Monteiro Lobato – Literatura vestibular e Enem

Conheça a história do autor de “O Sítio do Picapau Amarelo” e da campanha 'O Petróleo é Nosso', que resultou na criação da Petrobrás. Ele escreveu ainda outra bateria enorme de livros importantes. Revisão sobre Monteiro Lobaro para Literatura e História no vestibular e no Enem. Veja abaixo.

Monteiro Lobato – Você já assistiu episódios ou leu livros da série ‘O Sítio do Picapau Amarelo’?  Foi ele quem escreveu. Sabe a Petrobrás? – Foi ele que sugeriu há mais de 70 anos a campanha ‘O Petróleo é Nosso’, que levou à criação da Petrobrás. Então, Monteiro Lobato tem ‘conteúdo’ e cai no vestibular e no Enem. Veja!

Monteiro Lobato foi contista, ensaísta, tradutor e um pioneiro na discussão do desenvolvimento estratégico do Brasil. Este grande nome da literatura brasileira nasceu na cidade de Taubaté, interior de São Paulo, no ano de 1882. Formado em Direito, atuou como promotor público até se tornar fazendeiro, após receber herança deixada pelo avô.

Diante de um novo estilo de vida, Lobato passou a publicar seus primeiros contos em jornais e revistas, sendo que, posteriormente, reuniu uma série deles em Urupês, obra prima deste famoso escritor.

Em uma época em que os livros brasileiros eram editados em Paris ou Lisboa, Monteiro Lobato tornou-se também editor, passando a editar livros também no Brasil. Com isso, ele implantou uma série de renovações nos livros didáticos e infantis, além de escrever sobre temas administrativos e estratégicos para o desenvolvimento do Brasil.

Literatura Enem

Este notável escritor é bastante conhecido entre as crianças, pois se dedicou a um estilo de escrita com linguagem simples na serie O Sitio do Pica-pau Amarelo, onde realidade e fantasia estão lado a lado. Pode-se dizer que ele foi o precursor da literatura infantil no Brasil.

O Sítio do Pia-pau Amarelo

Suas personagens mais conhecidas da coleção O Sítio do Picappau Amarelo são: Emília, uma boneca de pano com sentimentos e ideias independentes; Pedrinho, personagem que o autor se identifica quando criança; Visconde de Sabugosa, uma sábia espiga de milho que tem atitudes de adulto; Cuca, vilã que aterroriza a todos do sítio; Narizinho, menina que faz o contraponto com Pedrinho nas aventuras; Dona Benta, avó de Pedrinho e de Narizinho, matriarca da família e dona do sítio; Tia Anastácia, cozinheira agregada à família, que faz a cumplicidade com os meninos e os demais personagens nas aventuras e travessuras;  Saci Pererê, e outras personagens que fazem parte da inesquecível obra: O Sítio do Pica-Pau Amarelo, que até hoje encanta muitas crianças e adultos.

Escreveu ainda outras incríveis obras infantis, como: A Menina do Nariz Arrebitado, O Saci, Fábulas do Marquês de Rabicó, Aventuras do Príncipe, Noivado de Narizinho, Memórias da Emília, O Poço do Visconde, O Pica-Pau Amarelo e A Chave do Tamanho.

Campanha que deu origem à Petrobrás

Fora os livros infantis, este escritor brasileiro escreveu outras obras literárias, tais como: O Choque das Raças, Urupês, A Barca de Gleyre e o Escândalo do Petróleo. Neste último livro, demonstra todo seu nacionalismo, posicionando-se totalmente favorável à exploração do petróleo apenas por empresas brasileiras. Sua campanha resultou anos depois na criação da Petrobrás. No ano de 1948, o Brasil perdeu este grande talento que tanto contribuiu com o desenvolvimento de nossa literatura.

Polêmica com Anita Malfati – Uma grande polêmica que envolve a atuação de Lobato enquanto jornalista foi uma crítica que ele escreveu durante a Semana de Arte Moderna, no ano de 1922, em que fez ácidos comentários sobre pintora Anita Malfatti, em que classificava as teorias do movimento modernista como ‘efêmeras’. Monteiro Lobato acabou entrando para a história do Movimento de 1922 pela postura crítica que adotou.

Literatura EnemCaricatura de Lobato, junto a um poço de petróleo

Frases de Monteiro Lobato

“De escrever para marmanjos já estou enjoado. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo.”
“É errado pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião.”
“O livro é uma mercadoria como qualquer outra; não há diferença entre o livro e um artigo de alimentação. (…) Se o livro não vende é porque ele não presta”.
“Tudo tem origem nos sonhos. Primeiro sonhamos, depois fazemos.”

Saiba mais sobre Monteiro Lobato nesta aula do canal Almanaque Urupês, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ozrWJz-btl0]

 

Dica 1 – Relembre sobre as principais características do Pré-Modernismo aqui nesta aula de revisão para Literatura Enem .
Dica 2 – Revise sobre as principais características do Simbolismo aqui nesta aula preparatória para prova de Literatura Enem .

Desafios para você e compartilhar a resolução das questões:

Leia o texto e responda às questões de 1 a 3.

Pau de Dois Bicos

Um morcego estonteado pousou certa vez no ninho da coruja, e ali ficaria de dentro se a coruja ao regressar não investisse contra ele.

– Miserável bicho! Pois te atreves a entrar em minha casa, sabendo que odeio a família dos ratos?

– Achas então que sou rato? Não tenho asas e não vôo como tu? Rato, eu? Essa é boa!… A coruja não sabia discutir e, vencida de tais razões, poupou-lhe a pele.

Dias depois, o finório morcego planta-se no casebre do gato-do-mato. O gato entra, dá com ele e chia de cólera.

– Miserável bicho! Pois te atreves a entrar em minha toca, sabendo que detesto as aves?

– E quem te disse que sou ave? – retruca o cínico – sou muito bom bicho de pêlo, como tu, não vês?

– Mas voas!…

– Vôo de mentira, por fingimento…

Mas tem asas!

– Asas? Que tolice! O que faz a asa são as penas e quem já viu penas em morcego? Sou animal de pêlo, dos legítimos, e inimigo das aves como tu. Ave, eu? É boa…

O gato embasbacou, e o morcego conseguiu retirar-se dali são e salvo.

Moral da Estória: O segredo de certos homens está nesta política do morcego. É vermelho? Tome vermelho. É branco? Viva o branco!

(MONTEIRO LOBATO, José Bento. Fábulas. 45. ed. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 49.)

Questão 01

O texto Pau de dois bicos é uma fábula,

a) pelo predomínio do discurso direto, com consequente apagamento da figura do narrador.

b) pois o tempo cronológico é marcado pela expressão “certa vez” e pelos verbos no passado.

c) pois apresenta trama pouco definida e trata de problemas cotidianos imediatos, o que lhe confere caráter jornalístico.

d) por utilizar elemento fantástico, como o fato de os animais falarem, para refletir sobre problemas humanos.

e) por resgatar a tradição alegórica de representação de seres heróicos que encarnam forças da natureza.

Questão 02

Considerando o trecho em negrito no texto Pau de dois bicos, assinale a alternativa correta. Nos dois casos, a palavra “mas”

a) opõe-se ao argumento “sou muito bom bicho de pelo”.

b) revela a causa do “voo de mentira”.

c) expressa a consequência dos fatos narrados.

d) marca a condição do “voo de mentira”.

e) explica o argumento “sou muito bom bicho de pelo”.

Dica 3 – Revise tudo sobre Machado de Assis em mais esta aula de Literatura Enem. Estude com a gente para o Exame Nacional do Ensino Médio! – https://blogdoenem.com.br/machado-de-assis-literatura-enem/

Questão 03

A hesitação do gato, na fábula, deve-se

a) à contradição existente entre a fala do morcego e a da pomba e suas características físicas.

b) à tentativa frustrada do morcego e da pomba em disfarçarem sua condição, apelando para o fingimento e a mentira.

c) ao medo de serem agredidos pelas garras afiadas do morcego e pelo bico semiaberto da pomba.

d) à aversão do gato e do caçador em relação à aparência física dos morcegos.

e) à postura submissa da pomba e do morcego diante dos olhares arregalados do caçador e do gato.

Texto para questões 04 e 05.

Coqueiros, 20 de Março de 1.936

Prezado Senhor Monteiro Lobato,

Agradeço imensamente a sua carta que muito me alegrou. Ideias boas como as da Emília não tive, mas gostaria que o senhor escrevesse mais algumas histórias de aventuras em que apareça Peter Pan. Esta é a minha ideia:

Um dia, Pedrinho estava passeando no terreiro quando ouviu um zunido. Era Peter Pan que chegara da Terra do Nunca e vinha convidar os meninos para ir até lá. Depois de vários preparativos, partiram sem o consentimento de dona Benta que, como de costume, ficava horrorizada com essas viagens. Logo que lá chegaram começou uma série de aventuras. Eis, pois, as minhas ideias, que eu não acho tão boas como as da Emília, mas talvez sirvam.

Queira aceitar um abraço da amiguinha

Tagea Bjórnberg

(Fonte: UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Instituto de Estudos Brasileiros. Arquivo Raul de Andrada e Silva. São Paulo, USP, [19-].)

Questão 04

A parte da carta que apresenta uma despedida é:

a) “Prezado senhor Monteiro Lobato”.

b) “Esta é a minha ideia”.

c) “Queira aceitar um abraço da amiguinha”.

d) “Tagea Bjórnberg”.

e) “Logo que lá chegaram”.

Questão 05

As palavras Pedrinho e amiguinha estão no:

a) No grau aumentativo do substantivo.

b) No grau comparativo de inferioridade do adjetivo.

c) No grau superlativo do adjetivo.

d) No grau diminutivo do substantivo.

e) No grau diminutivo do adjetivo.

 

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!