Nota do Enem – Entenda o uso da TRI no cálculo do resultado das provas

O MEC e o INEP adotam a Teoria da Resposta ao Item (TRI). Na prática, questões mais difíceis valem mais. Aquelas que todos acertam, somam menos pontos.

Se você fez uma prova com dez questões objetivas e acertou sete, quanto imagina que vai tirar? Esqueça a resposta ‘Sete’ se a prova em questão é a do Enem.

No Enem o cálculo é feito a partir das premissas da TRI – Teoria da Resposta ao Item. Nesta formulação o que é mais difícil vale mais pontos, e o inverso também é verdadeiro: questões mais fáceis, valem menos no Enem.correção das provas do enem destacada

 Então, é claro que importa acertar muitas questões, sempre. Mas, para ter uma boa nota de corte no Enem é importante que você acerte também as questões que estejam entre as mais complexas e que exigem mais dos candidatos. Este é o segredo para ficar entre os primeiros. Só tem um complicador nessa parada: Não estão indicadas nas provas do Enem quais são as questões que valem mais. Ou seja, quem ‘acertou mais’ pode ter uma nota menor do que um candidato ‘que acertou as mais difíceis’, embora em quantidade menor.

É só durante a fase de resultados, quando o INEP processa os gabaritos para todos os alunos, que aparecem as questões mais valorizadas. Justamente aquelas que tiveram menor taxa de acerto. Estas valem muito mais no Enem. Há testes que são feitos antes das provas, para ‘calibrar’ a composição de questões objetivas nas quatro áreas. Porém, o cálculo final é dinâmico.

Veja as Notas de Corte do Enem e calcule suas chances

Confira aqui o ranking das maiores e das menores notas de corte do Enem para entrar nos cursos de graduação através do Sistema de Seleção Unificada, o Sisu; através do Programa Universidade para todos, o Prouni; e no programa de Financiamento Estudantil, o Fies. Acesse aqui as notas de corte do Enem notas de corte do enem horizontal 

T.R.I. – Confusão na cabeça dos candidatos

Esta lógica da Teoria da Resposta ao Item é reconhecida no mundo todo, e garante um equilíbrio entre os resultados de diferentes aplicações do Exame Nacional do Ensino Médio. Mas, na cabeça dos candidatos ainda gera muita confusão. “Eu acertei cem questões e meu colega acertou 95, mas a nota dele foi  mais alta que a minha”. A resposta está na T.R.I. e no padrão de questões que cada um acertou.

Além deste fator, com a Teoria da Resposta ao Item é possível desenvolver modelos matemáticos para identificar o padrão de respostas do candidato e, assim, reduzir a pontuação decorrente de eventuais chutes do aluno que o sistema vier a identificar.

Achou a TRI ‘tri complicada’, ou achou ‘tri legal?’

Não é mesmo fácil pegar de primeira. Tem que mastigar uma, duas, três vezes antes de engolir. Mas, não se estresse por não conseguir entender facilmente.

O Blog do Enem separou para você uma explicação técnica do Ministério da Educação e do INEP sobre a Teoria da Resposta ao Item aplicada ao Enem.  Entre, imprima, leve para a escola, e pede para os professores de matemática ou física explicarem a você e aos colegas como funciona a base estatística da TRI para o cálculo das notas no Enem.

Veja a Nota Explicativa do INEP sobre a TRI: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/nota_tecnica/2011/nota_tecnica_tri_enem_18012012.pdf

Dica 1 – Veja aqui as 10 profissões com mais chance de futuro, as 10 piores para conseguir emprego, e uma lista completa de cursos de graduação para você escolher o seu: https://blogdoenem.com.br/guia-de-cursos-e-profissoes/
Dica 2 – Veja aqui as notas de corte para todas as carreiras, em todas as universidades públicas que participam do Sisu – Sistema de Seleção Unificada: https://blogdoenem.com.br/notas-corte-universidades/