Mosquitos Transgênicos: nova arma de combate à dengue e ao Zika vírus. É Biologia Enem!

Já ocorreu a primeira soltura de mosquitos transgênicos (Aedes aegypti) no Brasil. Veja o que eles têm de diferente para ajudar no combate à Dengue. Vale como conteúdo de Biologia para o Enem (Genética), e também como assunto de Atualidades, ou tema de Redação Enem. Confira abaixo!

Aedes aegypti – está aí um danado de um mosquito que tem feito milhares de vítimas em nosso país. Transmissor da dengue e do Zika vírus, o Aedes não para de se proliferar nas terras tupiniquins aumentando os casos de doenças a cada ano.

Para combatê-lo, os cientistas bolaram uma nova arma: mosquitos transgênicos, prontos para namorar as fêmeas comuns e produzirem filhotes incapazes de chegarem à vida adulta.

Saiba mais como a transgenia pode atuar contra a dengue aqui com o Blog do Enem! É conteúdo de genética nas questões de Biologia. E vale como proposta de Tema de Redação também, dentro de Atualidades.

Mosquitos transgênicos

A linhagem OX513A de mosquitos Aedes aegypti geneticamente modificados foi criada em um laboratório da Universidade de Oxford, na Inglaterra, em 2002.  Esta linhagem contém mosquitos praticamente idênticos aos mosquitos “selvagens”, exceto por dois genes transgênicos (ou seja, inseridos/modificados pelo homem): um deles faz com que as larvas brilhem sob uma luz especial (para que os cientistas possam identificá-las) e o outro mata os filhotes antes que cheguem a idade adulta e possam se reproduzir.

E é neste segundo gene que está o “pulo do gato” desta técnica: quando os mosquitos machos transgênicos se reproduzem com as fêmeas “silvestres”, estas produzem filhotes defeituosos que não irão se reproduzir, assim, ao longo do tempo, a espécie tende a se extinguir. Sem vetor, sem transmissão, sem dengue e sem Zika vírus.

A Tragédia da Microcefalia

O final do ano de 2015 e o começo de 2016 ficaram marcados na história do Brasil pela tragédia da expansão em escala nunca vista no mundo de casos de bebês nascidos com Microcefalia. E, pior ainda, com associação às gestantes que tiveram a virose do Zika vírus durante a gravidez.

Veja o que é a Microcefalia
Veja o que é a Microcefalia

Veja aqui uma aula completa da professora e bióloga Juliana Evelyn Santos sobre a Microcefalia e a relação com o Zika vírus. Em apenas um semestre, de 2015 para o começo de 2016, o número de casos de Microcefalia saltou de 700 para mais de 4 mil no Brasil. Uma tragédia. Veja aqui resumo completo sobre Microcefalia e Zika vírus.

Mosquito Transgênico pode combater o vetor

Dica 1: O que e Transgênico? Que bicho é esse? Para saber mais sobre os organismos geneticamente modificados, veja este super post com dicas da professora Juliana Evelyn dos Santos e uma divertida aula do professor Paulo Jubilut.

Para produzir os mosquitos transgênicos, os dois genes são injetados em ovos de Aedes aegypti comum. Assim, os ovos chocam e os mosquitos geneticamente modificados nascem (parece simples, mas a tecnologia é avançada e patenteada por uma empresa).

Após vários testes (inclusive no Brasil, no interior da Bahia, onde os mosquitos transgênicos foram soltos, a população de Aedes teve uma redução de mais de 90%), a universidade de Oxford criou uma empresa, a Oxitec, para explorar a tecnologia e produzir mosquitinho geneticamente modificado em larga escala. No Brasil, a Oxitec se instalou em Campinas, São Paulo, e tem uma fábrica capaz de produzir milhares de mosquitos todas as semanas.

Neste dia 30 de abril de 2015, a primeira soltura “comercial” do mosquito foi feita em Piracicaba, no interior de São Paulo. A prefeitura pagou cerca de R$150.000,00 pelo projeto poderá durar dez meses. No primeiro mês serão soltos cerca de 800 mil mosquitos por semana, número que irá diminuir gradualmente.

Por que são soltos apenas mosquitos machos? Os machos de Aedes aegypti não sugam sangue humano, eles são herbívoros e se alimentam apenas de seiva de planta. Somente a fêmea suga sangue, pois este nutritivo alimento ajuda na maturação dos ovos. Por isso, as fêmeas são separadas dos machos durante a produção (com cerca de 0,2% de erro) e mantidas em laboratório – parte é morta e a outra parte é utilizada para produzir novos mosquitos.

Dica 2: Revise a transmissão da dengue e seus sintomas! Para isso veja este super post.

Quais são as desvantagens do método? Sempre que pensamos em transgênicos é preciso ter cuidado. Estudos mostram que as várias variedades de plantas transgênicas (como a soja e o milho) largamente utilizadas têm gerado desequilíbrios ecológicos. Isto poderia ocorrer também com estes mosquitos.

No Brasil, o Aedes aegypti é um mosquito exótico (de origem asiática) e virou praga. Portanto sua extinção em nosso país não é um problema por si só. O problema de extingui-lo em nosso país é abrir espaço em seu nicho para outros mosquitos transmissores de diversas doenças ou até mesmo outros que transmitam a dengue – como o Aedes albopictus.

Porém, talvez o principal problema do uso desse mosquito seja o preço – nada barato – da utilização dessa técnica e a patente pertencente a uma única empresa. Segundo especialistas, seria muito mais fácil investir mais em pesquisas relativas à vacinas do que em mosquitos transgênicos.

E aí,  conseguiu aprender um pouco mais sobre a dengue? Então, para aprender um pouco mais sobre os mosquitos modificados, veja este vídeo produzido pela Oxitec que explica todo o processo de produção:

Dica 3: Ficou curioso em relação ao mosquito transgênico? Então leia também esta interessante reportagem do site Planeta Sustentável:

Dica 4: Saiba mais sobre o Zika Vírus, doença também transmitida pelo Aedes Aegypti.

Juliana Biologia Enem
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Juliana Santos para o Blog do Enem. Juliana é formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007. Facebook: https://www.facebook.com/juliana.evelyndossantos.