Nutrição – O curso de graduação e o mercado de trabalho

Você gosta de cozinhar e pensa em cursar nutrição? Mas sabia que a curso vai muito mais do que isso? Confira abaixo como funciona o curso e quais as possibilidades depois de formado!

O profissional que se forma no curso de graduação em Nutrição tem uma função marcante e essencial na atualidade. Segundo dados do Ministério da Saúde, 50,8% da população brasileira estava acima do peso em 2013, o que significa que orientação nutricional é uma alternativa para que este problema seja resolvido sem a necessidade de intervenções cirúrgicas ou a utilização de medicamentos.

Além disso, o nutricionista orienta seus pacientes na conquista de uma alimentação equilibrada, que seja capaz de evitar doenças e contribua para uma maior qualidade de vida. Atletas que praticam esportes de alta performance também não podem dispensar a orientação de um profissional da área de nutrição na busca por melhores resultados.

nutricao

O curso de graduação em Nutrição

Os cursos de Nutrição espalhados pelo Brasil possuem uma duração média de 4 anos. No início, as disciplinas correspondem ao ciclo básico da área saúde, passando por Fisiologia, Anatomia, Bioquímica, entre outras. Já na parte específica, o curso oferece matérias sobre qualidade nutricional, conservação dos alimentos, Farmacologia e Microbiologia.

Nos últimos semestres, os estudantes devem realizar um estágio supervisionado obrigatório e apresentar um trabalho de conclusão de curso.

O mercado de trabalho para o nutricionista

O mercado de trabalho para os profissionais de nutrição está aquecido, sobretudo nas empresas de refeições coletivas. Nelas, o profissional pode planejar, administrar e coordenar programas de alimentação e nutrição, bem como selecionar os melhores cardápios para cada tipo de público, considerando suas condições de trabalho e eventuais patologias existentes.

Este profissional é também muito requisitado em escolas, empresas públicas, hotéis, spas e asilos. Ele pode ainda prestar consultorias e realizar treinamentos, de forma a compartilhar seus conhecimentos com empresas de diversos segmentos e para públicos diversos.

Outras áreas nas quais o nutricionista pode atuar são: administração de cozinhas industriais, controle nutricional, desenvolvimento de produto, gastronomia, nutrição clínica,  nutrição esportiva,  saúde coletiva, docência e pesquisa.

O salário médio inicial para este profissional é de R$1700,00 podendo chegar a R$4000,00 com o tempo e a experiência. Nutricionistas experientes e que conseguem seu nome no mercado ainda podem ganhar cerca de 30 mil por mês!

Confira o vídeo que a Universidade Federal de Goiás preparou sobre o curso de graduação em Nutrição:

Os melhores cursos de Nutrição do Brasil

Confira abaixo as instituições públicas de ensino que possuem cursos de Nutrição avaliados com conceitos 4 ou 5 no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes).

O Enade leva em conta uma série de critérios, como: o desempenho dos estudantes do curso em uma prova realizada anualmente, o corpo docente, a infraestrutura, os recursos didático-pedagógicos, além dos programas de pós-graduação. Todos são sintetizados em um único indicador, que varia de 1 a 5.

Os cursos com nota acima de 3 são considerados satisfatórios pelo Ministério da Educação. Aqui, consideramos os melhores cursos com aqueles avaliados com conceito 4 ou 5 no Enade.

Conceito 5

  • Universidade de Brasília (UnB)
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Universidade Federal do Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA)
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Universidade Federal de Sergipe (UFS)
  • Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Conceito 4

  • Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI)
  • Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
  • Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro)
  • Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG)
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (Unesp)
  • Universidade Federal de Maranhão (UFMA)
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
  • Universidade federal do Espírito Santo (UFES)
  • Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB)
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
  • Fundação Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT)
  • Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

O perfil do profissional após a formação

Após a formação, o nutricionista deve estar registrado no respectivo Conselho Regional. Atualizações constantes e participações em congressos da área são essenciais para quem seja permanecer no mercado. Em média, o auge da carreira se situa a partir do 5º ano de exercício da função, e a evolução desta está intimamente ligada com a realização de cursos de pós-graduação.