Tipos de Caule – Aula de revisão para Biologia do Enem

Tronco, colmo, estipe, tubérculo...  Você conhece os tipos de caule e especializações dos caules? Revise organologia vegetal e gabarite Biologia no Enem!

O caule é o órgão vegetativo da planta cujas principais funções são sustentar as estruturas vegetais e transportar substâncias ao longo do organismo vegetal.  Porém, os caules podem também desempenhar outras funções, como o armazenamento de substâncias. Cada vegetal terá caules especializados e adaptados ao ambiente em que vivem. Sendo assim, há diferentes tipos de caules que são classificados de acordo com sua morfologia externa. Você conhece os diferentes tipos de caule? Não? Então revise organologia vegetal com este super post que preparamos para você e arrase nas questões de Biologia do Enem e dos vestibulares!

Os caules podem ser classificados quanto à região onde se desenvolvem (aéreos, subterrâneos e aquáticos) e quanto às suas especializações:

Caules aéreos: Os caules aéreos são aqueles que se desenvolvem acima do solo e possuem fototropismo positivo. A maior parte dos caules é classificada como aérea. Veja a seguir os tipos de caules aéreos:

Caule tronco: Os caules troncos são os típicos caules de árvores e arbustos. Possuem casca espessada e lenhosa. São caules muito resistentes e comumente são ramificados com muitos galhos.

Tipos de Caule - Tronco

Caule estipe: Os caules estipes são também caules resistentes e lenhosos, porém são caules alongados, cilíndricos, sem ramificações e com folhas nas pontas. Os caules estipes são típicos de coqueiros e palmeiras.

Tipos de Caule - Estipe

Dica 1: Antes de continuar a estudar os diferentes tipos de caules, que tal revisar também a anatomia externa destes órgãos vegetais? Então veja este excelente post sobre os caules com dicas da professora Juliana Evelyn dos Santos e videoaula do canal “Me salva!”.

Caule haste: Os caules hastes são caules clorofilados e maleáveis, típicos herbáceas e plantas jovens.

Tipos de Caule - Haste

Caule colmo: Os caules tipos colmo são caules com nós e entrenós bem visíveis. Eles podem ser ocos, como nos bambus ou preenchidos com substâncias de reserva, como a cana-de-açúcar.

Tipos de Caule - Colmo

Caule volúvel: Os caules volúveis são caules muito flexíveis e maleáveis que necessitam se escorar em suportes (que podem ser outro caule). Estes caules desenvolvem-se se enrolando sobre os suportes, como o que acontece no chuchu, no maracujá e nas parreiras.

Caule Volúvel

Caule rastejante: Os caules rastejantes são caules pouco resistentes que crescem apoiados no solo, como o caule da melancia.

Caule rastejante

Cladódio: Os caules cladódios são os caules presentes nos cactos. Estes caules acumulam várias funções: reservam água, reservam nutrientes e ainda realizam fotossíntese.

Cladódio

Caules subterrâneos: são caules que se desenvolvem paralelos ao solo, enterrados próximos à superfície.  Veja a seguir os tipos de caules subterrâneos:

Caule tubérculo: Os caules tubérculos são caules que armazenam grande quantidade de energia na forma de amido. Esta reserva ajuda estes vegetais a sobreviverem a épocas de baixa luminosidade e escassez de água e sua posição subterrânea dificulta a ingestão destes caules por herbívoros. A batata inglesa é um exemplo de caule tubérculo.

Caules subterrâneos

Caule bulbo: Os caules bulbos são caules muito pequenos, normalmente rodeados por folhas modificadas (catafilos) que armazenam substâncias nutritivas. O alho e a cebola de cabeça são exemplos de caules tipo bulbo.

caule-bulbo

Caule rizoma: Os caules rizomas crescem horizontalmente sob o solo e produzem ramos e folhas aéreas. A bananeira é um típico exemplo de caule tipo rizoma: o que parece um caule acima do solo, na verdade, é formado pela bainha de suas folhas enroladas. Outro rizoma é o gengibre, como na foto a seguir:

Caule Rizoma

Dica 2: Revise também as folhas! Veja este super post sobre as folhas e arrase em Biologia.

Caules aquáticos: São caules que se desenvolvem dentro da água. Estes caules podem ter estruturas que auxiliam na sua flutuação, como o parênquima aerífero. O caule da vitória-régia é um caule tipo aquático.

Caule Aquático

E aí, curtiu o resumão sobre os tipos de caules? Então para fechar “com chave de ouro” a sua revisão, veja esta super videoaula sobre especializações do caule do canal “Me salva!”, do Youtube:

Curtiu a videoaula? Massa, não é? Então, agora que você já sabe tudo sobre os tipos de caules, que tal testar seus conhecimentos?

(UFSM) Numere a segunda coluna de acordo com a primeira.

COLUNA 1

1- caules subterrâneos como os das bananeiras

2- caules modificados como os dos cactos

3- caules não-ramificados com folhas do ápice

4- caules paralelos ao solo com gemas de espaço em espaço

COLUNA 2

( ) cladódios

( ) rizomas

( ) estipes

( ) estoloníferos

A sequência correta é

a) 2 – 1 – 3 – 4.
b) 3 – 1 – 4 – 2.
c) 2 – 4 – 3 – 1.
d) 1 – 3 – 2 – 4.
e) 3 – 4 – 1 – 2.

Resposta: a

2) (PUC-MG)

A figura acima destaca partes da estrutura de três diferentes cultivares (vegetais). Com base em seus conhecimentos, é correto afirmar, EXCETO:

a) Rizoma é uma estrutura encontrada em samambaia e em bananeiras.
b) Turbérculos são raízes que apresentam nódulos ricos em substâncias nutritivas.
c) No bulbo como os da cebola, folhas modificadas e armazenadoras revestem uma pequena porção interna de caule.
d) Rizomas, tubérculos e bulbos são estruturas tipicamente subterrâneas.

Resposta: B.

Dica 3: Você quer ver vídeos legais de Biologia? Então acesse a plataforma da Khan Academy em português! Lá você encontrará vídeo-aulas e exercícios de várias disciplinas que podem te ajudar no Enem! Confira: https://pt.khanacademy.org/welcome
Dica 4: Quer treinar seus conhecimentos em Biologia? Baixe esta apostila gratuita de biologia!
Juliana Biologia Enem
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Juliana Santos para o Blog do Enem. Juliana é formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007. Facebook: https://www.facebook.com/juliana.evelyndossantos.