Faltam:
para o ENEM

Vinícius de Moraes: poeta, cantor e compositor – Literatura Enem

Sim, o poeta, autor, cantor, compositor e grande personagem Vinícius de Moraes cai no Enem. É autor de 'Garota de ipanema' junto com Tom Jobim, entre outras realizações. Veja sobre Vinícius de Moraes nesta revisão de Literatura para o Enem.

Vinícius de Moraes – Você conhece? Se ainda não, muito provavelmente já ouvir músicas dele no rádio ou em apresentações de TV. Garota de Ipanema tem a letra de Vinícius de Moraes e música de Tom Jobim. Viu só a importância de Vinícius de Moraes? – E tem muito mais. Veja!

Vinícius era um diplomata, trabalhava no Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do Brasil), e atuava como embaixador em diversos países, tendo vivido na Europa e nos Estados Unidos.  De comportamento irreverente, enfrentava restrições da burocracia por ser adepto ao mundo das artes e por gostar de tomar um bocado de uísque. Foi afastado do mundo das embaixadas e migrou para o mundo dos palcos.

vinícius de moraes no enem

A exemplo de Cecília, o início de sua obra está ligado ao neo-simbolismo da corrente espiritualista e à renovação católica da década de 30. Assim, pode-se perceber em alguns poemas desta época um tom bíblico. No entanto, o eixo de sua obra logo se desloca para um sensualismo erótico; destaque também para a valorização do momento.

No final da década de 50, passou a compor letras para canções populares, consagrando-se como um dos fundadores do movimento musical conhecido por Bossa-Nova. Junto com Tom Jobim criou ‘Garota de Ipanema’, a canção brasileira mais tocada em todo o Planeta. Inicialmente a letra de Tom era um lamento. Vinícius trabalhou com Jobim para recriar a proposta e colocar vida e alegria, e a música virou um hit mundial. Era um exemplo típico de personagens da vida carioca, com bom humor e desleixo. Cantou o amor às mulheres e à brasilidade. Nasceu e morreu na cidade do Rio de Janeiro.

Como poeta Vinícius de Moraes consagrou-se com os  poemas Rosa de Hiroshima (que mostra preocupação com o momento histórico – aspecto típico da segunda fase modernista), e Soneto da fidelidade (renovação do soneto com toques de erotismo).

Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças

Mudas telepáticas

Pensem nas meninas

Cegas inexatas

Pensem nas mulheres

Rotas alteradas

Pensem nas feridas

Como rosas cálidas

Mas oh não se esqueçam

Da rosa da rosa

Da rosa de Hiroshima

A rosa hereditária

A rosa radioativa

Estúpida e inválida

A rosa com cirrose

A anti-rosa atômica

Sem cor e sem perfume

Sem rosa sem nada

Soneto da fidelidade

De tudo, ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vive-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento.

 

E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de que vive

Quem sabe a solidão, fim de que ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.

Veja aqui ‘Garota de Ipanema’. A interpretação começa com a ‘letra antiga’, de Tom Jobim, que era ‘um lamento’, e depois muda para a letra ja em parceria com Vinícius de Moraes, em que a canção ganha vida, graça, e alegria. Quem canta é Julie Philippe, com Luiz Zago no piano, no show 50 anos da Bossa Nova.

Obras mais relevantes de Vinícius de Moraes

  • Poesia: O caminho para a distância (1933); Forma e exegese (1935); Ariana, a mulher (1936); Novos poemas (1938); Livro dos sonetos (1957); O mergulhador (1965); A arca de Noé (1970).
  • Prosa: Para viver um grande amor (1962); Para uma menina com uma flor (1966) – ambos de crônicas.
  • Teatro: Orfeu da Conceição (1956) – tragédia carioca em três atos, escrita em versos; Pobre menina rica (1962) – musical cômico.

Literatura Enem

Vinícius de Moraes e Toquinho: uma das parcerias mais produtivas da MPB

Saiba mais sobre Vinícius de Moraes nesta aula do canal Edux Portal de Educação, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

Desafios sobre Vinícius de Moraes para você se exercitar e compartilhar as respostas.

Texto para as questões 01 e 02

Geração Coca-Cola

Quando nascemos fomos programados

A receber o que vocês nos empurram

Com os enlatados dos U.S.A., de 9 às 6.

Desde pequenos nós comemos lixo

Comercial e industrial

Mas agora chegou nossa vez

Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês.

Somos os filhos da revolução

Somos burgueses sem religião

Nós somos o futuro da nação

Geração Coca-Cola.

Depois de vinte anos na escola

Não é fácil aprender

Todas as manhas do seu jogo sujo

Não é assim que tem que ser?

Vamos fazer nosso dever de casa

E aí então, vocês vão ver

Suas crianças derrubando reis

Fazer comédia no cinema com as suas leis.

(Renato Russo)

Questão 01 – A “Geração Coca-Cola” refere-se aos jovens. Essa é uma denominação negativa porque caracteriza:

a) a indiferença dos jovens quanto à pobreza.

b) uma educação influenciada por filmes de baixa qualidade.

c) a luta contra o consumo de drogas e contra a AIDs.

d) a não-aceitação dos modelos impostos pelos adultos.

e) um comportamento dependente de padrões culturais americanos.

Questão 02 – Com base na estrofe “Depois de vinte anos na escola / Não é difícil aprender / Todas as manhas do jogo sujo / Não é assim que tem que ser? / Vamos fazer nosso dever de casa”, é correto afirmar que:

a) os jovens mostram, com ironia, que são bons alunos.

b) a televisão deseduca os jovens.

c) há muita repetência escolar.

d) a escola submete os jovens a uma educação repressora.

e) aprender é fácil, mas os jovens precisam insurgir-se contra os exploradores.

Dica do Blog do Enem – Revise aqui tudo sobre Humor como forma de expressão e aumente suas chances em Literatura e Artes no Enem.

Questão 03 – (UEL) Leia o poema abaixo e assinale a alternativa correta.

A rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças

Mudas telepáticas

Pensem nas meninas

Cegas inexatas

Pensem nas mulheres

Rotas alteradas

Pensem nas feridas

Como rosas cálidas

Mas oh não se esqueçam

Da rosa da rosa

Da rosa de Hiroshima

A rosa hereditária

A rosa radioativa

Estúpida e inválida

A rosa com cirrose

A anti-rosa atômica

Sem cor sem perfume

Sem rosa sem nada.

O poema A rosa de Hiroshima, de Vinícius de Moraes, encontra-se no livro Nossa senhora de Los Ángeles, escrito durante a permanência do poeta nos Estados Unidos (de 1946 a 1950), e traz uma reflexão política. Em que medida esses versos podem se correlacionar com o episódio dos atentados terroristas contra os Estados Unidos, em que se deu a queda das torres do World Trade Center e de parte do Pentágono, em 11 de setembro de 2001?

a) O poema se correlaciona com esse fato porque antecipa o episódio ocorrido em 2001, uma vez que se refere à bomba atômica lançada sobre Hiroshima, pelos americanos, na época da Segunda Guerra Mundial. O poeta alerta para uma possível vingança por parte dos que sofreram a violência da guerra.

b) O poema demonstra um sujeito lírico movido pelo sentimento de antiviolência, que alerta para as consequências das ações bélicas praticadas durante a Segunda Guerra Mundial. Por isso, o poema é atual, uma vez que o mesmo sentimento pacifista ressurge em face dos atentados terroristas de 2001 e de seus desdobramentos.

c) No poema há um contraste entre o mundo oriental e o mundo ocidental, que justifica o ataque atômico feito à cidade de Hiroshima.

d) O sujeito lírico é tomado por um espírito antiamericano que vai expressamente de encontro às posturas imperialistas adotadas pelos Estados Unidos.

e) Não é possível estabelecer nenhuma correlação, pois o poema A rosa de Hiroshima é um texto lírico e, como tal, não fala de violência, enquanto os atentados ocorridos contra os Estados Unidos, em 2001, são fatos terroristas que trazem à tona a questão da violência.

Questão 04 – Apesar de muito diversas, as canções Geração Coca-Cola e A rosa de Hiroshima apresentam em comum a preocupação em falar de problemas:

a) sociais.

b) geográficos.

c) metalinguísticos.

d) bélicos.

e) intertextuais.

Questão 05 – Oxímoro (ou paradoxo) é uma construção textual que agrupa significados que se excluem mutuamente. Nas alternativas abaixo, estão transcritos versos retirados do poema “O operário em construção”, de Vinícius de Moraes. Pode-se afirmar que ocorre um oxímoro em:

a) “Era ele que erguia casas
Onde antes só havia chão.”

b) “… a casa que ele fazia
Sendo a sua liberdade
Era a sua escravidão.”

c) “Naquela casa vazia
Que ele mesmo levantara
Um mundo novo nascia
De que sequer suspeitava.”

d) “… o operário faz a coisa
E a coisa faz o operário.”

e) “Ele, um humilde operário
Um operário que sabia
Exercer a profissão.”

 Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!

compartilhe imagem Enem