Chegou o Fies 2018 2º semestre- Veja como financiar até 100% da mensalidade do seu curso

Inscrições para o FIES 2018: 16 a 22 de julho - Tire suas dúvidas sobre renda familiar mensal bruta per capita e veja como ela é importante para saber se você pode financiar 100% do valor da mensalidade pelo Fies. Veja abaixo as novas regras e quem pode e quem não pode conseguir o financiamento.

As mudanças nas regras para o FIES 2018 já estão valendo.  Saiba quem pode e quem não pode pedir financiamento pelo FIES – Programa de Financiamento Estudantil. Aqui você vai entender todo o processo e fazer tudo com segurança. Confira o Passo a Passo da inscrição para o 2º  semestre e veja as diferenças entre o Fies 1; Fies 2; e o Fies 3.

Tem nova rodada do FIES para o 2º  Semestre de 2018 – Afinal, quando se trata de financiar algo tão importante para o seu futuro, como a formação superior, não pode haver dúvidas antes de assinar o contrato do Fies.

Os valores são altos e a dívida é longa, mesmo com os juros baixos do programa. Não aceite pagar mensalidades acima da média. O MEC prometeu uma nova rodada do FIES para a segunda metade do mês de Julho de 2018.

Tudo sobre as mudanças no Fies 2018 – Para ajudar você o Blog do Enem traz todos os detalhes envolvendo a solicitação do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior. 

Há regras muito claras: Só podem concorrer ao financiamento do Fies 2018 com Juro Zero quem se enquadrar no critério econômico-social de ter Renda Familiar Mensal per capital de até 3 salários mínimos.

E,  os financiamentos com juros reduzidos valem para candidatos com Renda Familiar Mensal Per Capital de até cinco salários mínimos. Parece pouco, mas não é. Cabe muita gente aí, e pode ser a sua chance:

O cálculo da renda familiarVeja na imagem acima como é feito o cálculo da Renda Familiar Mensal Bruta Per Capita. É simples, e você aprende em cinco minutos e descobre se pode ou se não pode concorrer ao Financiamento Estudantil.

Confira as datas do FIES 2018

  • Calendário do FIES 2018
  • Inscrições: 16 a 22 de julho – Inscrições aqui
  • Resultado: 27 de julho
  • Comprovação: 27 a 31 de julho
  • Lista de Espera: 01 a 24 de agosto
  • O P-Fies não tem lista de espera.

As novas regras do FIES 2018 – O Ministério da Educação concluiu os estudos para mudar as regras do FIES a partir do ano de 2018. As novas condições para a oferta dos financiamentos buscam corrigir distorções que se verificaram desde 2010.

Uma delas, que é super importante para os candidatos, é que o financiamento mínimo para o Fies ‘Juro Zero’ passa a ser de pelo menos 50% do valor da mensalidade.Desde aquele ano e até 2014 a expansão de contratos sem exigências de contrapartida dos candidatos na garantia da dívida, e com pouco comprometimento das instituições de ensino para os casos de inadimplência acima de 45% provocaram um rombo nas contas do programa.

Mudanças no Fies 2018 para reduzir inadimplência

As novas regras do Programa criaram três categorias de Financiamento Estudantil. o Fies I, com 100 mil vagas e juro zero; o Fies II, com 150 mil vagas e juros subsidiados pelo governo; e o Fies III, com até  60 mil vagas, e com juros acima de 3% ao ano, mas abaixo dos níveis de mercado. Veja cada um deles:

Fies I – Com 100 mil vagas. Para atender os alunos comprovadamente em situação de carência socioeconômica, e que teriam financiamentos a juro zero. E, após a conclusão do curso, passariam a pagar o equivalente a até 10% do salário nas parcelas do financiamento. O dinheiro para financiar sairá do FNDE (Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação) E, a garantia em caso de inadimplência seria coberta pelo Governo Federal e pelas instituições de ensino. Já imaginou se você consegue uma vaga dessas? !?!

Fies II – 150 mil vagas. – Esta segunda categoria do Fies 2018 seria para candidatos com faixa de renda familiar mensal entre três e cinco salários mínimos mensais per capita, preferencialmente das regiões Norte, Nordeste, e Centro-Oeste.

Os juros cobrados serão de 3% ao ano, mais a correção monetária da inflação. O pagamento do financiamento começaria logo após o curso, com desconto das parcelas no salários dos candidatos que estiverem empregados, no limite de 10% da remuneração. O dinheiro não sai mais do FNDE, e virá de fundos regionais de desenvolvimento. As garantias, neste caso, terão os riscos compartilhados entre as instituiões de ensino, bancos públicos e bancos privados.

Fies III – 60 mil vagas – Por fim, uma terceira categoria de Fies está prevista para 2018, com financiamento para candidatos com renda familiar mensal per capita na faixa de três a cinco salários mínimos. Os juros serão maiores que 3%, mas com um teto abaixo dos juros do mercado. Não há limite de Região do país para a obtenção do Fies III. Neste plano as demais regras são idênticas à da categoria  do Fies II.

Outras opções além do FIES e do PROUNI

Então, se no seu cálculo da Renda Familiar Mensal Bruta per capita passar de 3 salários mínimos, adeus Fies sem juros. E, se o cálculo passar de cinco salários mínimos per capita, sem chances também para o Fies II e Fies III. Porém, nada de pensar em ficar de fora da Faculdade. Nada disso. Existem outras chances para você começar o curso superior, com bolsa de estudo.

Há Bolsas de Estudo em oferta para começar a faculdade em vagas que estão sobrando nas faculdades e universidades privadas, com descontos de até 75% no valor das mensalidades. E, neste caso, não há critério de exclusão pela Renda Familiar. Veja na imagem os cursos e as Bolsas de Estudo com inscrições abertas em todo o país:bolsa de estudos 3 passos

  • Veja como é o Cálculo da Renda Familiar para o Fies:

  • Você precisa calcular Se está na faixa de renda do programa, e o quanto a mensalidade do curso pretendido representa em termos percentuais sobre a Renda Familiar Mensal Bruta Per Capita. Calma que é simples de entender.
  • O valor da Renda Familiar Mensal Bruta Per Capita você obtém pela soma total da renda bruta ao mês de todos aqueles que compõem a sua família, e, em seguida dividindo este valor global pelo número dos integrantes da sua família.
  • Vale nesta conta dos membros da família tanto aqueles que estão trabalhando quanto os dependentes e agregados familiares (vó, avô, sobrinhos, aquele filho que muita gente tem e que fica morando ‘aos cuidados dos avós’, etc.).
  • O que importa é que estas pessoas vivam juntas e com o custeio da vida partilhado pela renda daqueles que trabalham ou que recebem aposentadorias, pensões ou benefícios.
  • Some todas as rendas e divida o valor resultante pelo total de pessoas que vivem dependendo deste somatório. Pronto, você chegou à Renda Familiar Mensal Bruta Per Capita.

    Dica importante – Você ficou em dúvida sobre como calcular a renda familiar mensal bruta per capita? Muita gente erra na conta porque não coloca na lista todos os membros do grupo familiar que residem na mesma casa. Veja se ficou com alguma pulga atrás da orelha, veja uma aula completa sobre como calcular certinho a Renda Familiar antes de prosseguir. Veja na imagem como fazer o cálculo da renda familiar em cinco minutos. É simples: cálculo da renda familiar

As Regras do Fies:

1 – Candidatos precisam ter média mínima de 450 pontos nas provas objetivas do Enem e não podem ter zerado na Redação. A nota do Enem passa a ser classificatória na disputa entre os candidatos;

2 – Vale a nota do Enem de qualquer edição desde 2010;

3 – Cursos avaliados com notas 4 e 5 (muito altas)  nos critérios do MEC têm a prioridade para ofertar vagas pelo Fies;

4 – Prioridade de vagas para cursos em Microrregiões com baixos Índices de Desenvolvimento Humano;

5 – 70% das vagas serão para cursos das áreas da Saúde, das Engenharias, e para Formar Professores;

6 – O limite de renda familiar mensal per capita é de 3 salários mínimos para o Financiamento sem juros, e de até 5 salários mínimos para o financiamento com juros. Veja aqui como calcular sua Renda Familiar em apenas 5 minutos;

7 – Você pode financiar até 100% da mensalidade. Isto depende do ‘grau de comprometimento’ da sua Renda Familiar com a mensalidade do curso. Veja aqui a tabela oficial do MEC para este cálculo;

8 – Inscrições para o FIESAcesse no botão de inscrições a página oficial do MEC para ver o calendário FIES 2018. Aqui > Inscrições do FIES

9 – Confira as maiores e menores Notas de Corte do FIES para calcular suas chances: As notas de corte do FIES

Conheça as condições econômicas do Financiamento pelo Fies

A principal vantagem é que com o Fies você estuda agora e apenas inicia o pagamento da parte financiada um ano e meio depois de concluir o curso.

Para entrar no Fies, além de cumprir os requisitos socioeconômicos, é preciso vencer a disputa  das Notas de Corte entre os concorrentes. Veja na imagem as Notas de Corte do Fies: Notas de Corte do FiesVeja também as Notas de Corte do Sisu. Os números são bem altos para Medicina, Engenharias e Direito, chegando a bater 800 pontos no Enem. Mas, as médias vão caindo para os cursos menos disputados, e dá para entrar em excelentes universidades públicas na faixa dos 600 pontos.

Clique na imagem para ver a lista completa das Notas de Corte do Sisu: notas de corte do Sisu

E aí, valeu? Mas, não é tudo ainda: Existem situações especiais de financiamento e de pagamento para estudantes matriculados em cursos de Licenciatura, para formar professores, e também alunos de Medicina. Veja também o site oficial do Fies no portal do MEC, para ajudar a esclarecer suas dúvidas: http://sisfiesportal.mec.gov.br/fies.html

Passo-a-Passo da inscrição do FIES

É simples fazer a inscrição no Fies. Veja na imagem um Passo a Passo completo para você fazer a sua e não perder a chance de concorrer: Inscrição Fies passo a passo

Ainda tem dúvidas? – Veja aqui o que é o FIES e todas as dicas para conseguir o financiamento:  https://blogdoenem.com.br/fies-faculdade-pagar/

Prejuízo Bilionário – O rombo de R$ 30 bilhões no Fies ocorreu pela expansão sem controle do programa, com pico de contratos sem garantia nos anos de 2013 e 2014, culminando com o uso do programa como marketing eleitoral na campanha que reelegeu Dilma Roussef. Veja no gráfico: Mas, você já sabe, o ‘Tesouro Nacional’ não existe. É apenas uma forma de se referir ao caixa para onde são direcionados os impostos que toda a sociedade paga. O prejuízo, então, é de todos os brasileiros.