Faltam:
para o ENEM

Processo de Independência do Brasil – História vestibular e Enem

Revisão gratuita e ilustrada sobre o processo que levou à Independência do Brasil de Portugal em 7 de setembro de 1822. Mas, o grito de 'Independência ou Morte' tem raízes bem antes. Veja os fatos desde 1808, com a Chegada da Família Real no Brasil. Confira abaixo.

Revisão Enem sobre o Processo de Independência do Brasil. Confira para mandar bem nas questões de história no vestibular e no Enem.

Para compreender o processo de Independência do Brasil consagrado no dia 7 de setembro de 1822 é preciso analisar com atenção desde a vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil, em 1808. A chegada da Corte de Portugal no Brasil influenciou uma série de transformações na América Portuguesa.

1808 - A família real de Portugal no Brasil

É importante pensar que a vinda de mais de 15 mil pessoas para o Brasil, entre nobres e altos funcionários do Estado Português, afetou muito a rotina dos brasileiros.

D. João VI, decretou a abertura dos portos brasileiros às nações amigas, em 1808. Uma estratégia para fugir do Bloqueio Continental, imposto pela França. Para o Brasil, esta atitude dava fim ao monopólio comercial imposto pela metrópole por três séculos.   Outras atitudes de D. João VI, como a criação de ministérios, tribunais, secretarias, cartórios e principalmente o Banco do Brasil, ainda em 1808, foram marcos presentes ainda hoje na estrutura de governo no País.

Este conjunto de ações fez com que o Brasil começasse a adquirir um novo status de Reino Unido de Portugal, e não mais de colônia. Grandes transformações urbanas e culturais aconteceram no período de estada da família real no Brasil, como a criação de bibliotecas, jardins botânicos, e mesmo o avanço da imprensa.

Viu só que papo furado esse que ‘os portugueses eram trouxas’?

Se você leu com atenção logo percebeu que a vinda de Dom João VI e sua Corte Imperial para o Brasil foi, na verdade, um golpe de mestre que os portugueses aplicaram em Napoleão Bonaparte. Portugal foi um dos países líderes do ciclo das Grandes Navegações e Descobertas Marítimas.  Eles foram um dos reis dos mares. Veja aqui uma aula completa sobre As Grandes Navegações: as grandes navegações

Nasce um  novo Brasil a partir de 1808

Uma nova fase de desenvolvimento aconteceu no Brasil com a chegada da família real em 1808. Além das mudanças no cotidiano, na arquitetura e no planejamento urbano, Dom João VI criou o Banco do Brasil, as primeiras faculdades, e profissionalizou as Forças Armadas.

Os resultados de tantos impactos era que após a volta de D. João VI e sua corte a Portugal, em 1821, o Brasil não aceitaria mais o retorno às condições de colônia. Tudo isto iria se refletir nas décadas seguintes para chegar à  Independência do Brasil. Veja uma aula especial sobre 1808 – a chegada da Família Real de Portugal no Brasil: 1808 a chegada da família real 

As pressões de Portugal para D. João voltar à Europa

 Em 1820, eclodiu em Portugal, a Revolução do Porto, causada pelos conflitos oriundos do Congresso de Viena e as consequências do fim da Era Napoleônica. Os portugueses exigiram a volta de D. João a Portugal. Neste momento, as tensões políticas no Brasil aumentavam, e dois grandes partidos tomavam forma: o Partido Português e o Partido Brasileiro. O partido de origem portuguesa lutava pela volta do Brasil à condição de colônia.

Já o Partido Brasileiro foi uma das importantes frentes na luta pela independência do Brasil. Destaca-se, neste partido, a figura de José Bonifácio, comerciante importante e grande articulador da independência brasileira.

Antes de sua partida, D. João deixou o seu filho, D. Pedro, como príncipe regente. Porém, as pressões para a volta de D. Pedro a Portugal eram imensas, uma vez que até mesmo o Partido Português desejava seu retorno. D. Pedro recebeu uma ordem expressa para que voltasse imediatamente, porém o Partido Brasileiro mobilizou-se em um abaixo-assinado, que reuniu milhares de assinaturas, pedindo para que o príncipe ficasse em nosso país. Assim, no dia 9 de janeiro de 1822, D. Pedro comprometeu-se a ficar no Brasil. Esta data é conhecida como o “Dia do Fico”.

figura_06.jpg

“Dia do Fico” de Jean-Baptiste Debret, em 1834-1839. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Dia_do_Fico.jpg. Acesso em julho de 2012.

A partir do “Dia do Fico”, as tensões políticas aumentaram no Brasil. Os partidos estavam em grande conflito. É importante perceber que o Brasil encontrava-se independente antes mesmo do grito do Ipiranga, o que demonstra documento elaborado em agosto de 1822, por José Bonifácio.

Este documento afirmava que o Brasil era um país politicamente independente, mas que continuava ligado a Portugal por laços tradicionais e pela família de D. Pedro. Porém, tal documento não obteve o efeito desejado de acalmar as tensões. Foi necessário então, no dia 7 de setembro de 1822, que D. Pedro, às margens do Rio Ipiranga, em São Paulo, declarasse formalmente a separação entre Brasil e Portugal.

A independência foi declarada, porém, optou-se pelo sistema monárquico, a fim de que a aristocracia rural continuasse com os seus antigos privilégios. A participação popular foi muito pequena, se comparada aos demais movimentos de independência da América Latina. Além disso, a Inglaterra continuou exercendo grande influência econômica e política no Brasil.

História Enem

Quadro Independência ou Morte mais conhecido como “O Grito do Ipiranga” de Pedro Américo (óleo sobre tela – 1888)

Dica 1 – Saiba, nesta aula de História Enem, como as colônias americanas de Espanha e Portugal foram influenciadas pela Revolução Francesa levando-as a independência – https://blogdoenem.com.br/independencias-latino-americanas-historia-enem/

Dica 2 – De general militar a Imperador de praticamente toda a Europa. Estude a história de Napoleão Bonaparte nesta aula sobre a Era Napoleônica de História Enem – https://blogdoenem.com.br/era-napoleonica-historia-enem/

Saiba mais sobre o Processo de Independência do Brasil nesta aula do canal Aula De, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

Desafios para você resolver e compartilhar as soluções

Questão 01

Como era chamado o dia em que D. Pedro decidiu permanecer no Brasil, apesar das pressões políticas para o seu retorno a Portugal?

a) Dia da Permanência.

b) Dia do Porto.

c) Dia do Não.

d) Dia do Fico.

e) Dia do Imperador.

Dica 3 – Revise tudo sobre a Nova República em mais esta aula de História Enem e fique preparado para gabaritar na prova do Exame Nacional do Ensino Médio – https://blogdoenem.com.br/nova-republica-historia-enem/

Questão 02

O príncipe D. Pedro, na Independência do Brasil, foi:

a) essencial, pois sem ele não ocorreria a independência.

b) figura de fachada, totalmente submisso aos desejos de José Bonifácio.

c) mediador, minimizando os antagonismos entre Brasil e Portugal.

d) manipulado pela aristocracia rural, objetivando realizar a independência com a manutenção da unidade popular.

e) totalmente independente, tomando para si liderança do processo, dando à independência um caráter revolucionário.

Questão 03

A Independência do Brasil:

a) rompeu o processo histórico.

b) adaptou a estrutura política do país às conveniências da aristocracia rural.

c) acelerou o processo de modernização econômica.

d) representou um sério golpe na economia escravista.

e) representou um retrocesso político devido à forma monárquica de governo adotada.

Questão 04

(MACKENZIE) O processo de independência do Brasil caracterizou-se por:

a) ser conduzido pela classe dominante que manteve o governo monárquico como garantia de seus privilégios.

b) ter uma ideologia democrática e reformista, alterando o quadro social imediatamente após a independência.

c) evitar a dependência dos mercados internacionais, criando uma economia autônoma.

d) grande participação popular, fundamental na prolongada guerra contra as tropas metropolitanas.

e) promover um governo liberal e descentralizado através da Constituição de 1824.

Questão 05

A maior razão brasileira para romper os laços com Portugal era:

a) evitar a fragmentação do país, abalado por revoluções anteriores.

b) garantir a liberdade de comércio, ameaçada pela política de recolonização das Cortes de Lisboa.

c) substituir a estrutura colonial de produção e desenvolver o mercado interno.

d) aproximar o país das repúblicas platinas e combater a Santa Aliança.

e) integrar as camadas populares ao processo político e econômico.

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!