Gramática: Revisão e dicas sobre os verbos no Modo Indicativo

Estudar os verbos é muito importante para as provas de redação e as questões de gramática nos vestibulares e no Enem. Revise aqui o modo indicativo e não perca pontos com erros primários.

O modo verbal mais presente em nossa rotina é o modo indicativo. Ele indica um fato real, ou seja, uma certeza.  Utilizamos o modo do indicativo constantemente para falar o que estamos fazendo, o que vamos fazer e o que já fizemos.

Ele conta com divisões e subdivisões nos casos do pretérito e do futuro. Seus tempos verbais são:

Presente: (eu amo);

Pretérito: Pretérito perfeito (eu amei); Pretérito Imperfeito (eu amava); Pretérito mais-que-perfeito (eu amara);

Futuro: Futuro do presente (eu amarei); Futuro do pretérito (eu amaria).

Dica 1 – Revise aqui o que você precisa saber sobre Verbos de Ligação. Tem videoaula gratuita: https://blogdoenem.com.br/redacao-gramatica-verbos-ligacao/

Uma questão importante para você é saber como empregar adequadamente cada um dos tempos verbais do modo indicativo. Confira abaixo as dicas da professora Jéssica e prepare-se para o Enem!

Dica 2 – Veja aqui uma revisão de gramática sobre Verbos Impessoais. Este tema é frequente no Enem e nos vestibulares: https://blogdoenem.com.br/gramatica-verbos-impessoais/

O presente do modo indicativo é usado nos seguintes casos:

– Expressar um fato que ocorre no momento em que se fala: “O telefone toca sem parar”.
– Um fato passado, mas que reflete um presente histórico: “João falece aos 50 anos de idade e deixa saudades”.
– Uma ação habitual: “Acordo às 6 da manha todos os dias”.
– Uma verdade universal: “Um dia tem 24 horas”.
– Fatos futuros, porém não muito: “Almoço com você logo mais”.
– Com valor imperativo, uma ordem, pedido: “Respeitem às regras”!

O pretérito do modo indicativo é usado nas situações:
Pretérito perfeito: para um fato concluído: “Ganhei na loteria”.
Para uma ação que se prolonga até o momento presente (forma composta): “Tenho almoçado sozinho”.

Pretérito imperfeito:
– Usamos para expressar um fato contínuo: “Ela caminhava devagarzinho”.
– Em casos em que temos um fato passado que tem imprecisão de tempo: “Era uma vez os três porquinhos…”
– Uma ação que acontece em relação a um fato passado: “Eu dormia quando você entrou pela porta e me acordou”.

Pretérito mais-que-perfeito:
– Expressa uma ação passada ocorrida anterior à outra também no passado: “Ela já tomara banho quando você veio visitá-la”.
– Para expressar um desejo: “Quem me dera que meus sonhos se realizassem”.

O futuro do modo indicativo é empregado nos seguintes casos:

Futuro do presente:
– Para um fato futuro que poderá ocorrer posterior ao momento da fala: “Na segunda-feira, eu terminarei esse projeto.”
– Para expressar dúvida sobre de um fato presente: “Será que vai chover neste final de semana?”

Futuro do pretérito:
– Para expressar um fato futuro em relação a uma ação passada: “Eu iria ao teatro se não tivessem acabado os ingressos.”
– Para uma ação futura, porém duvidosa: “Será que teremos dinheiro para viajar?”
– Fato presente: “Você poderia colocar os fones de ouvido? A música está me atrapalhando.”

Para compor esse post pesquisamos o assunto Modo Indicativo nos sites Mundo educação, Gramática online e Info Escola. Confira os links: http://www.infoescola.com/portugues/modo-indicativo/  http://www.gramaticaonline.com.br/texto/864/Modo_Indicativo  http://www.mundoeducacao.com/gramatica/os-tempos-indicativo.htm

Este post foi elaborado por Amanda Nascimento. Ela é formada em jornalismo pela Unisul. Atualmente é acadêmica do curso de Letras – Português e Literaturas, na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, editora de revistas, e colaboradora do Blog do Enem. Amanda está aqui no Facebook: https://www.facebook.com/amanda.nascimento.9066 .