Os Climas do Brasil: resumo de Geografia e Meio-Ambiente

Confira os diferentes tipos de Climas no Brasil e as classificações adotadas na Geografia: 1 Equatorial; 2 Tropical; 3 Tropical de altitude; 4 Tropical semiárido; e 5 Subtropical.  Veja agora:

Você consegue relacionar ‘de cabeça’ os Climas do Brasil, e confira as diferentes classificações em torno deste tema. O conteúdo é transversal, e relaciona Geografia & Meio Ambiente. É muito frequente no Enem, no Encceja e nos vestibulares também. Veja:

Os fatores que mais contribuem para a dinâmica climática do Brasil são a latitude, altitude, disposição do relevo e dinâmica das massas de ar. De acordo com essas características foram criadas as seguintes classificações climáticas do país, a partir da classificação de Lysia Bernardes, que leva em conta aspectos gerais, como altitude, latitude e precipitação.

Os climas do Brasil

  1. Clima equatorial;
  2. Clima tropical;
  3. Clima tropical de altitude;
  4. Clima tropical semiárido;
  5. Clima subtropical.

Resumo sobre o Clima

Veja com o professor Raphael Carrieri uma aula-show sobre os fundamentos da Climatologia. Assim você já entra com a base completa para entender os Climas do Brasil.

Muito bom o professor Carrieri. Têm mais aulas com ele no canal do Curso Enem Gratuito.

Classificação Climática

Dentre as classificações existentes a mais utilizada é mesmo esta da professora e geógrafa Lysia Bernardes, por ser mais objetiva e simples, e por levar em conta fatores básicos. classificação dos climas do BrasilVeja no mapa acima a proposta de Classificação de Lysia Bernardes.

A Dinâmica das massas de ar no Brasil

O território brasileiro sofre a influência de cinco massas de ar. A formação delas ocorre em lugares diferentes. São duas continentais (Equatorial Continental e Tropical Continental) e três marítimas (Polar Atlântica, Tropical Atlântica e Equatorial Atlântica). O nome da massa indica o lugar em que ela se forma.

Por aí, também é possível saber se elas serão quentes ou frias, úmidas ou secas. Por exemplo, uma massa de ar polar tem origem em um dos polos e será, necessariamente, fria. Se ela se formou sobre o continente (massa continental), terá mais chances de ser seca do que uma que se formou sobre o oceano.

 O Mapa das massas de ar no Brasil11908.png

Massa Equatorial Continental (MEC) – com características quente (baixa latitude) e úmida (área de muitos rios e domínio da floresta equatorial), originada na Amazônia ocidental, exerce influência em quase todo país durante o verão do hemisfério sul. É responsável pelas altas temperaturas e altos índices pluviométricos da região da Amazônia.

 Massa Equatorial Atlântica (MEA) – Massa quente e úmida que se forma na porção do atlântico próximo a região equatorial. Durante o verão do hemisfério sul pode descer e penetrar pelo litoral das regiões Norte e Nordeste, causando chuvas.

Massa Tropical Continental (MTC) – Origina-se na área de depressão do Chaco Paraguaio. É uma área de altas temperaturas e pouca umidade, portanto, apresenta características quente e seca. Atua principalmente na região do centro-oeste e em partes do sul e sudeste durante os períodos de outono inverno.

Pode provocar ainda o bloqueio atmosférico que impede a chegada de massa de ar frio vindo do sul nos meses de maio e junho, caracterizando o que se denomina de veranico.

 Massa tropical atlântica (MTA) – Quente e úmida, origina-se no atlântico Sul e atua em toda faixa litorânea brasileira que se vai do Nordeste ao sul do Brasil.

O encontro desta massa de ar com a Polar atlântica, que chega da Argentina principalmente durante o inverno, provoca as tão famosas e odiadas frentes frias tão frequentes não só aqui em nossa cidade, como em toda região sul e sudeste.

Também nessas regiões, o encontro desta massa com as áreas de relevos mais elevados da Serra do Mar provocam as chuvas orográficas ou de relevo durante todo ano.

os climas do Brasil

Massa polar Atlântica (MPA) – Por ser formada no oceano no litoral sul da Argentina, apresenta características fria e úmida.

Ao penetrar no Brasil, pode tomar três direções distintas, provocando os seguintes fenômenos: Frentes frias – quando ela sobe pelo litoral e encontra a mTa (já explicado anteriormente); “Friagem” – quando, penetrando pelas planícies da área central do país, a massa chega ao oeste da Amazônia, causando queda brusca de temperatura.

E, finalmente, quando sobe pelos vales e serras do Sul do Brasil, ela provoca a formação de geada, precipitação de neve ou fortes ventos, como o Minuano e o Pampeiro.

Veja as Camadas da Atmosfera

Confira agora com o professor Carrieri um resumo para você entender a dinâmica das camadas da Atmosfera. Veja aí:

Mandou bem o Carrieri. E você, dominou o conteúdo também?

Aulas Complementares sobre o Clima:

Dica 1 – Geografia Enem – Revise sobre os aspectos do Clima Mundial! – https://blogdoenem.com.br/geografia-enem-clima-mundial/ 
Dica 2 – Geografia Enem – Saiba mais sobre a Região Sul e suas paisagens – https://blogdoenem.com.br/geografia-enem-regiao-sul/