Fies vale a pena? Conheça as vantagens do programa

Muita gente costuma se perguntar se o Fies vale a pena. Preparamos um conteúdo especial e completo sobre o programa para ajudar na sua decisão!

Quando chega a hora de optar por um dos programas de ingresso no ensino superior oferecidos pelo MEC, muita gente se pergunta se o Fies vale a pena. O Fundo de Financiamento Estudantil foi criado para aumentar a possibilidade de acesso de estudantes de baixa renda em universidades privadas. 

É uma excelente oportunidade para quem não tem condições de arcar com as mensalidades de uma faculdade, mas, ao mesmo tempo, sonha com o diploma de uma graduação. 

Claro que, iniciar essa jornada já com o compromisso de quitar a dívida após a formatura desagrada muitos estudantes. Mas, o programa tem suas vantagens, e é sobre isso que queremos falar hoje. Vamos lá? 

O que é o Fies? 

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Governo Federal brasileiro que tem como objetivo facilitar o acesso ao ensino superior para estudantes de baixa renda.

O Fies permite que os estudantes financiem suas mensalidades em instituições de ensino privadas credenciadas pelo programa, arcando com os valores apenas após a conclusão do curso, com juros abaixo do mercado e um prazo estendido para o pagamento.

São oferecidas duas modalidades de financiamento: 

  • Fies I: destinada aos estudantes com renda familiar mensal per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é concedido sem a cobrança de juros.
  • P-Fies: para estudantes de maior renda mensal familiar. Não há um período de inscrições estabelecido, portanto, o financiamento pode ser solicitado a qualquer momento do ano. A taxa de juros é variável e depende da instituição onde foi fechado o financiamento.

Não é possível alterar a modalidade do financiamento durante a realização do curso.

Cabe destacar também que o Fies é uma forma de financiamento, diferente de uma bolsa de estudos, como no caso do Prouni ou ofertadas por instituições privadas. Ou seja, o estudante terá que arcar com os juros e eventualmente com os valores das mensalidades que excederem o limite do financiamento.

Quem pode participar do Fies?

Para concorrer a uma vaga na faculdade por meio do Fies ou do P-Fies, é preciso cumprir alguns requisitos, como:

  • Ter feito alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2010;
  • Ter obtido média superior a 450 pontos no exame;
  • Ter obtido nota superior a zero na redação.

Como se inscrever no Fies? 

Para fazer a sua inscrição e concorrer a uma das vagas do Fies 2023, basta acessar o site oficial do programa, clicar em “Minha Inscrição” e depois em “Fazer Cadastro”.

Você será direcionado para o site gov.br. Faça o seu login para entrar no sistema de inscrição do Fies e preencher as informações solicitadas.

Você vai precisar dos seguintes documentos:

  • Número de CPF;
  • Data de nascimento (igual à que consta no CPF);
  • E-mail pessoal válido;
  • Nome e data de nascimento dos membros do seu grupo familiar;
  • CPF dos membros do seu grupo familiar com idade igual ou superior a 14 (quatorze) anos;
  • Renda bruta mensal de cada componente do grupo familiar;
  • Parâmetros que definem o grupo de preferência;
  • Ordem de prioridade das 3 (três) opções de curso/turno/local de oferta entre as disponíveis no referido grupo.

Cronograma do Fies 2023

  • Inscrições: de 7 a 10 de março
  • Divulgação da chamada única e lista de espera: 14 de março
  • Complementação da inscrição: 15 a 17 de março 

Como é o processo seletivo do Fies?

O Fies tem uma edição a cada semestre. As inscrições são gratuitas e, para participar, os interessados devem se cadastrar no site oficial do programa.

Aqueles que não são pré-selecionados ainda podem ficar na lista de espera e concorrer a uma segunda chance, caso haja desistências.

A classificação é feita com base na nota do Enem, com preferência para quem nunca cursou nenhum curso superior. O candidato pode selecionar até três cursos de seu interesse que tenham vagas no Fies.

Como os candidatos são classificados? 

Os candidatos são classificados no grupo de preferência para o qual se inscreveram, atendida a prioridade indicada dentre as três opções de curso/turno/local de oferta escolhidas, em ordem decrescente e de acordo com as notas obtidas no Enem, nesta sequência:

  1. Candidatos que não tenham concluído o Ensino Superior e não tenham sido beneficiados pelo financiamento estudantil;
  2. Candidatos que não tenham concluído o Ensino Superior, mas já tenham sido beneficiados pelo financiamento estudantil e o tenham quitado;
  3. Candidatos que já tenham concluído o Ensino Superior e não tenham sido beneficiados pelo financiamento estudantil; 
  4. Candidatos que já tenham concluído o Ensino Superior e tenham sido beneficiados pelo financiamento estudantil e o tenham quitado.

Na chamada única, são pré-selecionados os candidatos classificados com base no número de vagas disponíveis no grupo de preferência.

Os critérios para o desempate, no caso de notas idênticas no Enem, são:

  1. Maior nota obtida na redação;
  2. Maior nota obtida na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias;
  3. Maior nota obtida na prova de matemática e suas tecnologias;
  4. Maior nota obtida na prova de ciências da natureza e suas tecnologias;
  5. Maior nota obtida na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Afinal, o Fies vale a pena? 

Podemos afirmar que o Fies vale a pena em alguns casos. Veja exemplos:

  • Quando o curso que você deseja não está disponível em universidades públicas ou sua pontuação não foi suficiente;
  • Quando o curso não oferece bolsas pelo Prouni ou sua pontuação não foi suficiente;
  • Quando você consegue uma bolsa parcial de 50% pelo Prouni, mas não pode arcar com a outra metade das mensalidades.
  • Você não tem condições financeiras para pagar a mensalidade integral do curso que deseja, mas sua renda é suficiente para as parcelas trimestrais dos juros e os custos não cobertos pelo programa.
  • O curso que você quer fazer tem boa empregabilidade e existem excelentes chances de aumentar sua renda ao se formar.

Diante dessas informações, é importante ponderar sobre algumas questões. Assim, você se sentirá mais confiante para tomar a sua decisão. 

Você pode pesquisar sobre o mercado de trabalho para recém formados, na área em que pretende atuar, fazer uma média sobre o valor que deverá ser pago durante e depois de concluir o curso e, ainda, estipular as despesas após a formatura. 

Anote tudo isso com o máximo de detalhes que conseguir, para embasar a sua escolha. 

Conheça as vantagens do Fies 

Algumas das principais vantagens do Fies incluem:

  • Possibilidade de financiar até 100% do valor da mensalidade do curso de graduação;
  • Juros baixos ou zero, dependendo da modalidade de financiamento escolhida e da renda do estudante;
  • Carência de 18 meses após a conclusão do curso antes de começar a pagar as parcelas do financiamento;
  • Prazo de até três vezes a duração do curso para quitar o financiamento;
  • Possibilidade de aditamento do contrato para solicitar a redução do valor das parcelas ou a suspensão temporária do pagamento em caso de dificuldades financeiras;
  • Não é necessário apresentar fiador para os estudantes que optarem pelo financiamento com juros zero.

Com isso, o Fies vale a pena e se torna, sim, uma opção bastante interessante para estudantes que desejam ingressar no ensino superior, mas que não têm condições financeiras para arcar com os custos da mensalidade de forma integral no momento. 

E, se achar arriscado, ainda pode tentar uma bolsa de estudos em universidades privadas, como a Uniasselvi e a Unicesumar. Quem sabe a sua chance esteja justamente aí, à espera? 

Melina Zanotto

Melina Zanotto é Jornalista, formada pela Universidade de Caxias do Sul em 2007. De lá para cá, sempre atuou com conteúdo digital em seus mais diversos formatos. Hoje, é redatora da Rede Enem, produzindo textos para o Blog do Enem e Curso Enem Gratuito.
Categorias: FIES
Encontrou algum erro? Avise-nos para que possamos corrigir.

Intensivo
gapixel

intensivogapixel