Faltam:
para o ENEM

Zoologia – Aula de revisão do reino Animalia para Biologia Enem. Confira.

Zoologia cai no Enem nas questões de Biologia, e também nos temas de educação ambiental e meio-ambiente. Veja o que são as Caravelas, Águas-Vivas, os Corais, as Medusas, e outros seres do reino Animalia. Confira abaixo.

Zoologia é o Ramo da Biologia responsável pelo estudo dos animais (reino Animalia ou Metazoa). V eja aqui um resumo para você mandar bem no Enem.

A classificação zoológica segue uma ordem de complexidade das estruturas os animais. Portanto não é uma classificação evolutiva. A zoologia agrupa o reino Animal em 9 filos: Poríferos, Celenterados, Platelmintos, Nematelmintos, Anelídeos, Moluscos, Artrópodos, Equinodermos e Cordados.

Essa sequência, por apresentar uma ordem de complexidade orgânica, pode apresentar mudanças de posições, por exemplo, entre Molusco e Artrópodos.

Veja as Características Gerais destes animais:

  • Eucariontes (com carioteca).
  • Pluricelulares.
  • Sem parede celular e com glicocálix.
  • Heterótrofos (não produzem o próprio alimento).

Poríferos

image001.jpg

Representantes: esponjas. Como o próprio nome já indica, as Esponjas são animais formados por inúmeros poros. Além disso, possuem grande capacidade de regeneração, o que não é assim muito comum nos estudos da zoologia.

1) Habitat e modo de vida dos Poríferos:

São exclusivamente aquático, sendo a maioria marinhos (água salgada) e com poucos espécies dulcícolas (água doce).  Todos eles são sésseis (fixos ao substrato),  e de vida livre (não são parasitas). São filtradores, pois sua nutrição dependo do processo de filtração da água. Outra característica é que podem formar colônias.

2) Embriologia: 

São diblásticos, logo, possuem ectoderme e endoderme. São parazoários, uma vez que não apresentam tecidos verdadeiros. Logo, não possuem órgãos ou sistemas.

3) Fisiologia:

Nos Poriferos cada célula executa suas funções de forma independente das outras. Os processo fisiológicos ocorrem em função da circulação de água pelo átrio da esponja. Circulação de água o seguinte sentido: entra pelo poro, circula no átrio, e sai pelo ósculo (abertura superior).

image002.jpg

Sem nenhum tipo de sistemas, porém as funções fisiológicas são realizadas por processos mais simples que permitem a sobrevivência desses animais. Por exemplo, embora não haja sistema digestivo, ocorre digestão nas esponjas, embora não exista sistema circulatório, ocorre circulação nas esponjas.

3.A – Digestão (sem sistemas) – realizada por coanócitos, células flageladas que revestem internamente o átrio (cavidade interna). O batimento de seus flagelos geram uma correnteza no átrio que faz a água circular. Essas células capturam e digerem alimentos presentes na água, sendo uma digestão intracelular (dentro da célula).

image003.jpg

3.B –  Respiração (sem sistema) – as trocas gasosas ocorrem por difusão entre as células e a água, individualmente.

3.C –  Excreção (sem sistema) – a eliminação dos excretas (amônia) ocorre por difusão entre as células e a água, individualmente. Não acumula excretas.

3.D – Circulação (sem sistema) – circulação de água do meio no interior do átrio, entrando pelos poros e saindo pelo ósculo.

3.E –  Musculatura (sem sistema) – não apresentam células contráteis.

3.F –  Esqueleto (sem sistema) – apresenta um endoesqueleto (esqueleto interno). É formado por uma rede de células chamadas espículas (calcárias ou silicosas) e/ou rede de espongina (fibras macias). Essa rede está imersa numa matriz gelatinosa, a mesogléia.

Antigamente as esponjas de banho eram de poríferos, esses apresentam apenas esqueleto de espongina garantindo maciez. Hoje são utilizadas esponjas industrializadas por questões ecológicas, tendo em vista o importante papel dos poríferos nos ecossistemas.

image004.jpg
image005.jpg

image006.jpg

Outras células:

Porócito – células que formam os poros das esponjas. Essas células permitem que a água atravesse a parede da esponja.

Amebócito (arqueócito) – são células indiferenciadas, podendo diferenciar-se em qualquer outra células da esponja. Participam do processo de defesa digerindo partículas.

Pinacócito – revestem externamente as esponjas e apresentam pigmentação garantindo a coloração do animal.

4) Reprodução nos Poríferos (sem sistema)

4.A – Assexuada – todos os indivíduos formados são geneticamente idênticos à mãe, ou seja, clones. Podem apresentar as seguintes formas: fragmentação, brotamento e gemulação.

4.B – Fragmentação – fragmentos (pedaços) de esponjas podem gerar novos indivíduos, em função de suas grande capacidade de regeneração.

4.C – Brotamento – formação de brotos no corpo da mãe que podem desprender-se, formando um novo indivíduo. que o desprendimento do broto não ocorre, os indivíduos possuem união anatômica, caracterizando uma formação de colônia.

image007.jpg

4.D – Gemulação – ocorre apenas em esponjas dulcícolas em situações desfavoráveis.

image008.jpg

Quando ocorre a seca de um lago por exemplo, a esponja produz estruturas de resistência, as gêmulas. Dentro das gêmulas existe grande quantidade de água e amebócitos, que irão garantir a formação de uma nova esponja quando a seca passar.

4.E – Reprodução Sexuada – essa reprodução promove o aumento da variabilidade genética da espécie porque ocorre a mistura de material genético de dois indivíduos.

Espermatozoides são liberados na água e chegam ao óvulo, ocorre a fecundação e inicia-se o processo de desenvolvimento. Existe a formação da larva anfiblástula que fixa-se em um substrato, formando a esponja adulta.

image009.jpg

5) Classificação dos Poríferos:

Os Poríferos são classificados de acordo com sua complexidade morfológica. Áscon, Sícon e Lêucon é a sequência de complexidade, do mais simples para o mais complexo, respectivamente.

image010.jpg

As esponjas apresentam uma importante função pelo fato de serem animais filtradores. São bons indicadores de qualidade de água, uma vez que se estiverem em águas poluídas, não sobreviveram.

Veja agora os Celenterados (Cnidários)

image011.jpg

Veja agora nesta revisão de Zoologia os principais representantes dos Celenterados (Cnidários) são as águas-vivas, caravelas, hidras, anêmonas, corais. Quando alguém ‘se queima’ com uma água-viva na praia é porque encostou num Celenterado com esta propriedade.

Exatamente por esta propriedade de ‘queimar’ eles são animais caracterizados por apresentar células urticantes, que são as que queimam, chamadas cnidoblastos.

Os Celenterados são animais que apresentam uma cavidade gastrovascular com uma boca. Essa boca esta cercada por tentáculos que apresentam grande quantidade de cnidoblastos. Existem dois tipos morfológicos de cnidários: pólipo e medusa.

image012.jpg

Pólipo – possuem forma de tubo, fixos ao substrato e com a boca virada para cima. Podem se locomover por mede-palmos (cambalhotas). Apresentam pouca mesogléia.

Medusa – forma de guarda-chuva, com capacidade de natação e com boca virada para baixo. Possuem muita mesogléia.

1) Hábitat e modo de vida dos Celenterados:

São seres exclusivamente aquáticos, sendo a maioria marinhos, com poucas espécies de dulcícolas (água doce). Todos apresentam vida livre (não são parasitas), podendo ser fixos (pólipos) ou móveis (medusas).

2) Embriologia

Os Celenterados são diblásticos, apresentando ectoderme e endoderme. E são Protostômios pois o blastóporo forma a boca. Apresentam tecidos verdadeiros.

3) Fisiologia

Sua fisiologia depende da circulação de água dentro da cavidade gastrovascular. Apresentam capacidade de contração, permitindo movimentos, além de possuir neurônios simplificados permitindo coordenação. O aparecimento de células nervosas simples permitiu a captação de estímulos, formando sentidos

Digestão – é extracelular e intracelular. Possuem sistema digestório incompleto, pois só possuem boca. Os cnidoblastos (ou nematocistos) presentes nos tentáculos liberam substâncias paralisantes (urticantes) fazendo com que suas presas, fiquem imobilizadas. A presa é ingerida, pela boca. Na cavidade gastrovascular são liberadas enzimas, que iniciam o processo de digestão extracelular. Quando o alimento está previamente digerido, as células absorvem o alimento e terminam o processo dentro da própria célula, fazendo a digestão intracelular.

Importante: São organismos carnívoros e predadores de peixes pequenos.

image013.jpg
image014.jpg

image015.jpg

Respiração (sem sistema) – ocorre por difusão dos gases respiratórios (O2 e CO2) entre célula e meio, individualmente.

Excreção (sem sistema) – a eliminação da amônia ocorre por difusão de cada célula com o meio. Não armazena excretas.

Circulação (sem sistema) – a água que circula pela cavidade gastrovascular, entra e sai bela boca é controlada pela contração do corpo do animal. A água traz substâncias importantes e leva substâncias tóxicas e inúteis.

Esqueleto (sem sistema) – medusas não apresentam estruturas rígidas, já pólipos podem possuir exoesqueleto (esqueleto externo) calcário rígido.

Nervoso (reticular difuso) – apresentam células com capacidade de condução de estímulos, sendo neurônios simples (ou protoneurônios). A organização dessas células formam uma rede no corpo do animal, sendo chamado de reticular difuso. Não apresenta centros nervosos.

image016.jpg

Muscular – apresentam célula com capacidade de contração mioepiteliais (revestimento externo) e miogastrodermais (revestimento interno). Permite o movimento do animal e dos tentáculos.

4) Reprodução dos Celenterados

A Reprodução Assexuada ocorre por Brotamento – Quando a formação de brotos no corpo da mão que pode destacar-se originando um novo ser. Caso a separação não ocorra, pode forma-se um colônia. Essas colônias de corais (anêmonas com esqueleto calcário) formam recifes de corais.

A Reprodução Sexuada – Ocorre quando os espermatozoides são produzidos e liberados na água, assim como os óvulos, ocorrendo a fecundação, seguindo com o desenvolvimento.

Reprodução por Metagênese – processo onde ocorre a alternância entre duas gerações, a geração do pólipo, e a geração da medusa. O pólipo formam as medusas por um processo assexuado chamado estrobilização com formação da larva éfira. Já a medusa formam o pólipo por um processo sexuado, fecundação com formação da larva plânula.

Biologia Enem

5) Classificação dos Celenterados

Hydrozoa – envolvem as hidras e caravelas. As Caravelas são formadas por  uma colônia de pólipos, onde ocorre divisão de trabalho entre os indivíduos.

image018.jpg
image019.jpg

Cifozoa –  Nesta condição se enquadram as grandes medusas.  São animais que apresentam muita mesogléia com umbela (corpo) bem desenvolvida. Podem passar de dois metros de diâmetro

image020.jpg

Antozoa – grupo das anêmonas e corais. Apresentam apenas a forma pólipo. Os Peixes-palhaço são imunes à toxinas das anêmonas, usando-as de abrigo para proteção contra predadores.

image021.jpg
image022.png
image023.jpg
image024.jpg

Entenda o que são os Recifes de Corais:

Os grandes recifes de corais são formados por anêmonas com exoesqueleto calcário. À medida que esses animais vão morrendo, seu exoesqueleto é mantido, servindo de substrato para o desenvolvimento de outras anêmonas. O processo de reprodução por brotamento também colabora para o crescimento dos recifes de corais.

Como os corais são sensíveis a agentes poluentes, à medida que eles vão morrendo a sua coloração vai se perdendo, tornando-se branco. Esse fenômeno é chamado branqueamento, onde ocorre a morte de corais em função da poluição dos mares.

image025.jpg

Dicas do Blog do Enem

Dica 1 – Você já ouviu falar da Síndrome de Down, mas sabe como esse acidente genético é formado? Saiba tudo sobre Síndromes genéticas nesta aula de Biologia Enem – https://blogdoenem.com.br/sindromes-geneticas-biologia-enem/

Dica 2 – Se você já estudou sobre Mitose, relembre agora sobre as principais características da Meiose nesta aula de Biologia Enem – https://blogdoenem.com.br/meiose-biologia-enem/
Dica 3 – Relembre tudo sobre Prófase, Metáfase, Anáfase e Telófase nesta aula de revisão sobre Mitose para a prova de Biologia Enem – https://blogdoenem.com.br/mitose-biologia-enem/

Vídeo-aula gratuita:

Saiba mais sobre Zoologia e o Reino Animalia nesta aula do canal Saber Virtual, disponível no Youtube. Após assistir, revise o que você aprendeu respondendo aos nossos desafios!

Desafios para você resolver e compartilhar as respostas na redes sociais:

Questão 1

(UFAC) Sobre os poríferos qual das afirmativas abaixo é verdadeira?

a) São organismos invertebrados que possuem corpo com simetria bilateral e superfície porosa.

b) São organismos invertebrados, com corpo sustentado somente por fibras de espongina, que possuem coanócitos como tipo celular característico. Vivem principalmente em ambiente marinho.

c) São organismos conhecidos popularmente como esponjas, que possuem vida aquática, principalmente no mar, e se reproduzem exclusivamente de forma sexuada.

d) São organismos conhecidos popularmente como esponjas, que possuem vida aquática, principalmente em água doce, e vivem fixados a um substrato.

e) São organismos invertebrados, com corpo sustentado por espículas ou fibras que possuem coanócitos como tipo celular característico e vivem principalmente em ambiente marinho.

Questão 2

(UECE) As esponjas são animais macios e flexíveis, dotados de poros por todo o corpo e pertencentes ao filo Porífera. Com relação aos poríferos assinale a afirmação verdadeira.

a) Por serem animais bastante primitivos, os poríferos não desenvolveram mecanismos sexuados de reprodução.

b) Apresentam exoesqueleto formado por espículas de calcário ou de sílica.

c) Absorvem alimentos por meio de filtração, mecanismo possível pela presença de células flageladas que direcionam o fluxo de alimentos para a cavidade interna, denominadas cnidócitos.

d) São seres exclusivamente aquáticos, que não possuem tecidos bem definidos, não apresentam órgãos nem sistemas.

Questão 3

(UDESC) Assinale a alternativa correta, em relação à reprodução dos poríferos (1) e cnidários (2).

a) (1) Sexuada, espécies dioicas, fecundação externa e desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas. (2) Assexuada com fragmentos. Há espécies monóicas com desenvolvimento direto sem estágio larval, e há dioicas.

b) (1) Assexuada, algumas espécies apresentam alternância de gerações. (2) Assexuada com fragmentos; há espécies monoicas com desenvolvimento direto sem estágio larva e outras dioicas.

c) (1) Assexuada com fragmentos. Há espécies monoicas com desenvolvimento direto sem estágio larval, e há dioicas. (2) Sexuada, espécies dioicas, fecundação externa e desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas.

d) (1) Assexuada, por brotamento e fragmentos, e sexuada com desenvolvimento indireto (larva anfiblástica). (2) Assexuada, algumas espécies apresentam alternância de gerações.

e) (1) Assexuada, por brotamento e fragmentos, e sexuada com desenvolvimento indireto (larva anfiblástica). (2) Sexuada, espécies dioicas, fecundação externa e desenvolvimento indireto com um ou mais tipos de larvas.

Questão 4

(UCPel) Os recifes de coral são formados pelo depósito de materiais calcários e pela ação de certos organismos. Apesar da enorme biodiversidade, essas formações desenvolvem-se apenas em mares de águas quentes, com águas claras e pobres em nutrientes e plâncton. Os principais organismos formadores de recifes pertencem ao filo ________ e classe ________.

a) Porifera, scyphozoa.

b) Cnidaria, hydrozoa.

c) Porifera, anthozoa.

d) Cnidária, anthozoa.

e) Cnidaria, scyphozoa

Questão 5

(PUC-CAMPINAS) Para responder esta questão considere o texto abaixo.

CORAIS

Recifes de corais artificiais estão sendo usados para acelerar o processo de restauração dos recifes naturais. Para isso, a Biorock Inc. utiliza armações de aço que são energizadas por uma corrente elétrica de baixa voltagem. Isto faz com que os minerais da água do mar nelas se prendam, formando uma fina camada de calcário. Desse modo, pode-se prender pequenos pedaços de coral nas armações, que ficam seguras devido ao calcário acumulado.

(BBC Knowledge, outubro de 2009, p. 9)

Alguns tipos de coral vivem em águas muito profundas, mas a imensa maioria está presente em águas rasas, em profundidades de menos de60 metros. Isso está relacionado ao fato de os corais:

a) Não produzirem seu próprio alimento e, portanto, dependerem de organismos que fazem fotossíntese.

b) Serem predados intensamente por organismos que vivem em águas mais profundas, como alguns peixes, moluscos e crustáceos.

c) Não respirarem por brânquias e, portanto, necessitarem da oxigenação proporcionada pelas ondas.

d) Não possuírem tentáculos e, portanto, não suportarem grandes pressões de água.

e) Serem organismos sésseis e terem a movimentação dos gametas associada às correntes superficiais.

Questão 6

A figura abaixo mostra o ciclo de vida de um cnidário.

image026.jpg

Resultam de processo assexuado APENAS:

a) I, II e III

b) I, II e IV

c) I, III e IV

d) II, III e IV

e) III, IV e V

Você consegue resolver estes exercícios? Então resolva e coloque um comentário no post, logo abaixo, explicando o seu raciocínio e apontando a alternativa correta para cada questão. Quem compartilha a resolução de um exercício ganha em dobro: ensina e aprende ao mesmo tempo. Ensinar é uma das melhores formas de aprender!