Guia completo do Prouni: tudo que você precisa saber para conquistar a sua bolsa

O Prouni oferece bolsas parciais/integrais em instituições privadas. Embora as inscrições para 2024 ainda não tenham começado, conhecer os critérios é vital para transformar a sua nota no Enem em uma oportunidade universitária. Confira todas as informações para aproveitar essa oportunidade.

Se você fez o Enem e está procurando maneiras de aproveitar sua nota para alcançar o sonho da educação superior, o Programa Universidade para Todos (Prouni) pode ser a porta de entrada que você busca. 

Criado pelo Ministério da Educação (MEC), o Prouni oferece bolsas de estudo parciais e integrais em instituições de ensino particulares, tornando-se uma oportunidade valiosa para estudantes de baixa renda.

As inscrições para a edição de 2024 do programa ainda não foram oficialmente divulgadas pelo MEC. No entanto, esse é o momento ideal para se informar sobre o programa para  transformar sua nota em uma chance concreta de acesso à universidade assim que o edital for divulgado. 

Para te ajudar, preparamos um guia completo e abrangente, com tudo o que você precisa saber para conquistar a sua bolsa de estudos. Vamos começar? 

O que é o Prouni?

O Programa Universidade para Todos (Prouni) é uma das iniciativas mais relevantes do Governo Federal para promover o acesso à educação superior no país. Seu objetivo é possibilitar que estudantes de baixa renda tenham a oportunidade de ingressar em instituições de ensino superior privadas.

Existem dois tipos de bolsas disponíveis, variando de acordo com a renda do candidato:

  • Bolsas integrais: correspondem a 100% do valor total das mensalidades e cobrem integralmente os custos dos estudos em instituições privadas. São destinadas a indivíduos com renda familiar mensal de até um salário e meio por pessoa, proporcionando a oportunidade de estudar em uma faculdade particular sem nenhum custo direto.
  • Bolsas parciais: equivalem a 50% do valor das mensalidades, arcando com metade dos custos educacionais. O restante do valor deve ser pago pelo estudante. Aqueles que se enquadram nessa categoria de bolsa podem combinar a bolsa parcial com o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), desde que atendam aos requisitos para usufruir dos dois benefícios simultaneamente. Essas bolsas são direcionadas a candidatos com renda familiar mensal de até três salários mínimos por pessoa.

Quantas bolsas o Prouni oferece?

O número de bolsas ofertadas varia conforme a edição do programa. Mas, para ter uma ideia, em 2023, a primeira seleção ofereceu 2023 288.112 bolsas, sendo 209.758 integrais e 78.354 parciais. 

Já para o segundo semestre, foram disponibilizadas 276.566 bolsas de estudo, distribuídas da seguinte forma: 215.530 bolsas de estudo integrais e 61.036 bolsas de estudo parciais.

Simulador do Prouni

O Simulador do Prouni está pronto para te mostrar quais são as suas melhores oportunidades. 

Para utilizar, basta inserir a sua nota simulada ou real do Enem (após a divulgação dos resultados no dia 16), escolher um curso e uma universidade e pronto! O sistema calcula e entrega os seus resultados. Acesse agora mesmo:

Quem pode participar do Prouni?

Para se candidatar ao Prouni, é necessário ter realizado a última edição do Enem, não possuir diploma de ensino superior e apresentar uma renda familiar mensal per capita que não ultrapasse três salários mínimos.

O programa estabelece requisitos mínimos de desempenho no Enem, exigindo uma pontuação de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota superior a zero na redação. 

Além desses critérios, o candidato deve se enquadrar em uma das seguintes situações:

  • Ter concluído o ensino médio em instituições públicas ou privadas;
  • Ser pessoa com deficiência;
  • Ser professor da rede pública, com possibilidade de concorrer a bolsas nos cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Para os professores, a análise de renda não é considerada.

É válido destacar que, a partir de julho de 2022, estudantes de instituições privadas também passaram a ter a oportunidade de concorrer às bolsas do programa, desde que atendam aos critérios socioeconômicos. Para a seleção, há uma ordem de prioridade:

  • Estudantes com alguma deficiência;
  • Professores da rede pública buscando cursar pedagogia ou outras licenciaturas;
  • Alunos que concluíram todo o ensino médio na rede pública;
  • Alunos que dividiram o ensino médio entre a rede pública e privada, com bolsa integral;
  • Alunos que cursaram o ensino médio na rede pública e privada, com bolsa parcial ou sem bolsa;
  • Alunos que frequentaram o ensino médio inteiramente em instituições privadas, com bolsa integral;
  • Alunos que frequentaram o ensino médio inteiramente em instituições privadas, com bolsa parcial ou sem bolsa.

Quem não pode participar do Prouni

Não estão aptos a participar do processo seletivo para bolsas do Prouni: 

  • Indivíduos com renda familiar superior a 3 salários mínimos por pessoa;
  • Portadores de diploma de graduação;
  • Candidatos que não fizeram uma das últimas edições do Enem;
  • Participantes com pontuação inferior a 450 no Enem.

Como calcular a renda familiar per capita?

Para calcular a renda familiar bruta per capita, primeiro você precisa saber qual é a renda total da família, a partir da soma da renda individual de todas as pessoas que moram na sua casa. Em seguida, é só dividir o valor pelo total de moradores da residência.

Se o valor final for menor do que 3 salários mínimos, e os outros critérios forem cumpridos, você pode participar do processo seletivo do Prouni.

Para ficar mais claro, imagine uma família composta por quatro pessoas: pai, mãe, filho e avó. A renda mensal do pai é de R$ 2.000, da mãe é R$ 2.500, do filho é R$ 1.000 e da avó é R$ 1.200, totalizando uma renda mensal familiar de R$ 6.700.

Para calcular a renda familiar bruta per capita, você soma a renda de todas as pessoas na casa: R$ 2.000 + R$ 2.500 + R$ 1.000 + R$ 1.200 = R$ 6.700.

Em seguida, divide esse valor total pelo número de moradores da residência. No caso, são quatro pessoas na casa.

Renda familiar bruta per capita = Renda total da família / Número de moradores

Renda familiar bruta per capita = R$ 6.700 / 4 = R$ 1.675

Nesse exemplo, a renda familiar bruta per capita é de R$ 1.675, que é inferior a três salários mínimos. Se os outros critérios forem atendidos, esse estudante estará elegível para o programa.

Funcionamento das inscrições

A inscrição é um processo único, realizado no site oficial do programa. Durante o período estabelecido pelo edital, os interessados podem se cadastrar no sistema.

Para realizar a inscrição, é essencial ter em mãos o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a senha associada à conta gov.br, caso já possua uma. Caso contrário, é necessário criar uma conta no “Login Único” do Governo Federal.

Na sequência, o candidato preenche informações pessoais e dados referentes ao grupo familiar. Depois, faz a seleção de até duas opções de instituição, local de oferta, curso, turno, tipo de bolsa e modalidade de concorrência, de acordo com a disponibilidade.

O programa assegura que todas as instituições participantes ofereçam acesso gratuito à internet para possibilitar a inscrição de todos os interessados no Prouni.

Durante o período de inscrições, é possível acessar o sistema para consultar as notas de corte e modificar suas escolhas de curso. 

Assim como acontece no Sisu, a pontuação mínima para conquistar a vaga pode mudar ao longo do período de inscrições. Por isso, é essencial acompanhar sua classificação de maneira constante. Se perceber que a nota de corte ultrapassa sua pontuação, é aconselhável considerar a mudança de curso para assegurar a oportunidade da bolsa.

Ao encerrar o prazo de inscrições, o sistema realiza automaticamente a seleção dos candidatos com as melhores notas do Enem, concorrendo pela mesma vaga. 

Cotas no Prouni

O sistema de cotas do Prouni destina um número específico de vagas para pretos, pardos e indígenas, conforme o último censo do IBGE realizado na cidade, garantindo seu acesso às bolsas.

Para se candidatar nessa modalidade, é necessário atender aos critérios estabelecidos pelo programa. 

É importante destacar que indivíduos com diploma de nível superior não são elegíveis para concorrer às cotas do programa. 

Além disso, o candidato precisa ter realizado uma das duas edições mais recentes do Enem, alcançado pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação. 

É fundamental estar atento aos demais critérios do edital, especialmente os relacionados ao aspecto socioeconômico.

Divulgação dos resultados

O processo de seleção do Prouni tem início após o término do prazo de inscrições. Os candidatos são ordenados conforme suas notas do Enem, preenchendo as vagas de forma decrescente, onde as pontuações mais altas têm prioridade até o preenchimento da última vaga.

O programa estabelece a ordem de classificação seguindo critérios descritos no edital, organizados em ordem decrescente.

Candidatos aprovados na primeira opção de curso ficam impossibilitados de concorrer à segunda. A segunda opção de curso é exclusiva para candidatos não selecionados na primeira.

Para verificar a aprovação, basta acessar o site oficial na data estipulada no cronograma ou no edital do programa e clicar em “ver resultado”. A lista de classificados estará disponível, permitindo filtrar por curso, cidade, turno e tipo de bolsa. É fundamental revisar ambas as opções de curso.

As instituições parceiras do programa também divulgam os resultados, e você pode entrar em contato com a secretaria da faculdade para saber se foi selecionado para a bolsa. O resultado também pode ser consultado por telefone, ligando para 0800 616161.

Critérios de desempate

O primeiro critério de desempate no Prouni é a maior nota obtida na prova de redação. Em seguida, considera-se a maior pontuação na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. 

Persistindo o empate, passa-se para a maior nota na prova de Matemática e suas Tecnologias, seguida pela pontuação em Ciências da Natureza e suas Tecnologias. 

Por fim, é considerada a maior nota na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Segunda chamada 

A divulgação da segunda chamada ocorre após o período de matrícula dos selecionados na primeira chamada do programa. Nessa etapa, há uma convocação menor, destinada às vagas remanescentes da primeira matrícula.

Os candidatos selecionados na segunda chamada têm um período específico indicado pelo cronograma para efetuar a matrícula na instituição em que foram aprovados. Os não selecionados podem optar por ingressar na Lista de Espera e aguardar os resultados.

Lista de espera do Prouni

A convocação da lista de espera é a última etapa do processo seletivo do Prouni e se destina aos candidatos que não foram aprovados nas duas chamadas regulares. 

Para participar, é obrigatório manifestar interesse pela página do programa dentro do prazo estipulado no cronograma e edital.

Para integrar a lista de espera da primeira opção de curso, o candidato não pode ter sido selecionado nas chamadas regulares ou ter sido rejeitado devido à falta de turma durante o período de pré-matrícula.

No caso da segunda opção de curso, o candidato deve ter sido rejeitado nas chamadas regulares por falta de bolsas disponíveis ou pela não formação de turmas tanto para a primeira quanto para a segunda opção de curso.

Documentos necessários para a matrícula

Após verificar o resultado da seleção no Prouni, seja por chamadas regulares ou pela lista de espera, é necessário dirigir-se à instituição aprovada para realizar a pré-matrícula portando os documentos necessários.

Algumas instituições estabelecem um período de matrícula específico por curso para uma organização mais eficiente. Portanto, é fundamental entrar em contato com a secretaria da faculdade para evitar a perda do prazo.

É importante estar ciente de que a instituição pode solicitar documentos adicionais para comprovar renda, deficiência, escolaridade ou cotas. Procure adiantar-se na obtenção de todos os documentos possíveis.

Se o candidato não fornecer toda a documentação antes do término do prazo para pré-matrícula, a bolsa é cancelada e repassada para outro candidato na próxima chamada.

Confira a lista completa de documentos, que inclui identificação, comprovantes de residência, ensino médio e rendimentos, entre outros. O coordenador do Prouni na instituição pode solicitar outros documentos que julgar necessários à comprovação das informações prestadas pelo candidato, referentes ao próprio candidato ou a membros do grupo familiar.

O edital do ProUni proíbe que a faculdade exija documentos autenticados em cartório. Por isso, o candidato deve apresentar os originais e cópias simples de seus documentos.

Taxas e matrículas

A inscrição no ProUni é gratuita e não há cobrança de taxa de matrícula. A diferença entre os tipos de bolsa abrange apenas o pagamento das mensalidades. 

Os contemplados com a bolsa integral têm mensalidades cobertas. No caso da bolsa parcial, o programa oferece um desconto e o estudante é responsável pelo restante do valor.

Sisprouni

Ao ser aceito como bolsista, o candidato é registrado no Sisprouni, um sistema que armazena informações sobre os bolsistas e as instituições participantes.

Por meio dele, o MEC tem acesso a dados em tempo real, como frequência do estudante, histórico acadêmico e aprovação em 75% das disciplinas por período letivo.

O coordenador da instituição utiliza o Sisprouni para atualizar os dados do bolsista, a fim de assegurar a continuidade da bolsa.

Cancelamento da bolsa

A falta de cumprimento de responsabilidades pode levar ao cancelamento da bolsa de estudos, incluindo casos de:

  • Abandono durante o período letivo;
  • Rendimento abaixo de 75% nas matérias cursadas por semestre;
  • Não pagamento da parcela não coberta pela bolsa, para bolsistas parciais;
  • Afastamento sem justificativa.

O que é a bolsa permanência?

A bolsa permanência é um auxílio concedido aos bolsistas integrais do Prouni, matriculados em cursos superiores com carga horária diária acima de 6 horas, presenciais, com duração mínima de 6 meses. Ela equivale ao valor de uma bolsa de iniciação científica e o objetivo é auxiliar nos custos educacionais, como transporte e material didático.

A carga horária média é obtida pela divisão da carga mínima do curso pelo produto do tempo mínimo pelo número de dias letivos. Se o resultado for 6 ou superior, o estudante tem direito à bolsa permanência.

A concessão da bolsa permanência requer a observância do edital divulgado no site do MEC e o cumprimento dos critérios. As seleções ocorrem mensalmente, no início do mês. Para mais detalhes, é preciso consultar a secretaria ou coordenação da sua instituição de ensino.

Assim como a bolsa do Prouni, este auxílio também está sujeito a alguns critérios, e pode ser interrompido pelo MEC ou pela instituição caso:

  • O aluno mude para um curso com carga horária diária inferior a 6 horas;
  • A bolsa do Prouni seja encerrada;
  • O dinheiro do auxílio seja utilizado para outros fins além dos educacionais;
  • O estudante for comprovadamente desonesto na obtenção da bolsa;
  • O estudante solicitar o desligamento.

Fui mal no Enem, e agora? 

Se você não teve um bom desempenho no Enem ou não conseguiu fazer as provas, ainda pode iniciar seu curso de graduação. 

Algumas instituições reconhecidas pelo MEC, como Uniasselvi e Unicesumar, oferecem bolsas de estudo com descontos de até 75% nas mensalidades. Confira as opções da sua cidade! 

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: Enem, Prouni
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Intensivo
gapixel

intensivogapixel