Tudo sobre o curso de administração: graduação e mercado de trabalho

Tire suas dúvidas sobre o curso de graduação em Administração. Neste post, apresentamos como é o curso, as perspectivas profissionais, as faculdades mais destacadas do Brasil e as notas de corte para você entrar lá!

Não é novidade para ninguém que muitos vestibulandos e candidatos do Enem perdem o sono tentando escolher um curso entre os milhares oferecidos nas universidades do país. Muitos escolhem o curso de administração pela possibilidade de fazer concursos públicos e de atuar na iniciativa privada no futuro. Conheça melhor o curso de administração e veja se ele se encaixa no seu perfil!

Para ajudar os nossos leitores a fazerem uma decisão profissional mais consciente, nós, do Blog do Enem, preparamos um Guia de Profissões: uma série de posts que explicam como escolher um curso de graduação e posts específicos sobre cada curso. Neste post, vamos esclarecer como é o curso de administração, a rotina profissional de um administrador e a sua responsabilidade profissional, assim como perspectivas de mercado de trabalho!

O que faz um administrador?

O curso de graduação em administração forma administradores, profissionais responsáveis por planejar estratégias e gerenciar o dia a dia de uma empresa. Esse profissional pode administrar a própria empresa ou a de seu empregador. Ele deverá estar envolvido em todos departamentos da organização, nos quais gere recursos financeiros, materiais, humanos e mercadológicos.

O administrador é responsável por conduzir o relacionamento entre a empresa e seus funcionários, assim como o relacionamento com os sindicatos de cada categoria. Também faz parte de seu trabalho coordenar os recursos materiais da companhia, controlando a compra e a estocagem de matérias-primas e produtos finais. No setor financeiro, cuida de orçamentos e fluxo de caixa. Também se envolve com a publicidade e o marketing, na promoção de vendas dos produtos ou serviços.

O administrador de empresas deve tornar a sua organização ou a de seu empregador lucrativa e crescente, ter planejamento e estratégia de negócio. Mas, atualmente, mais do que administrar uma empresa apenas com técnicas, um administrador precisa administrar pessoas. As pessoas passaram a ser prioridades dentro das empresas e hoje são tão importantes quanto conseguir manter o equilíbrio financeiro de uma organização. Por isso, saber lidar com pessoas é fundamental para quem quiser ser um bom administrador.

Mercado de trabalho

O curso de administração é o primeiro no ranking dos dez cursos com mais alunos no Brasil. Segundo o último Censo da Educação Superior, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2017, existiam no País em 2017 cerca de 1 milhão e 200 mil estudantes de administração. Esses dados dão uma ideia de quão concorrido é esse mercado.

A grande busca por cursos de administração, contudo, não é motivo para desespero. Isso porque o administrador é procurado em todos os setores do mercado, podendo atuar dentro do Poder Público ou na esfera privada, até mesmo em empresas internacionais.

Além disso, o estudante ainda pode contar com os programas de trainee, nos quais as empresas contratam o profissional antes mesmo de ele terminar a graduação. Se ele se sair bem durante o programa, existem grandes chances de ser efetivado quando se formar.

Segundo o Conselho Federal de Administração, o salário inicial de um administrador é de R$ 2.000,00 (dois mil reais).

O curso de administração

O curso de graduação em administração tem duração de quatro anos. Em geral, nos dois primeiros anos, o aluno tem contato com disciplinas básicas que constituirão o fundamento do restante do curso, como matemática, estatística, direito, sociologia, contabilidade e informática.

A partir do terceiro ano começam as matérias mais específicas da profissão, como logística, finanças, marketing e recursos humanos. As aulas não costumam ser só expositivas e o aluno deverá criar e analisar casos fictícios de empresas e apresentar seminários.

Para a conclusão do curso, a maioria das faculdades exige a realização de um estágio supervisionado e a elaboração de uma monografia, que em alguns casos pode ser um relatório detalhado do estágio obrigatório.

E depois da faculdade?

O profissional graduado em administração costuma atuar, de modo geral, em empresas, bancos e bolsas de valores.

Porém, existem diversas especialidades na área que permitem uma maior flexibilidade no mercado de trabalho. O Guia do Estudante preparou uma lista com algumas das áreas em que você poderá atuar quando sair da faculdade de administração. Olha só:

  • Administração de Empresas: cuidar de todas as operações de uma empresa, desde a organização de seus recursos humanos, mercadológicos, materiais e financeiros até o desenvolvimento de estratégias de mercado.
  • Administração Esportiva: gerenciar times e equipes, promover competições e cuidar do marketing esportivo de uma associação. Em órgãos oficiais, definir políticas para o esporte.
  • Administração Financeira: organizar e coordenar as atividades financeiras de um estabelecimento, lidando com patrimônio, capital de giro, análise de orçamentos e fluxo de caixa.
  • Administração Hoteleira: gerenciar hotéis, flats, pousadas e parques temáticos. Supervisionar o funcionamento do estabelecimento, seus serviços, sua manutenção, as reservas e a limpeza.
  • Administração Hospitalar: gerenciar hospitais, prontos-socorros e empresas de convênio médico ou seguro-saúde.
  • Administração de Produção: supervisionar o processo produtivo em indústrias, da análise, aquisição e estocagem da matéria-prima à qualidade e distribuição do produto final. Administração pública planejar, promover e gerenciar instituições públicas.
  • Administração de Recursos Humanos: cuidar das relações entre funcionários e empresa, coordenando a seleção e a admissão, os planos de carreira e de salários, os programas de incentivo, de treinamento e de capacitação da mão de obra.
  • Administração Rural: dirigir empresas rurais e agroindustriais, controlando o processo de produção, a distribuição e a comercialização de produtos.
  • Administração do Terceiro Setor: planejar e coordenar as operações de ONGs, gerindo a captação de recursos e sua aplicação em projetos ambientais, educacionais, profissionalizantes ou comunitários.
  • Auditoria: acompanhar a análise e os exames de documentos dos diversos setores de uma empresa ou organização.
  • Comércio Exterior: administrar e planejar negociações de compra e venda com empresas do exterior.
  • Controladoria: planejar e gerenciar o orçamento de uma empresa, fazendo o controle dos custos e a auditoria interna.
  • Empreendedorismo: definir as estratégias de criação e direção de um negócio, avaliando as oportunidades, a concorrência e a gestão de recursos humanos.
  • Gestão Ambiental: planejar, desenvolver e executar projetos para a preservação do meio ambiente.
  • Gestão de Qualidade: otimizar os processos industriais e de venda ou compra de serviços ou mercadorias. Coordenar programas que melhorem a qualidade de vida de funcionários e clientes.
  • Logística: implantar e administrar o fluxo produtivo de uma empresa, da compra e estocagem da matéria-prima à distribuição da mercadoria nos pontos de venda.
  • Marketing: definir as estratégias de atuação de uma empresa, estudar as necessidades dos clientes, desenvolver produtos e serviços para atendê-los e planejar as vendas.
  • Peritagem: elaborar exames periciais em assuntos relacionados ao dia a dia de uma empresa, como na administração financeira ou de recursos humanos.
  • Sistemas de informação: gerenciar os sistemas de tecnologia de informação em uma empresa, atualizando seus equipamentos e programas necessários ao negócio.

Confira as notas de corte

Antes de tudo, é preciso entrar no curso de graduação, não é mesmo?

Se você está gostando do perfil do curso e da atuação do profissional de administração, dê uma olhada na lista completa de notas de corte para administração pelo Sisu 2018!

Os melhores cursos de administração do Brasil

Confira abaixo as instituições públicas de ensino que possuem cursos de administração avaliados com conceitos 4 ou 5 no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes).

O Enade leva em conta uma série de critérios, como: o desempenho dos estudantes do curso em uma prova realizada anualmente, o corpo docente, a infraestrutura, os recursos didático-pedagógicos, além dos programas de pós-graduação. Todos são sintetizados em um único indicador, que varia de 1 a 5.

Os cursos com nota acima de 3 são considerados satisfatórios pelo Ministério da Educação. Aqui, consideramos os melhores cursos com aqueles avaliados com conceito 4 ou 5 no Enade.

  • Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) – conceito 5
  • Universidade de Brasília (UnB) – conceito 5
  • Universidade Federal do Amazonas (UFAM) – conceito 4
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI) – conceito 4
  • Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) – conceito 4
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) – conceito 5
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV) – conceito 5
  • Universidade Estadual de Londrina (UEL) – conceito 5
  • Universidade Federal do Rio Grande (FURG) – conceito 5
  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU) – conceito 5
  • Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) – conceito 4
  • Universidade Estadual do Ceará (UECE) – conceito 5
  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB) – conceito 4
  • Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) – conceito 5
  • Universidade Estadual de Goiás (UEG) – conceito 5
  • Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – conceito 4
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) – conceito 5
  • Universidade Estadual de Maringá (UEM) – conceito 4
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) – conceito 4
  • Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) – conceito 4
  • Universidade Estadual de Montes Claroes (UNIMONTES) – conceito 4
  • Universidade de Pernambuco (UPE) – conceito 5
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – conceito 5
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – conceito 5
  • Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) – conceito 4
  • Universidade Federal do Pará (UFPA) – conceito 4
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – conceito 5
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR) – conceito 5
  • Universidade Federal Fluminense (UFF) – conceito 4
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – conceito 4
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – conceito 5
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – conceito 5
  • Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – conceito 5
  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL) – conceito 4
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA) – conceito 5
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – conceito 4
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – conceito 5
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – conceito 5
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) – conceito 5
  • Universidade Federal do Ceará (UFC) – conceito 5
  • Universidade Federal de Goiás (UFG) – conceito 5
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)  – conceito 5
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)  – conceito 5
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) – conceito 4
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – conceito 5
  • Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)- conceito 5
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA) – conceito 5
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) – conceito 5
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET/MG) – conceito 5
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) – conceito 4
  • Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) – conceito 5
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) – conceito 4
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – conceito 5
  • Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) – conceito 4
  • Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) – conceito 4
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – conceito 4
  • Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) – conceito 4
  • Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) – conceito 4
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) – conceito 4
  • Universidade Federal de Roraima (UFRR) – conceito 4
  • Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) – conceito 4
  • Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO) – conceito 4
  • Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul (FUNEC) – conceito 4
  • Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga (FAIBI) – conceito 4
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) – conceito 5
  • Universidade do Estado do Amazonas (UEA) – conceito 5
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG) – conceito 4
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) – conceito 4
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IFSEMG) – conceito 5
  • Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) – conceito 5
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupinha (IFFarroupilha) – conceito 5
  • Faculdade Professor Miguel Ângelo da Silva Santos (FEMASS) – conceito 4
  • Fundação Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) – conceito 4
  • Centro Universitário Municipal de São José (USJ) – conceito 4
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) – conceito 4
  • Fundação Universidade do Pampa (UNIMPAMPA) – conceito 4
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – conceito 5
  • Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) – conceito 4
  • Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) – conceito 4
  • Universidade Federal do Cariri (UFCA) – conceito 4