Regência Nominal – Revisão de Gramática para o Enem

Acompanhe as dicas deste super post sobre regência nominal e arrase em Gramática no Enem e nos vestibulares! Regência nominal é legal, seja para a gramática, seja para a redação!

Regência Nominal: Você sabia que existe relação de dependência entre alguns nomes? Isso mesmo. Além de serem dependentes, alguns ainda exigem preposição? Não sabia? Sem problema, é só você seguir lendo estas super dicas para desvendar estes mistérios!

Mas, por que estudar regência nominal? Para que serve? Dentre muitas coisas, serve para você se sair bem no Enem!

1

Fique ligado(a) no conceito:

Regência nominal é a relação que se estabelece entre um nome (termo regente) e o termo que lhe serve de complemento (termo regido).

Considere a frase a seguir e observe que nela há uma inadequação:

NOVAS TECNOLOGIAS ALIMENTAM NOSSA CONFIANÇA UM FUTURO MELHOR.

Como se pode notar facilmente, nela foi omitida a preposição, que nesse caso é exigida pelo nome “confiança” (confiança em algo/alguém) que vincula essa palavra à expressão “um futuro melhor” e estabelece adequadamente a regência nominal. A frase estaria corretamente escrita da seguinte maneira:

Novas tecnologias alimentam confiança em um futuro melhor.

(confiança – termo regente; um futuro melhor – termo regido)

Veja outro exemplo:

Os novos funcionários ainda não estão aptos para o cargo.

(aptos – termo regido; para – preposição; o cargo – termo regido)

Quando o termo regente é um substantivo, adjetivo ou advérbio, chamamos de regência nominal ao modo como o complemento se liga a ele.

Observe nos exemplos seguintes que as palavras “alheio” e “preferível”l (termos regentes) exigem complemento regido ou preposição. Veja os exemplos:

Carlos está alheio a tudo.

Calar é preferível a falar sem pensar.

A relação entre um nome regente e seu termo regido se estabelece sempre por meio de uma preposição. A lista abaixo apresenta, como exemplos, alguns nomes e as preposições que mais comumente estabelecem o vínculo entre esses nomes e seus complementos.

2

Da mesma forma que q regência verbal, a regência nominal segue as indicações da gramática normativa apoiada em usos mais formais da língua, baseada em exemplos de autores clássicos. 

Assim, para saber qual é a regência de uma palavra para uso mais formal da língua, deve-se consultar o dicionário ou a gramática.

Os pronomes relativos e a regência nominal

Os pronomes relativos ( que ,o/a qual, quem, cujo etc.) podem exercer, em determinadas construções sintáticas, o papel de termo regido por um nome. Nesses casos, é necessário introduzir, antes do relativo, a preposição exigida pelo nome. Veja estes exemplos:

  • Entre as poucas pessoas em quem tenho plena confiança está você. (Quem tem confiança, tem confiança em alguém/alguma coisa)
  • Os livros aos quais o professor fez referência não estão na biblioteca.( Quem faz referência, faz referência a alguém/alguma coisa)
Relembrou? Ficou mais fácil assim, não é mesmo? Então, agora, aumente o volume do seu computador para ouvir bem direitinho a explicação deste conteúdo através desta fantástica videoaula!

Agora, para fixar mais ainda, resolva os exercícios abaixo:

QUESTÃO 01

Tendo em vista  a relação de dependência manifestada entre um nome (termo regente) e seu respectivo complemento (termo regido), reescreva as orações a seguir, atribuindo-lhes a devida preposição.

a) O fumo é prejudicial * saúde.
b) Financiamentos imobiliários tornaram-se acessíveis * população.
c) Seu projeto é passível * reformulações.
d) Esteja atento * tudo que acontece por aqui.
e) Suas ideias são compatíveis * as minhas.

QUESTÃO 02

As palavras ansioso, contemporâneo e misericordioso regem, respectivamente, as preposições:
a) a – em – de – para.
b) de – a – de.
c) por – de – com.
d) de – com – para com.
e) com – a – a.

QUESTÃO 03

Exercite seus conhecimentos e construa orações aplicando corretamente a regência nominal.

QUESTÃO 04

Indique onde há erro de regência nominal:

a) Ele é muito apegado em bens materiais.
b) Estamos fartos de tantas promessas.
c) Ela era suspeita de ter assaltado a loja.
d) Ele era intransigente nesse ponto do regulamento.
e) A confiança dos soldados no chefe era inabalável.

QUESTÃO 05

Diante das orações que seguem, analise-as e indique aquela que não se adéqua ao uso da preposição “a”:

a) Estou ávido * boas notícias.
b) Esta canção é agradável * alma.
c) O respeito é essencial * boa convivência.
d) Mostraram-se indiferentes * tudo.
e) O filme é proibido * menores de dezoito anos.

GABARITO:

Questão 1

a) O fumo é prejudicial à saúde.
b) Financiamentos imobiliários tornaram-se acessíveis à população.
c) Seu projeto é passível de reformulações.
d) Esteja atento a tudo que acontece por aqui.
e) Suas ideias são compatíveis com as minhas.

Questão 2 – C

Questão 3

a) Estamos ansiosos por notícias.
b) O amor é uma virtude comum a todos.
c) Este rapaz é bacharel em direito.
d) A aluna era alheia a todas as informações.
e) Tenha obediência às leis de trânsito.

Questão 4 – A

Questão 5 – A

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Gisele Garcez para o Blog do Enem. Gisele é formada em Letras pela UNISUL, especialista em Linguística, Gramática,Literatura e Produção Textual da Língua Portuguesa. Dá aulas de Língua Portuguesa em escolas da Grande Florianópolis desde 1998. Facebook:  https://www.facebook.com/gisele.garcez.3