Faltam:
para o ENEM

As diferentes Formas de Relevo – Revisão de Geografia Enem e Vestibular

Planaltos, Planícies, Depressões, Cadeias de Montanhas... A superfície terrestre não é homogênea. Ela apresenta uma série de irregularidades. Vamos estudar as suas formas e relembrar afinal o que é relevo? Cai no Enem e vestibulares, portanto acompanhe!

Relevo são as irregularidades que a superfície terrestre apresenta. Apresentam formas arredondadas, outras mais planas, submersas: oceanos e mares, ou emersas: nossos continentes e ilhas.

Através destas características o relevo pode ser classificado como continental ou submarino.  Veja agora ver os tipos de relevo:

Relevo continental

As formas mais estudadas do relevo são: os planaltos, as planícies, as cadeias de montanhas e as depressões.

 

 

 

 

Planaltos – Caracterizam-se por áreas situadas geralmente acima de 300m de altitude, porém sua altitude é variável. São áreas mais elevadas que as de sua volta. Eles também fornecem sedimentos para as áreas ao seu redor, formando planícies e depressões. Figura 1– Planalto (complexo regional do Centro Sul).As diferentes formas de relevo - Aula de revisão - Geografia Enem

 

Planícies

As planícies são as formas de relevo mais conhecidas, é onde o homem se estabelece, constrói suas moradias, suas civilizações, devido a sua forma plana. São de origem sedimentar, pois como são áreas mais baixas, elas acumulam sedimentos.

As Planicies se localizam em áreas de baixa altitude em relação ao nível do mar. Vamos ver quais as mais importantes no Brasil?As diferentes formas de relevo - Aula de revisão - Geografia EnemVeja nas figuras acima exemplos de planície habitada e de planície amazônica.

As planícies mais importantes do território brasileiro são: a Planície Litorânea, a Planície Amazônica e do Pantanal.

As Montanhas

As grandes cadeias de montanhas são denominadas assim (cadeiras) pela característica de reunirem várias montanhas unidas. Devido à sua altitude elas também fornecem materiais às áreas ao seu redor. Sofrem intenso desgaste, por serem íngremes. Um exemplo de conjunto de cadeias de montanhas são as cordilheiras.

As diferentes formas de relevo - Aula de revisão - Geografia EnemVeja nesta imagem uma perspectiva da Cordilheira do Himalaia

 

Depressões:

As depressões são áreas com altitudes mais baixa do que aquelas ao seu redor. Sofrem um intenso desgaste devido à água e o vento. Podem ser Relativas ou Absolutas. Confira:

Depressões Relativas – quando sua altitude é superior ao nível do mar e inferior à das regiões vizinhas.As diferentes formas de relevo - Aula de revisão - Geografia EnemVeja figura acima um exemplo de depressão relativa

Depressões Absolutas – São assim denominadas de Depressões Absolutas aquelas que apresentam altitude abaixo do nível do mar.

O Relevo Submarino

A constituição do Relevo Submarino é dada pelas Formas e Plataformas, os Taludes, as Ilhas e as Fossas Marinhas. Confira na imagem:As diferentes formas de relevo - Aula de revisão - Geografia Enem

O Relevo Brasileiro

Veja uma aula gratuita completa sobre a Classificação e as Características do Relevo do Território Brasileiro. Vale a pena, pois cai direto no Enem e nos Vestibulares. Confira aqui o Relevo Brasileiro: O Relevo Brasileiro


Aula Gratuita sobre as Formas de Relevo:

Não deixe de acompanhar estas ilustrações rápidas sobre as Formas de relevo. Lembre-se de que elas podem cair no Enem e nos Vestibulares:

Resolva a questão abaixo atentamente e bons estudos!

(Exercícios Brasil Escola) – Regiões que apresentam níveis muito elevados de altitude costumam apresentar climas mais frios, em função da menor pressão atmosférica existente nesse tipo de ambiente.

O tipo de relevo que registra a ocorrência dos fenômenos acima apresentados é:

a) Depressões relativas
b) Depressões absolutas
c) Planaltos
d) Cadeias de montanhas
e) Planícies

Resposta correta letra D.

Elizabeth Geografia Enem
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Elizabeth Noceti Pereira- formada em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como docente nas redes estadual e municipal da região da Grande Florianópolis.