Biologia – Estrutura da Membrana Plasmática. Revisão gratuita!

Todas as células possuem membrana plasmática. Ela reveste, protege e seleciona o que entra e sai das células. Também adora “aparecer” nos vestibulares e no Enem! Vamos revisar?

A membrana plasmática (ou plasmalema) corresponde a uma película limitante muito fina (8nm) que mantém separada do meio externo a estrutura extremamente organizada de matéria viva, controlando o que entra e sai da célula. Por ser tão fina, pode ser vista somente com o auxílio de um microscópio eletrônico. É uma membrana formada principalmente de lipídeos e proteínas. Ela desenha a fronteira da célula, funcionando como a muralha de um castelo, que reveste e delimita, protege e seleciona o que entra e sai por seus muros. Além disso, por ser a estrutura mais externa da célula, a membrana é capaz de reconhecer estímulos e também outras células. Interessante, não é mesmo? Então, vamos estudá-la?

Dica 1: Antes de continuar revisando as organelas celulares, que tal dar uma revisada sobre o DNA? Veja este post: https://blogdoenem.com.br/biologia-khan-academy/

Para introduzir o assunto, veja nossa aula sobre Membrana Plasmática:

E aí, gostou do vídeo? Beleza! Agora, para ficar ligado na estrutura da membrana plasmática e gabaritar as questões de biologia do Enem e dos vestibulares, veja o resumo que preparei para você:

Composição da membrana plasmática:

A membrana é composta por lipídeos, proteínas e glicídios. Essas substâncias juntas formam uma espécie de mosaico em constante transformação, uma vez que as proteínas podem se deslocar por entre os lipídeos. Sendo assim, o modelo que estudaremos é chamado de “mosaico fluido” ou de Singer e Nicholson, em homenagem aos seus descobridores.

Lipídeos: Como disse acima, os lipídeos são os principais componentes da membrana plasmática. Sendo que os fosfolipídios são os mais frequentes. Os fosfolipídios são formados por duas partes: uma que possui afinidade com água (hidrofílica) e outra que não possui afinidade (hidrofóbica). Sendo assim, estas moléculas formam uma camada dupla dessas moléculas. Nesta dupla camada, as partes hidrofílicas (chamadas de polares e compostas por ácido fosfórico e base nitrogenada) estão voltadas para fora e para dentro, em contato com o meio aquoso existente dentro e fora da célula. Já as partes hidrofóbicas (chamadas de apolares e compostas pelos lipídeos) estão voltadas umas para as outras, para o interior da dupla camada. Esta composição permite que a membrana interaja com o meio aquoso e ao mesmo tempo mantenha uma película biológica limitante entre o interior e o exterior da célula. Nas células animais podemos também encontrar outro lipídeo constituindo a membrana plasmática: o colesterol. O colesterol tem como função ajudar a manter a fluidez da membrana plasmática.

Proteínas: A maioria das substâncias que entram e saem da célula são moléculas hidrossolúveis, ou seja, solúveis em água. Dessa maneira, não conseguiriam passar pela bicamada lipídica que forma a membrana. Além disso, muitas vezes essas moléculas são grandes e não conseguem penetrar por entre os fosfolipídios. Por tal motivo, toda a dupla camada de fosfolipídios é permeada por proteínas que irão formar “passagens” para selecionar o que entra e sai da célula. Estas proteínas são chamadas de integrais, pois atravessam a membrana comunicando o meio externo com o interno da célula. Há também proteínas que são periféricas e atuam principalmente na recepção de estímulos e podem desencadear processos dentro da célula.

Glicídios: São carboidratos presentes na face externa da membrana. Podem estar ligados aos fosfolipídios ou às proteínas. Muitos glicídios funcionam como a identidade da célula, uma vez que cada indivíduo irá apresentar glicídios específicos nas suas membranas celulares. Além disso, células de tipos diferentes também terão glicídios distintos. Um exemplo disso é o sistema ABO de tipagem sanguínea: cada tipo sanguíneo terá (ou não, como no sangue O), uma glicoproteínas distintas –os antígenos.

*Observação: Como alguns glicídios são exclusivos de cada indivíduo, eles são os principais motivos pelos quais uma pessoa que recebeu um órgão em um transplante pode rejeitá-lo. Suas células de defesa irão identificar as células do novo órgão como “corpos estranhos” e começarão a combatê-las.

Para entender melhor a estrutura da membrana plasmática, veja o esquema a seguir:

Biologia - membrana plasmática

Envoltórios da membrana:

– Glicocálix: É o nome dado ao conjunto de glicoproteínas (glicídios aderidos às proteínas) e glicolipídios (glicídios aderidos aos fosfolipídios) que protegem a célula e a ajudam a interagir com o ambiente à sua volta, assim como na adesão de uma célula e outra.  Esta estrutura está presente nos animais.

Parede celular: É uma estrutura que reveste a célula, protegendo a membrana plasmática e dando sustentação à célula. As células vegetais possuem paredes celulares compostas de celulose. Em algumas células vegetais, a parede celular pode ser enriquecida por lignina, que dá maior rigidez à parede e ajuda na sustentação das plantas. Entre duas paredes celulares de duas células vegetais, pode haver estruturas que ajudam na sua adesão, como os plasmodesmos que são poros que facilitam o transporte de substâncias de uma célula para a outra. As bactérias também possuem parede celular, porém é uma parede celular composta de polissacarídeos ligados a pequenas cadeias de aminoácidos. Os fungos igualmente possuem parede celular, porém, formado de um açúcar (polissacarídeo) chamado de quitina.

Junções entre membranas:

– Desmossomos: São junções entre células que ficam bem aderidas entre si, como, por exemplo, as células do tecido epitelial. Assemelhando-se a dedos entrelaçados, os desmossomos são regiões da membrana onde se encontram grande quantidade de proteínas adesivas que se ancoram às proteínas do citoesqueleto de cada célula.

– Zônulas ou junções oclusivas: São encontradas no tecido epitelial que reveste o intestino. Essas zônulas mantêm as células bem juntas, impedindo que o conteúdo que está passando pelo intestino permeie as células.

– Nexos ou junções comunicantes: Encontradas em células embrionárias, cardíacas e hepáticas, estas estruturas servem para formar pequenos canais entre as células para a passagem de íons e pequenas moléculas entre elas.

Microvilosidades:

As membranas de células dos intestinos possuem dobras que se projetam para fora da célula. Estas dobras aumentam a área de contato da membrana plasmática com o conteúdo que está passando pelo intestino, aumentando sua área de absorção.

Dica 2: Quer dar uma revisada nas outras organelas celulares? Então veja este post: https://blogdoenem.com.br/biologia-organelas-celulares-revise-aula-khan-academy/

Ufa! Conseguiu entender a estrutura da membrana plasmática? Beleza! Agora, vamos testar seus conhecimentos?

1)      (Fac. Souza Marques – RJ) O esquema abaixo representa um modelo da membrana plasmática feito por um aluno. Em relação ao
modelo, são feitas as seguintes afirmativas:

biologia 2 - membrana plasmática

I. As lâminas de isopor representam proteínas fibrilares.
II. As folhas do rabanete representam polissacarídeos.
III. A face B é interna.
IV. As peras representam proteínas integrais.

Assinale:

a) se somente as afirmativas I, II e III estão corretas.
b) se somente as afirmativas II, III e IV estão corretas.
c) se somente as afirmativas I, III e IV estão corretas.
d) se somente as afirmativas I, II e IV estão corretas.
e) e se todas as afirmativas estão corretas.

Resposta: B. A afirmativa I está incorreta, uma vez que as placas de isopor estão representando a dupla camada lipídica.

 

2) – (PUC – RJ-2007) Em relação aos envoltórios celulares, podemos afirmar que:

a) todas as células dos seres vivos têm parede celular.

b) somente as células vegetais têm membrana celular.

c) somente as células animais têm parede celular.

d) todas as células dos seres vivos têm membrana celular.

e) os fungos e bactérias não têm parede celular.

Resposta: d

 

3)     (UFC-2002) Que processo, provavelmente, estaria ocorrendo em grande extensão, em células cuja membrana celular apresentasse microvilosidades?

A) Detoxificação de drogas.

B) Secreção de esteroides.

C) Síntese de proteínas.

D) Catabolismo.

E) Absorção.

Resposta: E

Dica 3: Quer treinar seus conhecimentos em Biologia? Baixe esta apostila de biologia gratuitamente! https://blogdoenem.com.br/biologia-enem-apostila-gratuita/
Dica 4: Precisa revisar mais conteúdos de biologia? Veja os vídeos de Biologia da Khan Academy já traduzidos para o Português pela equipe da Fundação Lemann no http://www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/#videos

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Juliana Santos para o Blog do Enem. Juliana é formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007. Facebook: https://www.facebook.com/juliana.evelyndossantos

Juliana - Rede Enem

Agora que você já sabe tudo sobre Membrana Plasmática, que tal conhecer nossa rede de blogs?

Blog do Fies | Blog do Prouni | Blog do Sisu

Gostou do post? Use os botões abaixo e ao lado para espalhar por suas redes sociais.

Facebook: /RedeEnem (Clique AQUI para saber como receber TUDO sobre o Enem)
Twitter: @RedeEnem | Canal no Youtube: Rede Enem | Google+ : Rede Enem