Blocos econômicos – Geografia Enem

E aí, tudo certo? Que tal saber tudo sobre a “moda” econômica do final do século XX e início do XXI? Sim, estou falando dos Blocos Econômicos.

Apesar de não estar sendo tão comentado atualmente, mas são presença quase que certa no Enem pela vasta possibilidade de temas a serem trabalhados. Então, vamos nessa para aprofundarmos mais!

geo

O conceito de Blocos Econômicos apareceu na década de 1990. A principal ideia era de países se unirem para maiores abrangências comerciais, porém, essa estratégia vem acontecendo, principalmente após a 2ª Guerra Mundial.

Com isso, podemos observar a formação de vários blocos econômicos, mas quais são os requisitos para a formação de um bloco por completo? Bem, há passos a serem seguidos até a formação do bloco, como:

  • serem próximos geograficamente, ou pelo menos, ter uma ligação entre os membros;
  • estarem num patamar econômico semelhante, ou seja, sem muitas disparidades, para os mais ricos não terem mais vantagens que os mais pobres;
  • formar uma zona de livre comércio, ou seja, acordos comerciais de redução ou eliminação das tarifas alfandegárias entre os países membros do bloco.
  • ter uma união aduaneira – além de reduzir ou eliminar as tarifas comercias entre os países integrantes do bloco, regulamenta o comércio com as nações que não pertencem ao bloco através da TEC (Tarifa Externa Comum).
  • para, enfim, ter uma união econômica e monetária – evolução do mercado comum. Os países adotam a mesma política de desenvolvimento e uma moeda única.

Ou seja, na verdade, o mais próximo a ser considerado um bloco econômico por completo é a União Europeia. Só não é ainda porque nem todos os membros utilizam a moeda única.

Mesmo assim, temos alguns grupos de países que se destacam e tentam caminhar nessa direção.

UNIÃO EUROPEIA 

É uma união econômica e política de 28 Estados-membros independentes situados principalmente na Europa.[9] A UE tem as suas origens na Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) e na Comunidade Econômica Europeia (CEE), formadas por seis países em 1957. Nos anos que se seguiram, o território da UE foi aumentando de dimensão por meio da adesão de novos Estados-membros, ao mesmo tempo que aumentava a sua esfera de influência por meio da inclusão de novas competências políticas. O Tratado de Maastricht instituiu a União Europeia com o nome atual em 1993. A última revisão significativa aos princípios constitucionais da UE, o Tratado de Lisboa, entrou em vigor em 2009. Bruxelas é a capital de fato da União Europeia. Hoje são 28 países-membros, mas a Grã Bretanha tem sua saída anunciada após um plebiscito em julho de 2016.

MERCOSUL 

É uma organização intergovernamental fundada a partir do Tratado de Assunção de 1991. Estabelece uma integração, inicialmente, econômica configurada atualmente em uma união aduaneira, na qual há livre-comércio intrazona e política comercial comum entre os países-membros. Situados todos na América do Sul, são atualmente cinco membros plenos. Em sua formação original, o bloco era composto por ArgentinaBrasilParaguai e Uruguai; mais tarde, a Venezuela entrou. Encontra-se em fase de expansão, uma vez que a Bolívia aguarda a ratificação parlamentar de seu protocolo de adesão como membro pleno, documento que necessita ainda para sua vigência das aprovações legislativas na Bolívia, no Brasil e no Paraguai, os demais parlamentos já o aprovaram.

APEC

É um fórum de 21 países-membros localizado no Círculo do Pacífico,[1] que visa promover o livre comércio e a cooperação econômica em toda a região da Ásia-Pacífico. A organização foi criada em 1989, em resposta à crescente interdependência das economias da região Ásia-Pacífico e do advento dos blocos comerciais regionais em outras partes do mundo e aos temores de que o Japão (que é altamente industrializado e um membro do G8) passasse a dominar a atividade econômica na região. A APEC tem o objetivo de estabelecer novos mercados para os produtos agrícolas e matérias-primas para além da Europa (onde a demanda diminuiu).

NAFTA

Entrou em vigor em 1992, com um prazo de 15 anos para a total eliminação das barreiras alfandegárias entre os três países. Este comércio regional na América do Norte beneficiou a economia mexicana por pouco tempo. Alguns pesquisadores defendem que os Estados Unidos transformaram o Canadá e o México em “colônias” dos EUA, aumentando a pobreza no México e agravando o desemprego nos EUA.

Ficou com alguma dúvida sobre os blocos econômicos? Dá uma olhadinha na videoaula e depois volta para fazer os exercícios, ok? Bons estudos!

Videoaula

Exercícios

1 – Os blocos econômicos são a mais recente alternativa adotada pela maioria dos Estados do mundo para ampliar as suas respectivas relações econômicas. Tal aspecto vem contribuindo para a construção de uma nova forma de regionalização mundial. Assinale a alternativa que apresente a mais importante entre as causas para a formação dos blocos econômicos no mundo contemporâneo.

a) surgimento do dinheiro.

b) instalação da indústria avançada em nível global.

c) consolidação da Globalização.

d) transformação do capitalismo financeiro em capitalismo industrial.

e) emergência de um espírito mundial de solidariedade.

2 – “A formação de blocos econômicos tem por objetivo criar condições para dinamizar e intensificar a economia num mundo globalizado. Em todas as modalidades de blocos econômicos, o intuito é a redução e/ou eliminação das tarifas ou impostos de importação e exportação entre os países-membros”.

(Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/geografia/blocos-economicos.htm)

Com base na conceituação acima apresentada, assinale a alternativa que não apresenta um bloco econômico.

a) União Europeia

b) Mercosul

c) BRICS

d) Comunidade Andina

e) Comunidade dos Estados Independentes (CEI)

3 – O destino dos países é a formação dos Blocos Econômicos
Sem querer prever o futuro, Thomas Richter, alemão, doutor em Direito Comparado e professor visitante da USP, defende: a saída para os países é a união em blocos. Primeiro, para a criação de mercados, depois, atingindo as liberdades pessoais até chegar ao multiculturalismo.

Fonte: Diário do Nordesde, 02/11/2008. Disponível em: diariodonordeste.globo.com

De acordo com a configuração da economia do mercado, pode-se dizer que a previsão citada no texto é:

a) acertada, pois não é mais possível imaginar a globalização mundial sem a presença e atuação dos blocos econômicos.

b) equivocada, uma vez que os blocos econômicos são uma tática econômica atualmente em desuso no mundo afora.

c) acertada, porque os países desenvolvidos vêm se agrupando em blocos para fazer frente ao poderio dos Estados Unidos e da União Europeia.

d) equivocada, porque a formação dos blocos econômicos foi predominante no século XX e vem sendo substituída pelos agrupamentos políticos e comerciais, como a ONU (Organização das Nações Unidas) e a OMC (Organização Mundial do Comércio).

GABARITO

1 – C

2 – C

3 – A

Os textos e exemplos acima foram produzidos pelo professor Leandro, formado em Geografa pela Udesc. Leandro é professor de Geografia em escolas da Rede Particular de Ensino da Grande Florianópolis.17