursos para entrar com 350 pontos no Enem

Todos os anos, o Sisu abre portas para o ingresso em universidades públicas e federais. A seleção é feita com base na pontuação do Enem, e muda de acordo com a quantidade de vagas por curso e modalidade de concorrência. 

Como as médias das notas de corte do Sisu 2023 já são públicas, você pode ter uma noção dos cursos em que poderia concorrer com 350 pontos no Enem. A lista traz a pontuação necessária para diferentes tipos de cotas.

  • Ciências Biológicas: 260,2 – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) | Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • Engenharia Agronômica: 270,22 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IFBAIANO) | Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Física: 287,76 – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) | Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Engenharia Industrial Elétrica: 292,14 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) | Candidatos Quilombolas-Resolução n° 76/2022 CONSUP/IFBA
  • Engenharia Civil: 300,92 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) | Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Engenharia Química: 301,66 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) | Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Sistemas de Informação: 303,54 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) | V3985: Candidatos com deficiência que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o Ensino Médio em Escolas Públicas, no caso dos Cursos de Graduação
  • Gastronomia: 311,75 – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia  de Santa Catarina (IFSC) | Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Marketing: 317,72 – Instituto Federal de educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) | Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Medicina Veterinária: 353,78 – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) | Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
  • Direito: 359,12 – Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado (UNEMAT) | Estudantes com deficiência que cursaram integralmente o Ensino Médio em Escola Pública

Mudanças no Sisu 2024

Em 2024, o Sisu já vai adotar as atualizações da Lei de Cotas para o processo seletivo de estudantes, que inclui quilombolas e reduz a renda per capita para apenas um salário mínimo.  

Além dessas mudanças, todos os candidatos vão concorrer inicialmente às vagas de ampla concorrência. Somente quando não alcançarem as notas necessárias nessa categoria é que passarão a disputar as vagas reservadas pela Lei de Cotas.

E ainda tem mais: o processo seletivo passa a acontecer em apenas uma rodada anual, em janeiro. 

Mesmo depois da competição inicial, existe a possibilidade de garantir a sua oportunidade na lista de espera, já que o número de vagas pode aumentar devido a desistências. Ela representa uma chance adicional de garantir um lugar no curso desejado, mesmo para quem possui uma pontuação em torno de 350 pontos no Enem.

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: Enem, Ensino Superior, Sisu
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Intensivo
gapixel

intensivogapixel