Variantes Linguísticas – Gramática no vestibular e no Enem

Para não escorregar no Enem e arrasar em Linguagens, Códigos e sua Tecnologias, veja esta revisão sobre as Variantes Linguísticas! Cai no Enem e nos Vestibulares.

Confira como a Língua Portuguesa vem se modificando ao longo do tempo. Muda o jeito de falar e o modo de escrever. E, também, há variações regionais.

O pão de trigo, por exemplo, e chamado de ‘pão de sal’ no Centro-Oeste, de ‘pão francês’ no Sudeste, e de ‘cacetinho’ no Rio Grande do Sul. Conheça as Variantes Linguísticas para o Enem.

evolução humana
A linha do tempo registra variações na linguagem. Veja no post.

Variantes Linguísticas – Toda língua sofre mudanças no decorrer do tempo, e isso ocorre porque ela está em uso e integrada com o cotidiano dos falantes. Sabemos que uma língua não é falada do mesmo modo por todas as pessoas.

Ao contrário, dependendo da região, classe social, da idade, do sexo, da época, apresenta variações linguísticas. Podemos dividir em três núcleos: variação histórica, variação regional, variação social e variação estilística.

Variação Histórica – Consiste na transformação da língua através do tempo, ou seja, surgem novas palavras, há o desuso de outras, criam-se sentidos diferentes para um mesmo vocábulo, muda-se a ortografia. Veja na imagem ilustrativa a seguir como se escrevia Crônica do mês em 1889!

 variantes linguísticas

(Capital Paulista: revista mensal de artes e letras. São Paulo, julho/ 1899)

Variação Regional

Consiste nas diferentes formas de pronúncia (sotaque), de vocabulário e de estrutura sintática, em razão da região geográfica em que a língua é usada.

3490.png

(Disponível em: descomplicandoared.blogspot.com.br/2011)

Variação Social

Relaciona-se a fatores sociais, como idade, sexo, grau de escolaridade, grupo social, grupo profissional, etnia, etc.

Veja uma frase nos moldes jurídico e a mesma situação na linguagem popular:

– O fato ocorreu em legítima defesa.

– Bateu, levou!

3569.png

Variação Estilística

Consiste no modo formal ou informal de falar ou escrever em uma situação de uso da língua. Dependendo do grau de intimidade, do tipo de assunto, do ambiente familiar ou profissional e de quem são seus interlocutores, a língua será adequada ao contexto. Então, uma mesma pessoa irá usar a língua de variadas maneiras. Um Diplomata não irá se comunicar em serviço da mesma forma familiar que fala em casa com seu filho.

[box type=”info” ]Dica 1 – Português Enem: Saiba tudo sobre as vozes verbais[/box]


Exercícios

Questão 01 – Leia o fragmento do texto “Antigamente”, de Carlos Drummond de Andrade:

Antigamente

Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito prendadas. Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito. Os janotas, mesmo sendo rapagões, faziam-lhes pé de alferes, arrastando a asa, mas ficavam longos meses debaixo do balaio.

Com base nos estudos de variantes linguísticas, compreende-se que a variante apresentada no fragmento é a:

a) geografia.    b) histórica.    c) estilística.    d) social.    e) geográfica e a social.

Questão 2 – (Enem/2005) Leia com atenção o texto a seguir.

[Em Portugal], você poderá ter alguns probleminhas se entrar numa loja de roupas desconhecendo certas sutilezas da língua. Por exemplo, não adianta pedir para ver os ternos — peça para ver os fatos. Paletó é casaco. Meias são peúgas. Suéter é camisola — mas não se assuste, porque calcinhas femininas são cuecas. (Não é uma delícia?) (Ruy Castro. Viaje Bem. Ano VIII, no 3, 78.)

O texto destaca a diferença entre o português do Brasil e o de Portugal quanto:

a) ao vocabulário.    b) à derivação.    c) à pronúncia.    d) ao gênero.    e) à sintaxe.

Questão 3 – Leia e analise o poema a seguir. Depois use V para a(s) afirmativa(s) verdadeira(s) e F para a(s) falsa(s).

Manuel Bandeira escreve:

A vida não me chegava pelos jornais nem pelos livros
Vinha da boca do povo na língua errada do povo
Língua certa do povo
Por que ele é fala gostoso o português do Brasil.
Ao passo que nós
O que fazemos
É macaquear
A sintaxe lusíada.

a) ( ) Nos versos 6, 7 e 8, Bandeira critica e denuncia o desapreço às formas populares de expressão.

b) ( ) Língua certa do povo e A sintaxe lusíada representam no poema os níveis de fala, ou seja, os modos variados de um indivíduo usar a língua, de acordo com o meio sociocultural em que ele vive.

c) ( ) Os versos 1 e 2 buscam retratar a forma como o falante adquire a linguagem culta; primeiramente por meio do contato com as pessoas próximas e depois a aprimorando com a leitura de jornais e livros.

d) ( ) O verso 8 estabelece uma relação com a língua portuguesa falada em Portugal.

e) ( ) O gostoso português do Brasil, no texto, faz uma referência à língua padrão usada hoje pelos brasileiros.

Questão 4 – Sabe-se que no Rio Grande do Sul os guris brincam com pandorga, em São Paulo as crianças brincam com papagaios e no Paraná os piás brincam com pipas ou raias. Com base no estudo de variantes lingüísticas, podemos dizer que, na frase anterior, temos a presença da variante linguística:

a) histórica.    b) social.    c) regional.    d) social e histórica.    e) sociocultural.

Questão 5 – (Enem/2009)

3800.png
3810.png

A linguagem da tirinha revela:

a) o uso de expressões linguísticas e vocabulário próprios de épocas antigas.

b) o uso de expressões linguísticas inseridas no registro mais formal da língua.

c) o caráter coloquial expresso pelo uso do tempo verbal no segundo quadrinho.

d) o uso de um vocabulário específico para situações comunicativas de emergência.

e) a intenção comunicativa dos personagens: a de estabelecer a hierarquia entre eles.

Você consegue solucionar estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!

Para completar sua revisão, acompanhe essa videoaula do canal INSTRUCAODIGITAL disponível no Youtube.

compartilhe