Qual profissão escolher? 8 dicas para decidir que carreira seguir

Chegou a hora de prestar vestibular e a indecisão sobre a carreira bateu, não é? Listamos neste artigo algumas formas para que você encontre sua profissão ideal. Confira!

Para quem não tem a certeza – e a sorte – de saber desde sempre qual carreira mais se identifica, o momento de escolher uma profissão pode vir acompanhado de muita insegurança, afinal, é uma das decisões mais importantes que precisamos enfrentar durante a vida.

Tarefa difícil, né? Para te ajudar como saber qual profissão seguir, trouxemos algumas dicas que podem clarear um pouco suas ideias sobre isso. Vamos lá?

1. Profissão não precisa ser para a vida toda

Essa dica está em primeiro lugar porque, sem dúvida, este o mito que traz maior angústia para quem chegou nessa etapa da vida. Como escolher, com 17, 18 ou 19 anos, o que fazer pelos próximos 40?

Escolher uma carreira não precisa mesmo ter esse peso. A profissão que escolhemos deve ser a que mais tem a ver com você de acordo com os objetivos traçados para a vida profissional neste momento. Não dá para prever o que vai acontecer no futuro. O mercado de trabalho atualmente se transforma de forma muito rápida, e o profissional também passa por mudanças que podem trazer, também, mudanças de metas e prioridades.

Você é livre para escolher a melhor profissão para você agora, como será livre para escolher daqui a 10 ou 15 anos, quando ainda será possível poderá mudar a rota e sua trajetória.

2. Pratique o autoconhecimento

Você tem ideia de quem você é? Quais são seus gostos, aptidões, qualidades, defeitos, valores? Sabe o que não suportaria de jeito nenhum? Isso é um passo muito importante não apenas para escolher qual carreira seguir, mas em todos os outros aspectos da sua vida.

Ter em mente o que te faria feliz – e o que não faria – profissionalmente e pessoalmente pode trazer um norte para escolher um caminho que combina melhor com você.

Nessa autoanálise, faça uma lista de coisas que te despertam afinidade, como as matérias preferidas da escola (que já pode te ajudar a saber se vai para o caminho de humanas, exatas ou biológicas) ou hobbies que desenvolveu ao longo da vida. Outro ponto importante pode ser a forma como você se sente mais produtivo: sozinho ou em grupo? Gosta de interagir com muitas pessoas ou é mais introvertido? Todos esses aspectos podem guiar você a entender melhor suas características.

Caso tenha dificuldade de fazer isso sozinho, busque a ajuda da família, amigos e pessoas que convivem mais com você.

3. Avalie as questões práticas

Além das aptidões e gostos pessoais, algumas questões também devem ser pesadas para decidir qual carreira seguir. Nesse sentido, você deve entender quais são os pontos profissionais realmente importantes para você neste momento. Alguns exemplos:

  • Estabilidade profissional;
  • Flexibilidade de horários;
  • Trabalho sob grande pressão ou com muitas responsabilidades;
  • A importância de ter tempo para outras atividades pessoais fora do trabalho;
  • A disponibilidade para mudar de cidade/estado/país se necessário;
  • Alto retorno financeiro em curto/médio prazos.
  • Será necessário trabalhar enquanto estuda?

4. Faça um teste vocacional

Certo, você seguiu direitinho ainda a trilha do autoconhecimento e descobriu muitas coisas sobre você, mas continua em dúvida se faz um curso de Física ou Gastronomia? Nesse momento, um teste vocacional pode ser valioso para você ter a percepção de que, entre todas as coisas que você gosta e tem habilidade, certas carreiras têm maior ou menor chance de tornar você um profissional feliz.

Normalmente, os testes vocacionais são formados por questões de múltipla escolha e, através delas, é possível identificar alguns atributos da sua personalidade, pontos fortes e pontos fracos e afinidade com as áreas do conhecimento. O resultado se baseará nas respostas que você selecionou e trará as carreiras que mais se encaixam com seus gostos e características.

Vale ressaltar que o teste vocacional pode ser realizado em qualquer etapa da vida. Muitas pessoas optam por investir em outra carreira ao longo da trajetória profissional e, nesse contexto, pode ser super útil para entender qual profissão seguir nessa mudança de rota.

5. Pesquise o mercado e as profissões em alta

Escolher uma carreira que te faça feliz não envolve apenas trabalhar com que se gosta. Encontrar um bom retorno financeiro e um mercado de trabalho receptivo para a sua profissão também é muito importante. Uma vez que você já entendeu quais profissões são mais adequadas para você, procure saber quais delas têm remuneração mais atrativa e a oferta de empregos na área. Muitas vezes, essas questões podem ser critério de desempate caso você esteja indeciso entre um curso ou outro.

6. Saiba tudo sobre a profissão

Se você já tem uma ou mais opções de carreira que combinam com você, chegou a hora de entender a fundo como será sua jornada profissional em cada uma delas. Para isso, é preciso pesquisar muito sobre todos os aspectos da profissão e do curso em questão.

Para isso, vale conversar com estudantes e profissionais já formados, consultar a grade curricular do curso e participar de eventos e palestras que estão relacionados a área. Existem também diversos fóruns e comunidades sobre o assunto em redes sociais que podem aproximar você de pessoas com o mesmo interesse.

Também pode ser válido consultar vagas de emprego na área para se informar dos possíveis cargos que você poderá assumir ao longo da carreira, assim como a média salarial de cada um deles.

7. Liste os prós e os contras

Esse tipo de lista pode ser bastante útil para tomar qualquer decisão na vida – e na escolha da carreira não seria diferente. Organize as carreiras “finalistas” do seu ranking e veja quais são as vantagens e desvantagens de cada uma e entenda o que tem mais peso para você. Mais uma vez, esse critério pode ser um desempate para te ajudar a decidir.

8. Pesquise as faculdades

Essa é a última etapa para quem está escolhendo que profissão seguir e pra quem já se decidiu. Agora, você precisa saber como escolher a faculdade certa também, levantando os critérios importantes para você nesse sentido. Pública ou particular? Dá pra entrar só com o Enem ou é necessário fazer vestibular? Qual é a relação candidato/vaga e a nota de corte?

Escolher uma faculdade em sua cidade ou não? O curso será presencial ou a distância? Bacharelado, Licenciatura ou Tecnológico? Todas essas questões são importantes e devem ser levadas em consideração, já que podem até mesmo fazer você optar por um curso ou outro.

Além disso, vale a pena se informar se o curso na faculdade escolhida é aprovado pelo Ministério da Educação (MEC) e qual nota recebeu. Normalmente, a faculdade recebe três avaliações:

  • Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia o desempenho do curso;
  • Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), que avalia o desempenho da faculdade/universidade;
  • Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), que avalia, através de uma prova, o desempenho dos alunos em relação ao conteúdo disciplinar dos cursos oferecidos.

A nota dos três critérios vai até cinco. Quanto mais próxima desse número, melhor é o desempenho da universidade nos quesitos avaliados.

As notas de todas as faculdades estão disponíveis no site do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Postado por:

Jade Philippe
Categorias: Sem categoria