Faltam:
para o ENEM

Balança Comercial e Dependência Econômica. Geografia vestibular e Enem.

Os paises do mundo subdesenvolvido ou das economias em desenvolvimento são bastante heterogêneos. Um fator importância para que possam vencer seus limites é a Balança Comercial. Pode sair dali o dinheiro excedente para investimentos em infraestrutura ou educação. Confira abaixo nesta revisão de Geografia.

Importação e Exportação são a base da Balança Comercial. Um país que exporta mais que importa obtém ganhos de superávit na Balança Comercial, e vice-versa. Confira abaixo neste resumo para Enem e Vestibular.

Os aspectos estudados sobre as causas que mantêm alguns países na condição de subdesenvolvidos variam em alguns pontos.  Essa variação pode estar relacionada a causas naturais como relevo, hidrografia e clima, ou com aspectos culturais e socioeconômicos. Existem países ‘ricos’ em recursos naturais que são ‘pobres’ nos aspectos econômicos e sociais. Veja na imagem o ‘Mapa do Desenvolvimento’, ou do subdesenvolvimento, a depender do ponto de observação:

mapa do desenvolvimento
mapa do subdesenvovimento

O continente africano está pleno de exemplos de países ‘ricos’ em recursos e que são ‘pobres’ social e economicamente. Por aqui na América latina não é diferente, e nem o Brasil escapa desta triste sina. Apenas o Chile, a Argentina e o Uruguai têm um conjunto de indicadores que se aproximam dos paises desenvolvidos. Por outro lado, países ‘pobres’ em recursos como Japão e Alemanha, por exemplo, são países ‘ricos’. 

Alguns países subdesenvolvidos ainda possuem sua economia totalmente concentrada no campo, ou seja, sua economia é essencialmente agrícola. É  o caso, por exemplo, da Bolívia e do Camboja. Mas há países subdesenvolvidos, que são mais industrializados e avançados tecnologicamente falando, exemplo o Brasil e a Argentina, que com o processo de industrialização possuem uma população mais urbanizada.

Apesar da tecnologia avançada e das indústrias predominarem em países como Brasil, Argentina e México, estes ainda possuem uma grande dificuldade de investimentos, pois enfrentam problemas econômicos como inflação persistente e políticas públicas que são interrompidas a cada ciclo eleitoral.

Assim os países que são exportadores de gêneros primários, tais como matérias-primas essencialmente agrícolas, vegetais e minerais, são historicamente pobres e seus produtos possuem baixo valor de revenda  no mercado internacional.

Geografia EnemFigura 1– Contêineres de importação/exportação.

E, em contrapartida compram produtos de valor alto dos países ricos e desenvolvidos, tais como, máquinas, computadores, equipamentos, tratores, automóveis, etc. por possuírem tecnologia esses produtos tem valor bem mais elevado do que aqueles que os países subdesenvolvidos exportam.

O resultado disse é a chamada Balança comercial, que registra o valor das importações e exportações de um país. Mas:

O resultado entre os valores das importações e exportações pode ficar desfavorável a alguns países. Isso acontece, pois aqueles que recebem valores menores pelos seus produtos, do que aqueles produtos que compram, ficam com um desequilíbrio em sua balança comercial.

Abaixo acompanhe como funciona a balança comercial de um país:

Superávit comercial – Acontece quando o valor das exportações ultrapassa o das importações, ou seja, o país tem mais a receber do que a pagar.

Déficit comercial- Diferentemente do superávit, é quando o país importa mais que exporta, o país apresenta assim um déficit em sua balança comercial, isto é, o país tem mais a pagar do que a receber.

Geografia Enem
Figura 2-
Exemplificação da Balança comercial.

Dica 1– Não perca aula de geografia sobre o Relevo e suas formas. Classificados em relevo continental ou submarino. Não perca! https://blogdoenem.com.br/formas-relevo-geografia-enem/

Dica 2- Vamos relembrar as zonas climáticas da Terra? Acompanhe como elas podem definir as paisagens e a vida do ser humano. Acesse! https://blogdoenem.com.br/zonas-climaticas-terra-geografia/

Assista a esse vídeo explicando as exportações brasileiras e o superávit apresentado. Não perca, veja também os produtos mais exportados pelo nosso país.  Dura três minutos apenas.

Veja como um produto pode alavancar ou originar uma queda na balança comercial de um país:

A tendência na queda dos produtos primários foi muito forte nas últimas décadas devido principalmente ao advento da tecnologia. No mercado internacional, produtos primários, vendidos pelos países subdesenvolvidos, tiveram uma queda acentuada como é o caso da Colômbia, Honduras, Cuba, Senegal e outros. Essa queda teve um impacto direto na economia desses países, que dependem basicamente da exportação de seus produtos.

A desvalorização dos produtos agrícolas: café (Colômbia e Honduras), açúcar (Cuba), fibra de algodão (Senegal), trouxe um prejuízo de milhões de dólares, dificultando, pois tais países poderiam investir mais se o desempenho de suas exportações fosse melhor, e sua balança comercial mais equilibrada. Contudo, esses países continuam a lutar para promover e tentar melhorar seu desenvolvimento econômico e social.

A seguir, analise o gráfico e responda a questão de geografia proposta. Bons estudos!

(Ufpe 96 – |Geografia) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses a letra (V) se a afirmativa for verdadeira ou (F) se for falsa.

1. Observe o quadro a seguir e, analisando as proposições, indique V, para verdadeiro e F para falso,  que corresponde(m) aos dados emitidos.

Geografia Enem

(     ) O saldo comercial do Brasil no período 1978-82  foi positivo.
(     ) Os maiores percentuais de saldos positivos ocorreram em 1984, 1985, 1987 a 1988.
(     ) As importações em 1984-85 foram menores do  que em 1978 a 1979.
(     ) De 1980 a 1988, os saldos comerciais do Brasil foram sempre positivos.
(     ) 1988 foi o ano em que o Brasil mais exportou, e 1978 o ano em que menos exportou.

Resposta correta, sequência: F,V,V, F, V.

Texto elaborado pela professora Elizabeth Noceti Pereira- formada em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atua como docente nas redes estadual e municipal da região da Grande Florianópolis.