Dinâmica e estrutura da população brasileira – Geografia Enem

Entenda as diferenças entre Migração x Imigração, e aprenda quais são os elementos da Dinâmica Populacional. Veja o que provoca o Crescimento Populacional.

De acordo com os resultados preliminares do censo de 2010, realizado pelo IBGE, na Estrutura da População brasileira tínhamos o registro de 190.755.799 habitantes.

Mas, em 2020, os dados já apontavam 208 milhões de habitantes. Ao se comparar a população brasileira em 2020 com a de 2010, verifica-se um crescimento de 9,4%. Na década anterior, de 2010 em relação a 2000, o crescimento tinha sido maior, de 12,3%.

Ao se comparar os resultados atuais com os do primeiro censo realizado no Brasil , em 1872, temos a clara impressão do crescimento do país. Naquela primeira coleta de dados o país tinha 9 milhões e 930 mil habitantes. Em um século e meio a população multiplicou-se por mais de 20 vezes.

Para entender melhor a dinâmica e a Estrutura da População brasileira, vamos voltar ao passado para ver de que forma que se iniciou o crescimento da população brasileira.

Há duas causas básicas para o crescimento populacional brasileiro: a contribuição da imigração e o crescimento natural ou vegetativo da população. Vamos então tentar entender quais são os fatores que influenciam nessa dinâmica da população brasileira.

A Imigração na Estrutura da População

Os europeus, africanos e asiáticos que migraram para o Brasil , além dos indígenas que aqui já viviam, são os formadores da população brasileira.

Entre os imigrantes que entraram no Brasil, devemos distinguir os que vieram de maneira forçada, como os africanos, trazidos como escravos, e os imigrantes livres ou espontâneos. Desse grupo, os que mais se destacaram quantitativamente foram os portugueses, italianos, espanhóis, alemães e japoneses.

Além desses povos, os sírios, libaneses, poloneses, holandeses, coreanos e chineses também contribuíram para a formação da população brasileira. Foi gente de todo o lado querendo conhecer o Brasil!

Entre 1887 e 1930 entraram no Brasil cerca de 3,8 milhões de imigrantes, o que contribuiu de forma significativa para o crescimento populacional do país.

Resumo sobre a Imigração Europeia no Império:

Gostou do resumo com o professor Felipe? Veja agora o tema com profundidade:

Após 1930, com a chegada de Getúlio Vargas no poder, a imigração europeia decresce , assumindo uma importância secundária no crescimento populacional. Entre os fatores que explicam essa queda, destaca-se a Lei de Cotas da Imigração, criada pelo governo brasileiro em 1934.

Essa lei restringiu a entrada de imigrantes, pois estabelecia cota anual de 2% do total de imigrantes de cada , isso fez com que diminuísse a entrada de imigrantes no Brasil.

Observa-se que em alguns locais do Brasil , principalmente na região sul do país, há uma forte presença cultural de povos originários do continente europeu que imigraram para cá.

Essa vinda de imigrantes  europeus não só auxiliou no crescimento populacional como também no desenvolvimento da economia, e deixou suas marcas na Estrutura da População brasileira.

Resumo Gratuito: Demografia – Veja os conceitos básicos

Confira com o professor Rafael Carrieri um resumo simples e rápido com os principais conceitos da Demografia para você entender a Dinâmica Populacional no Brasil.

Muito bom este resumo do Carrieri. Fica mais fácil para entender o conteúdo completo da aula.

Crescimento Vegetativo

A diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade dá-se o nome de crescimento natural ou vegetativo da população.

A taxa de natalidade corresponde ao número de nascidos vivos a cada 1.000 habitantes de um país, estado ou município, em um determinado período de tempo , geralmente 1 ano.

É calculada dividindo-se o número de nascidos vivos em determinado período pelo número da população existente no mesmo período. O resultado é multiplicado por mil pra facilitar a leitura e permitir comparação internacional.

Ela é representada pelo símbolo ‰ e lê-se permilagem, diferente de percentual (%).A taxa de mortalidade corresponde ao número de óbitos por 1.000 habitantes. É calculada dividindo-se o número de óbitos em determinado período pela população total nesse mesmo período e multiplicando o resultado por mil.

  • Taxa de natalidade (Tn): número de nascidos vivos dividido pelo número de habitantes.
  • Taxa de mortalidade (Tm): número de falecimentos dividido pelo número total de habitantes.
  • Assim, o crescimento vegetativo é obtido pela seguinte fórmula:
  • CV = Tn – Tm

 

A taxa de crescimento vegetativo da população brasileira em 2008 foi de 10% o que significa que em cada grupo de 1.000 habitantes, a população aumentou em aproximadamente 10 pessoas.

CV= 16‰ (Tn) – 6‰ (Tm) = 10‰

Nos dias atuais, o crescimento vegetativo da população é a principal causa do crescimento quantitativo da população brasileira, ainda que esse crescimento venha diminuindo desde a segunda metade da década de 60.

Agora, teste seus conhecimentos com os exercícios que selecionei para você:

Questão 1

Tendências globais em fecundidade

A população mundial ultrapassou os 7 bilhões e está projetada para alcançar 9 bilhões até 2050. Em termos gerais, o crescimento populacional é maior nos países mais pobres, onde as preferências de fecundidade são mais altas, onde os governos carecem de recursos para atender à crescente demanda por serviços e infraestrutura, onde o crescimento dos empregos não está acompanhando o número de pessoas que entram para a força de trabalho e onde muitos grupos populacionais enfrentam grandes dificuldades no acesso à informação e aos serviços de planejamento familiar.

Fonte: Population Reference Bureau, 2011.

Com base no texto, é CORRETO afirmar que

a) as taxas de nascimento da população mundial têm declinado vagarosamente, contudo há grandes disparidades entre as regiões mais e menos desenvolvidas, como na África Subsaariana, onde as mulheres têm três vezes mais filhos, em média, que as das regiões mais desenvolvidas do mundo.

b) a pobreza, a desigualdade de gênero e as pressões sociais revelam acesso desigual aos meios de prevenção à gravidez, mas não são consideradas nos índices demográficos como indicadores da persistente alta da taxa de fecundidade no mundo em desenvolvimento.

c) o aumento do uso de contraceptivos é consideravelmente responsável pelo aumento das taxas de fecundidade nos países desenvolvidos. Globalmente, cerca de quatro mulheres escolarizadas, sexualmente ativas e na idade reprodutiva não adotam o planejamento familiar.

d) a taxa de fecundidade total é uma medida mais direta do nível de longevidade que a taxa bruta de natalidade, uma vez que se refere ao envelhecimento da população feminina. Esse indicador mostra o potencial das mudanças de gênero nos países.

e) uma média de cinco filhos por mulher é considerada a taxa de substituição de uma população, provocando uma relativa instabilidade em termos de números absolutos. Taxas acima de cinco filhos indicam população crescendo em tamanho cuja idade média está em ascensão.

Resposta: A

Questão 2

(URCA) O número de habitantes de uma cidade, estado ou país pode ser determinada através de censo ou recenseamento, que é a contagem direta da população, e que no Brasil se faz através do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a cada dez anos, sendo o último realizado em 2010. Com base nos resultados do último censo é correto afirmarmos:

 a) Houve um acréscimo de quase 23 milhões de habitantes urbanos que resultou no aumento do grau de urbanização, que passou de 81,2% em 2000, para 84,4% em 2010. Esse incremento foi causado pelo próprio crescimento vegetativo nas áreas rurais, além das migrações urbana/rural.

b) Percebe-se o alargamento do topo do gráfico etário, onde pode ser observado pelo crescimento da participação relativa da população com 65 anos ou mais, que era de 4,8% em 1991, passando a 5,9% em 2000 e chegando a 7,4% em 2010.

c) As maiores taxas médias geométricas de crescimento anual foram observadas nas regiões Sudeste (2,09%) e Sul (1,91%), onde a componente migratória e a maior fecundidade contribuíram para o crescimento diferencial.

d) Os dados mostram ainda um país com estrutura etária mais Jovem, com mais pessoas se declarando brancas e pretas os dois grupos chegaram a 43,1% e 7,6% da população, respectivamente e proporcionalmente com um contingente maior de Homens.

e) Segundo o estudo, o fator mais importante para a redução do nível de crescimento da população é a queda da entrada de emigrantes, que vem diminuindo desde a década de 1970.

Resposta: B

Curso Enem Gratuito

Quer aumentar suas chances no próximo Exame Nacional do Ensino Médio e mandar bem nas Notas de Corte do Enem? Estude com as apostilas e aulas gratuitas do Curso Enem Online. Todas as matérias do Exame e ainda as Dicas de Redação. Acesse aqui o Curso Enem Gratuito Online.

curso enem gratuito blue fino

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Priscila Colturato para o Blog do Enem. Priscila é formada em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina.