Renascimento, Cultura e Humanismo no final da Idade Média: história no Enem

Chegou a hora de você relembrar o conteúdo sobre Renascimento e Humanismo. Fique ligado nos renascentistas Leonardo da Vinci e William Shakespeare! Cai no Enem e nos vestibulares.

Você pode até nunca ter estudado o Renascimento e o Humanismo. Mas, com certeza você já ouviu falar de Leonardo da Vinci e de sua pintura mais famosa do mundo, a Monalisa, ou já leu Romeu e Julieta de William Shakespeare. Pois é, Leonardo e William foram renascentistas, ao lado de gigantes como Michelangelo, autor da escultura Pietá, em exposição no Vaticano.

Vamos então saber o que foi o Renascimento e o Humanismo? – O Renascimento foi um movimento cultural que surgiu nas ricas e movimentadas cidades comerciais da península Itálica e se propagou por várias regiões da Europa, a partir do século XIV.

Leonardo da Vinci é um dos ícones do Renascimento. O quadro da Mona Lisa, criado por ele, é a pintura que marca o período. Da Vinci marcou também pelos estudos de antropometria, e também consolidou o estudo da época sobre as proporções do corpo humano, com o desenho do homem vitruviano (abaixo).renascimento humanismo

Foram os próprios renascentistas que denominaram a sua época de Renascimento. Mas porque Renascimento? Para os renascentistas a produção cultural havia desaparecido durante a Idade Média e ao valorizar as obras de gregos e romanos, eles acreditavam que a cultura renasceria, daí o nome de Renascimento.

A Idade Média, só para você lembrar e nunca mais esquecer, começou no século V, com o declínio e desagregação do Império Romano. Neste período as pessoas deixaram de estar sob o domínio (ou proteção) dos romanos, e migraram para diversas partes do interior do continente europeu.

O poder passou a ser exercido pelos proprietários de terras, que tinham “um feudo”. Ali o senhor feudal era o Suserano, e dispunha ao seu sabor da forma de governar e comandar os vassalos ou servos em sua propriedade. Tempos sombrios, muito difíceis.

O fim da Idade Média só acontece no século XV. Sim, durou mil anos. Na época das Grandes Navegações, das Rotas Comerciais marítimas ou terrestres surge uma nova forma de riqueza na Europa. Os comerciantes e os financistas organizados nas cidades formam a Burguesia Comercial e a Burguesia Bancária, e passam a deter o poder, provocando o declínio dos senhores feudais.

Fique ligado agora no Renascimento

 Os renascentistas não copiaram a cultura greco-romana que estava preservada no acervo que ficara protegido nos mosteiros religiosos durante a Idade Média.

Em essência os artistas pioneiros do Renascimento utilizaram a estética greco-romana como um modelo para alimentar o seu novo interesse pela vida terrena. Mas, nem por isso deixaram de produzir obras com temas religiosos, mas conferiram a estas humanidade.

Características do Renascimento:

  1. Antropocentrismo: o homem no centro das atenções.
  2. Racionalismo: a razão é tão importante quanto a fé.
  3. Individualismo: valorização da capacidade individual, da arte e do talento de cada pessoa.
  4. Hedonismo: visão na qual o corpo é fonte de beleza e de prazer.
  5. Uma nova visão do tempo: o tempo pertence ao homem e este pode usá-lo em benefício próprio.

 

Neste ambiente de renovação de ideias surgiu o Humanismo, um movimento intelectual do Renascimento. Os humanistas queriam melhorar o ensino universitário através de estudos baseados na razão, no cálculo e na experiência. Mais tarde, a denominação de humanista passou a designar todas aquelas pessoas que desejavam criar uma nova cultura centrada no ser humano.

Os pintores e escultores do Renascimento introduziram inovações que marcaram a arte de sua época. Veja quais foram elas:

  • Realismo: o esforço em retratar a figura humana e as paisagens exatamente como elas eram.
  • Domínio da Perspectiva: técnica que transmite a sensação de profundidade.
  • Autorretrato: o artista passou a pintar a si próprio.

Entre os pintores renascentistas temos: Giotto, Sandro Botticelli, Leonardo da Vinci, Rafael de Sanzio e Michelangelo Buonarroti.

Observe a imagem abaixo a escultura Pietá, de Michelangelo. Perceba como a anatomia humana foi evidenciada. O Renascimento contrastou com a cultura medieval exatamente por mostrar o humano em toda a sua forma e grandeza. É um realismo que impressiona e choca ao mesmo tempo!renascimento humanismoOs conceitos do Renascimento e do Humanismo propagaram-se na política, arquitetura, literatura, filosofia e ciência, influenciando a maneira como as pessoas viam o mundo e o homem.

A importância da Itália no Renascimento

O nome Renascimento identifica um período rico na cultura européia, marcado como uma revitalização das ciências, das artes e da filosofia, marcando uma cultura que começava a se consolidar fora da influência religiosa. Ele ocorre na ‘saída’ da Idade Média. Tem suas origens no século XIV e se consolida no século XV.

A Itália foi a precursora do Renascimento devido a uma série de motivos que, dentre eles destacam-se: a ação da burguesia (mecenato), ser um dos berços da cultura clássica (Roma), possuir centros comerciais desenvolvidos, a vinda dos sábios bizantinos que fugiram dos turcos, quando da queda de Constantinopla, etc. Para a expansão das ideias renascentistas, seus pensadores tiveram a invenção da imprensa (Gutemberg 1450) como grande aliada.

O Renascimento teve três períodos  Trecento; Quatrocento; e Cincotentoo.

Trecento, ocorrido no século XIV, conhecido também como a época do Humanismo; onde temos Dante Alighiere, Pico Della Mirandola, Francisco Petrarca.

O Quatrocento, período de maior florecimento do Renascimento, que toma suas características clássicas, aliadas ao conhecimento do mundo daquele tempo e o Cincocento, ou o fim do Renascimento no século XV, que, pelo apoio que a Igreja Católica passou a dar para o barroco, às críticas da Reforma Protestante, no que tange às representações de imagens dentro das igrejas e a decadência comercial italiana, devido ao fechamento da rota oriental pelos turcos não conseguiu sobreviver mais, entrando em declínio.

Dica 1 – Sabe tudo sobre a Alta Idade Média, Europa Feudal e a Baixa Idade Média? Confira a Idade Média aqui nesta aula de História para o Enem e fique preparado para o Exame!

Os Principais Fundamentos do Renascimento

  1. O Antropocentrismo, que consistia na valorização do ser humano;
  2. O Naturalismo, ou valorização da natureza como obra de Deus, interligada ao ser humano;
  3. O Racionalismo ou culto à razão, onde era necessário uma prova científica para todos os fatos da natureza, indo contra o misticismo medieval e o dogmatismo da Igreja. Claro que essas  tentativas de se obter provas  “racionais”eram buscadas através de um cientificismo grande;
  4. O Universalismo, onde havia uma grande necessidade de saber todas as matérias daquele tempo para se poder provar algum experimento;
  5. O Classicismo, que era a revitalização da cultura clássica, época que reunia todas as características anteriormente citadas;
  6. O Individualismo, sentimento típico burguês, que visava à autopromoção conseguida por do meio do mecenato, onde burgueses, nobres, reis e membros do que patrocinavam e protegiam as artes e os artistas, com encomendas de obras artísticas.
  7. O Heliocentrismo, que defendia o Sol como o centro do universo, e não a terra. Muitos precursores do heliocentrismo morreram queimados na fogueira da Igreja Católica, como foi o caso de Giordano Bruno. Galileu Galilei chegou a fazer a demonstração científica de que a terra girava ao redor do sol, mas foi obrigado a se calar para não ser torturado pela Igreja Católica.
Dica 2 – Quer saber um pouco mais sobre o contraste entre a cultura medieval e a cultura renascentista? É só acessar o link abaixo e tirar todas as suas dúvidas: https://blogdoenem.com.br/historia-enem-cultura/

Exercício – Agora teste seu conhecimento. Responda a esta questão de vestibular que o blog do Enem preparou para você!

(FGV-SP)

“Que obra prima é o homem! Como é nobre em sua razão! Como é infinito em faculdades! Em forma e movimentos, como é expressivo e maravilhoso! Nas ações, como se parece com um anjo! Na inteligência, como se parece com um deus! A maravilha do mundo! O padrão de todos os seres criados!”

(SHAKESPEARE, William. Hamlet. São Paulo: Martin Claret, 2002. p. 47.)

Nesse trecho do Hamlet de William Shakespeare podemos identificar algumas características:

a (  ) Do Catolicismo, com a afirmação da arte como um ofício religioso.

b (  ) Do Protestantismo, com a perspectiva da infalibilidade dos textos bíblicos.

c (  ) Do Renascimento, com a valorização do homem como o centro ou a medida do Universo.

d (  ) Do Hedonismo, com a identificação da beleza como uma manifestação do espírito divino.

e (  ) Do Teocentrismo, com a negação da influência do classicismo greco-romano.

Resposta: A alternativa correta é a letra “c”.

Carla Regina História
O texto desta aula foi preparado pela professora Carla Regina da Silva para o Blog do Enem. Carla é formada em licenciatura e bacharelado em História pela UFSC. https://www.facebook.com/carla.regina.779.