Faltam:
para o ENEM

A República Velha no Brasil (1889-1930) – História vestibular e Enem.

É hora de relembrar o conteúdo sobre a República Velha no Brasil. Começa com o fim da Monarquia, em 1889, com um golpe dado pelos militares. O poder passa aos civis, que praticam o revezamento 'Cafe com Leite', que segue até 1930, quando Getúlio Vargas toma o poder com um novo movimento liderado por militares. Fique ligado! Cai no Enem e nos vestibulares. Veja abaixo.

Veja como era a política e o exercício do poder no Brasil  República antes de Getúlio Vargas assumir a presidência em 1930. Tudo mudou em relação ao que era o país desde 1889 e até 1929. Confira.

Em 15 de novembro de 1889 com a derrubada da monarquia pelos militares tem início no Brasil a chamada República Velha, com a presidência do Marechal Deodoro da Fonseca. Este período é também denominado de Primeira República.  Ha também a denominação de República da Espada, compreendendo os ciclos do presidente Deodoro da Fonseca e do também presidente militar Floriano Peixoto.

Você sabia que este período da História Política do Brasil (1889 a 1930) se divide em dois momentos distintos? Não? Então preste atenção!

Tomando como referência o controle político do Estado brasileiro é possível identificar duas fases distintas: a República da Espada (1889-1894) e a República Oligárquica ou República do Café com Leite (1894-1930). Esta divisão sintetiza o conjunto de forças que encabeçaram o golpe de 15 de novembro de 1889 composto por líderes militares e civis. Os dois períodos estão contigos na República Velha.

Fique atento! O golpe de 15 de novembro de 1889 que derrubou a Monarquia e deu início à República não contou com a participação popular (povo), mas com o apoio de três grupos políticos: o grupo dos grandes proprietários rurais, o grupo dos militares e o grupo formado de segmentos variados da população urbana (pequenos proprietários, profissionais liberais, jornalistas, professores e estudantes).

História Enem
Fonte: EDITORA MODERNA. Projeto Araribá: História 9º. ano. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2007. p. 50.

A ilustração ao lado de Ângelo Agostini retrata o reconhecimento da república brasileira pelo governo da França em 14 de junho de 1890. Nela vemos a bandeira francesa à esquerda e a bandeira brasileira, à direita.

Para realizar a transição do Império para a República os líderes do movimento compuseram um Governo Provisório sob a chefia do marechal Deodoro da Fonseca. Deodoro compôs o seu ministério com civis e militares:

  • Rui Barbosa – ministro da Fazenda;
  • Quintino Bocaiúva – ministro das Relações Exteriores;
  • Campos Sales – ministro da Justiça;
  • Benjamin Constant – ministro da Guerra;
  • Wandenkolk – ministro da Marinha;
  • Demétrio Ribeiro – ministro da Agricultura;
  • Aristides Lobo – ministro do Interior.

A Constituição de 1891 –  Para consolidar o novo regime os membros desse governo reconheciam a necessidade de instituir uma nova Constituição que deveria ser elaborada por uma Assembléia de representantes do povo. A primeira Constituição da República e a segunda do Brasil foi promulgada no dia 24 de fevereiro de 1891. A nova lei foi aprovada por uma Assembléia Constituinte composta em sua maioria por representantes dos senhores de terra e militares.

História - Constituição do Brasil

Observe alguns pontos estabelecidos pela lei:

  • O Brasil passou a ser uma república presidencialista, organizada em três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário;
  • As antigas províncias transformaram-se em estados, organizados numa república federativa;
  • Estabeleceu-se o voto direto e universal para os cidadãos maiores de 21 anos e alfabetizados. Mendigos, praças (militares que não tinham patente de oficial), religiosos e mulheres não podiam votar.
  • A Igreja separou-se do Estado. Deixou de existir uma religião oficial no Brasil. Instituiu-se o casamento civil e a liberdade de culto para todas as crenças religiosas;
  • Determinou-se o caráter leigo (não religioso) do ensino ministrado nos estabelecimentos públicos;
  • Extinguiu-se a pena de morte;
  • O Brasil passou a se chamar República dos Estados Unidos do Brasil.

Atenção: o ideal federativo tanto almejado pelas elites agrárias está presente não apenas na autonomia regional, mas também no nome do nosso país!

Aula Gratuita sobre a República Velha – Que tal agora aprender um pouco mais sobre este conteúdo? Assista às aulas em vídeo do canal Historiação Humanas e fique atento principalmente ao significado de federalismo.

Exercícios

– Agora chegou a sua vez! Responda a estas questões sobre a República Velha que o blog do Enem preparou para você!

Questão 1 – (FAAP) Seu texto, bastante inspirado na Constituição dos Estados Unidos, adotava os princípios liberais tradicionais: maior equilíbrio entre os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, maior autonomia para os Estados (as antigas províncias), separação entre o Estado e a Igreja. O direito de voto foi estendido a todos os homens maiores de 21 anos. Não votavam os analfabetos, os soldados, nem as mulheres. Estamos falando da Constituição de

  1. a) ( ) 1822    b) ( ) 1824     c) ( ) 1891     d) ( ) 1934     e) ( ) 1937

Resposta: a resposta correta é a letra “c”.

Questão 2 – (MACKENZIE) O movimento resultou da conjugação de três forças: uma parcela do exército, fazendeiros do oeste paulista e representantes das classes médias urbanas. (Emilia Viotti) Momentaneamente unidas, segundo a autora, conservaram profundas divergências na organização do novo regime. Identifique o fato histórico mencionado pelo texto.

  1. a) ( ) Abdicação do imperador Pedro I.
  2. b) ( ) Proclamação da República.
  3. c) ( ) Ato Adicional de 1834.
  4. d) ( ) Organização do Gabinete de Conciliação.
  5. e) ( ) Introdução do Parlamentarismo como sistema político.

Resposta: a resposta correta é a letra “b”.

Carla Regina História
O texto desta aula sobre a República Velha foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.