Competência 5 da redação: como fazer a Proposta de Intervenção

Veja na aula de hoje com a professora Daniela uma análise real da Proposta de Intervenção da redação nota 1000 da Isabella Gadelha. Ela pontuou no teto em todas as competências.

Aprenda, na prática, como gabaritar a Competência 5 da redação do Enem. Muita gente perde os pontos só porque “pensa que é difícil”, e não observa o passo a passo necessário. É simples, e você vai conseguir com as dicas da profa. Daniela.

Para você mandar bem na redação é preciso ficar de olho nas cinco dimensões avaliadas pelos corretores que vão ler o seu texto. Cada uma delas vale 200 pontos. Para tirar a nota mil é preciso gabaritar em todas elas. Foi isso que a Isabella Gadelha fez na redação do Enem 2020.

Agora você vai entender como foi que ela conquistou os avaliadores na conclusão, na Proposta de Intervenção, que é a Competência 5 da redação. E você aprende na prática, com um texto real. Nota mil de verdade.

Os elementos da Competência 5

Para gabaritar nesta competência 5 da redação você precisa apresentar “uma proposta de intervenção” que tenha os cinco elementos essenciais para conquistar 40 pontos em cada um.  A sua proposta de intervenção precisa contemplar: a) um agente; b) o detalhamento deste agente; c) uma ação sugerida; d) O modo, que é um meio para realizar a ação; e) uma finalidade, ou efeito pretendido.

Se você ainda não assistiu as aulas da professora Daniela com as análises das Competências 1; 2; 3; e 4 na redação nota mil da Isabella, confira agora, antes de entrar na análise da Competência 5:

 

Como gabaritar na Competência 5

Agora, antes de ver o texto da Conclusão da Isabella, confira com a professora Daniela Garcia, do canal do Curso Enem Gratuito, quais são os cinco elementos que valem pontos na Competência 5 da redação, com a Proposta de Intervenção.

Viu como é importante você contemplar os cinco elementos que valem nota na Proposta de Intervenção?  Em cada um deles você pode garantir 40 pontos!

Veja agora a análise do texto da Isabella:

Na aula de hoje você vai conferir no texto da participante Isabella Gadelha, que tirou nota 1000 na correção oficial do Enem 2020, que ela incluiu duas Propostas de Intervenção, bem completas, e em apenas um parágrafo.

Com apenas uma proposta completa, ela já teria conquistado os 200 pontos. Mas, pelas características do texto, a autora conduziu com duas abordagens, uma sobre a falta de informações em relação ao tema, e outra sobre a falta de representatividade. E, ela fez as duas propostas.

Confira no texto original

Veja o texto original da Isabella Gadelha, com o parágrafo final da redação, onde ela apresentou as duas Propostas de Intervenção. Leia com calma, e depois veja os comentários da professora Daniela.

Portanto, faz-se imprescindível que a mídia – instrumento de ampla abrangência – informe a sociedade a respeito dessas doenças e sobre como conviver com pessoas portadoras, por meio de comerciais periódicos nas redes sociais e debates televisivos, a fim de formar cidadãos informados.  Paralelamente, o Estado – principal promotor da harmonia social – deve promover a representatividade de pessoas com transtornos mentais nas artes, por intermédio de incentivos monetários para produzir obras sobre o tema, com o fato de amenizar o problema. Assim, o corpo civil será mais educado e os estigmas contra indivíduos com patologias mentais não serão uma realidade do Brasil.

Os comentários da professora

A primeira proposta de Intervenção está clara bem no início da conclusão, quando a autora coloca no texto que “… faz-se imprescindível…” e vai até “… a fim de formar cidadãos informados.” A Isabella colocou dentro deste período todos os cinco elementos necessários para gabaritar os 200 pontos.  Veja:

  1. O agente: a mídia
  2. O detalhamento: instrumento de ampla abrangência
  3. A ação: informar a sociedade
  4. O modo: por meio de comerciais
  5. Finalidade (efeito): formar cidadãos bem informados.

 

Volte ao texto original, com o parágrafo da conclusão, e veja agora a segunda proposta de intervenção. Ela começa em “Paralelamente…”, e vai até o final do texto. Veja os cinco elementos também presentes ali.

  1. O agente: o Estado
  2. O detalhamento: principal promotor da harmonia social
  3. A ação: deve promover a representatividade
  4. O modo: por intermédio de incentivos monetários
  5. Finalidade (efeito): amenizar o problema

 

Dica importante: Se a Isabella tivesse apresentado apenas uma proposta de intervenção completa, isto seria suficiente para conquistar os 200 pontos. Então, no seu texto dissertativo-argumentativo na redação do Enem não se preocupe se você apresentar apenas uma proposta de intervenção. A sua conclusão vai, sim, valer os 200 pontos na soma dos cinco elementos.

Veja os comentários da professora Daniela

Se você quiser assistir em vídeo os comentários da professora Daniela Garcia, acompanhe aqui:

A Redação nota 1000 completa da Isabella

Nise da Silveira foi uma renomada psiquiatra brasileira que, indo contra a comunidade médica tradicional da sua época, lutou a favor de um tratamento humanizado para pessoas com transtornos psicológicos. No contexto nacional atual, indivíduos com patologias mentais ainda sofrem com diversos estigmas criados. Isso ocorre, pois faltam informações corretas sobre o assunto e, também, existe uma carência de representatividade desse grupo nas mídias.

Primariamente, vale ressaltar que a ignorância é uma das principais causas da criação de preconceitos contra portadores de doenças psiquiátricas. Sob essa ótica, o pintor holandês Vincent Van Gogh foi alvo de agressões físicas e psicológicas por sofrer de transtornos neurológicos e não possuir o tratamento adequado. O ocorrido com o artista pode ser presenciado no corpo social brasileiro, visto que, apesar de uma parcela significativa da população lidar com alguma patologia mental, ainda são propagadas informações incorretas sobre o tema. Esse processo fortalece a ideia de que integrantes não são capazes de conviver em sociedade, reforçando estigmas antigos e criando novos. Dessa forma, a ignorância contribui para a estigmatização desses indivíduos e prejudica o coletivo.

Ademais, a carência de representatividade nos veículos midiáticos fomenta o preconceito contra pessoas com distúrbios psicológicos. Nesse sentido, a série de televisão da emissora HBO, “Euphoria”, mostra as dificuldades de conviver com Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), ilustrado pela protagonista Rue, que possui a doença. A série é um exemplo de representação desse grupo, nas artes, falando sobre a doença de maneira responsável. Contudo, ainda é pouca a representatividade desses indivíduos em livros, filmes e séries, que quando possuem um papel, muitas vezes, são personagens secundários e não há um aprofundamento de sua história. Desse modo, esse processo agrava os estereótipos contra essas pessoas e afeta sua autoestima, pois eles não se sentem representados.

Portanto, faz-se imprescindível que a mídia – instrumento de ampla abrangência – informe a sociedade a respeito dessas doenças e sobre como conviver com pessoas portadoras, por meio de comerciais periódicos nas redes sociais e debates televisivos, a fim de formar cidadãos informados. Paralelamente, o Estado – principal promotor da harmonia social – deve promover a representatividade de pessoas com transtornos mentais nas artes, por intermédio de incentivos monetários para produzir obras sobre o tema, com o fato de amenizar o problema. Assim, o corpo civil será mais educado e os estigmas contra indivíduos com patologias mentais não serão uma realidade do Brasil.

 

João Vianney dos Valles Santos

Psicólogo e jornalista, Vianney é diretor do Blog do Enem. Tem doutorado em Ciências Humanas, coordenou o Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, e Dirigiu o Campus Unisul Virtual. É consultor de EaD da Hoper Educação.
Categorias: Apostilas Enem Gratuitas, Redação Enem Tags: , ,