Grécia Antiga: Período Clássico – História Enem e Vestibular

Aproveite para revisar o período Helenístico da história grega antiga para o Enem e Vestibulares.!

Este post tem por objetivo revisar o conteúdo do Período Helenístico da Civilização Grega. Nesta época toda a Grécia, ou Hélade, esteve sob hegemonia dos macedônios. Veja:

Se durante o período clássico ocorreu na Grécia o apogeu das Cidades-Estados, bem como tudo aquilo que representa esta forma de organização política, durante o período helenístico, ou apenas helenismo, a própria cultura grega viverá um momento de grande expansão e influência sobre grande parte do mundo conhecido na época.

Este período tem duração de aproximadamente trezentos anos, tendo início durante as conquistas de Alexandre e seu fim no momento em que os romanos passam a exercer maior influência no mundo antigo.

Destacaremos as conquistas de Alexandre O Grande e a expansão da cultura grega pelo império Persa. Vamos Lá?

A imagem consiste em uma moeda de prata produzida no período em que Alexandre O Grande reinou sobre grande parte do mundo conhecido (século IV). O objeto é de prata e foi encontrado em uma caverna israelense juntamente com outros objetos de valor.

Percebeu a importância de Alexandre O Grande? Com estes aspectos da história é impossível compreender o helenismo sem analisarmos a figura do próprio  Alexandre e sua terra natal, a Macedônia. Todavia, o domínio macedônio sobre a Hélade é fruto da atuação de Filipe II, rei da Macedônia e pai de Alexandre.

Muitos gregos não consideravam a Macedônia parte de seu mundo. Este estado, situado na região mais ao norte do território Heleno, região conhecida como Tessália, foi inserido no contexto grego por intermédio de Tebas, maior cidade da região. Em verdade, os Macedônios expressavam tanto tradições culturais gregas quanto bárbaras.

Surgem as Falanges no campo de guerra – Filipe II foi feito refém pelos tebanos e na ocasião estudou a fundo as táticas militares dos hoplitas. Regressando a Macedônia, desenvolveu uma tática militar capaz de superar os demais chamada de falange. Em resumo, a falange agregava dez fileiras de infantaria com lanças de tamanho maior, aumentando a distância entre os próprios soldados e as fileiras inimigas durante o choque. Confira na imagem abaixo:Ao analisar a imagem podemos verificar que as lanças macedônicas eram maiores, aumentando a distância entre os soldados macedônicos durante a carga. As lanças poderiam variar de tamanho, dos menores para maiores de acordo com o posicionamento do soldado dentro da formação. Aumentando o número de pontas e reduzindo o espaço de luta do exército inimigo.

Em 359 a.C Filipe II assumiu o controle da Macedônia e me breve seria aclamado rei, após dar um golpe de estado sobre o sobrinho, Amintas IV, o verdadeiro herdeiro do trono. Todavia, tendo sido capaz de aumentar o poderio militar e econômico do reino, os nobres terminaram por legitimar a posição de Filipe II enquanto rei.

Após assegurar sua posição diante do próprio reino, Filipe lançou-se ao desafio de submeter toda a Grécia aos seus desígnios ao dominar a Liga de Corinto. Cabe relembrar que tudo isso foi facilitado pelas conseqüências da Guerra do Peloponeso que enfraqueceu toda a Grécia durante o fim do período clássico. Enfraquecidos e desunidos os gregos sucumbiram ao poderio macedônico.

Alexandre assumiu o reino em 336 a.C após a morte do pai, e lançou-se ao desafio de conquistar o Império Persa. O grande filósofo Aristóteles figura entre as pessoas que o influenciaram, tendo aquele sido preceptor do último. Pode-se se dizer que o desejo de conquista dos Persas seja fruto desta influência, visto que o próprio Aristóteles nutria ódio profundo em relação aos bárbaros.

Desta forma, após assegurar sua posição enquanto Rei da Macedônia e líder supremo da Liga de Corinto, por volta de 333 a.C Alexandre marchou sobre a Ásia, derrotando o imperador Persa Dario III em menos de quatro anos. As principais batalhas disputadas entre gregos e persas foram Grânico, Isso e Gaugamela. Educado e treinado nas artes da guerra, Alexandre conquistaria um vasto território, tornando-se senhor de grande parte do mundo antigo antes dos 30 anos de vida.

Entretanto, o gênio de Alexandre iniciou um projeto muito maior, de verdadeira expansão da cultura grega por todo este vasto território. Assim sendo, o filho de Filipe II empreenderia o maior sincretismo cultural do mundo antigo. Por toda a Ásia, Oriente Médio e Egito cidades foram fundadas, recebendo o nome de Alexandria. A egípcia viria seria em breve transformada em capital do milenar reino egípcio.

O grego passou ser falado por todos os cantos do império macedônico e casamentos entre gregos e bárbaros foram incentivados, com o intuito de reduzir as diferenças culturais através da formação de laços familiares. O próprio Alexandre casou-se com a filha de Dario III e com uma princesa do interior do império persa.

3
Fonte: http://www.megacurioso.com.br/ciencia/70028-conheca-10-razoes-que-explicam-porque-alexandre-e-chamado-de-o-grande.htm

O mapa aponta toda a extensão do império macedônico, indicando os itinerários feitos pelas tropas de Alexandre além de sinalizar a localização das diversas cidades (Alexandrias) fundadas por este ao longo de suas campanhas militares.

Em 323 a.C Alexandre O Grande morreu na Babilônia sem deixar herdeiros consolidados e seu império sucumbiu a luta de seus generais. Em pouco tempo a civilização romana anexaria boa parte desses territórios ao longo de sua própria história, mas o legado cultural grego já havia criado raízes.

O período helenístico representa um momento de ascensão da ciência e cultura nos mais diversos campos do conhecimento. Na medicina podemos citar Herófilo, considerado pai da anatomia e Erasístrato, precursor dos estudos de fisiologia.

Na matemática citamos a atuação de Apolônio de Perga, Euclídes e Arquimedes de Siracusa. Por sua vez, a arquitetura foi marcada pela influência oriental. Na filosofia, correntes como o cinismo, ceticismo, epicurismo e estoicismo, marcadas pelo individualismo e busca da felicidade prosperaram.

Para aprender mais sobre o Período Helenístico, veja o documentário a seguir:

https://www.youtube.com/watch?v=PBvZj5Qj3Qs

Exercícios

1- (UFRN) Felipe II, rei da Macedônia, conquistou a Grécia. Seu filho, Alexandre, o Grande, consolidou as conquistas do pai e expandiu o império em direção à Ásia, chegando até a Índia. Na perspectiva histórica, a obra de Alexandre e de seus sucessores imediatos foi importante porque:

a) substituiu a visão mística do mundo, presente nos povos orientais, pelo reconhecimento intelectual proveniente da razão e do raciocínio lógico.

b) favoreceu a difusão do modelo político das cidades-Estados da Grécia pelas regiões conquistadas no Oriente, estimulando um governo fundamentado na liberdade e na democracia.

c) suplantou o poder despótico predominante nos grandes impérios orientais, os quais atribuíam aos governantes uma origem divina.

d) possibilitou o intercâmbio de culturas, difundindo as tradições gregas nas terras do Oriente, enquanto as mesopotâmicas, egípcias, hebraicas e persas expandiram-se para o Ocidente.

Resposta: D

 

2- “Lá fica a casa de Afrodite. Pois tudo que existe pode ser encontrado no Egito: riquezas, esportes, poder, clima agradável, glória, espetáculos, filósofos, joias de ouro, belos jovens, templo dos deuses irmão e irmã, excelente rei, museu, vinho, todos os prazeres que desejais, mulheres em tão grande número que […] o céu não pode se vangloriar de um igual número de estrelas: e são as mulheres tão bonitas quanto as deusas que, no passado, pediram a Páris para julgar quem era a mais bela.”

Herondas, Mimo I, A alcoviteira, v. 26-35. In: SALLES, Catherine. Nos submundos da Antiguidade. São Paulo: Brasiliense, 1982. p. 42.

O texto acima é um dos mimos de Herondas, comédias que retratavam com detalhes a vida urbana, e refere-se à cidade de Alexandria no Egito. Há uma clara referência à mescla cultural entre o Ocidente e o Oriente, ao mostrar a presença da cultura grega em uma cidade localizada no Egito.

O texto apresenta os elementos que caracterizaram na Grécia Antiga o período conhecido como:

a) Homérico.

b) Clássico.

c) Minoico.

d) Helenístico.

Reposta: D

 

3- Quais das correntes filosóficas abaixo podem ser consideradas do período helenístico:

a) modismo, marxismo e capitalismo

b) estoicismo, epicurismo e modismo

c) epicurismo, cinismo, estoicismo e pirronismo (ceticismo)

d) platonismo e neoplatonismo

e) epicurismo, platonismo, estoicismo e pirronismo (ceticismo)

Resposta: C

 

4- (UFPB 2008) O filme Alexandre representou a vida do famoso imperador da Macedônia que constituiu um grande império, incluindo a Grécia, o Egito, a Síria, a Pérsia, indo até as fronteiras com a Índia. Alexandre foi educado pelo filósofo Aristóteles e o seu registro memorável na História deve-se, além de seus feitos militares, à difusão da cultura grega nas regiões do Oriente por ele conquistadas. Esse processo histórico-cultural, conhecido como helenismo, caracterizou-se pelo(a):

a) formação de uma nova cultura, sem elementos culturais gregos nem orientais.

b) desaparecimento das culturas orientais diante da cultura grega ou helênica.

c) conflito cultural irreconciliável entre a cultura grega e as culturas orientais.

d) desaparecimento da cultura grega diante das culturas orientais (persa e egípcia).

e) constituição de uma cultura diferenciada, com elementos gregos e orientais.

Resposta: E

Bruno História
Os textos e exemplos acima foram preparados pelo professor Bruno Anderson para o Blog do Enem. Bruno é historiador formado pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de história em escolas da Grande Florianópolis desde 2012. Facebook e Twitter.