Lamarck e Darwin: veja as principais teorias da evolução das espécies

As teorias evolucionistas de Lamarck e Darwin mudaram a maneira do mundo enxergar as divisões dos seres vivos e também a sua evolução. Para explicar como se desenvolveram veja mais detalhes neste resumo de biologia para o Enem.

A evolução das espécies é um dos temas que mais aparecem na prova de biologia do Enem e dos vestibulares.  Explorar as principais diferenças entre as teorias de Charles Darwin (darwinismo) e de Jean Baptiste Lamarck (lamarckismo) é a maneira predileta desses exames de testarem os seus conhecimentos.

Então, para você arrasar nas questões de biologia do Enem e conquistar a vaga tão desejada no curso dos seus sonhos, veja aqui os pontos semelhantes e divergentes das duas teorias.  

Teorias da evolução das espécies

As teorias da evolução de Darwin e Lamarck, dois cientistas naturalistas, são as mais famosas teorias evolucionistas de todos os tempos. A teoria de Lamarck defendia que os seres vivos modificavam-se ao longo do tempo, ele dizia que de acordo com as pressões exercidas pelo ambiente, estas modificações passavam para as gerações seguintes, seguindo assim a lei do uso e desuso e a lei dos caracteres adquiridos.

Posteriormente, Charles Darwin veio com a teoria da Seleção Natural, reforçar que os seres se modificam ao longo do tempo. Nesta abordagem de Darwin, o ambiente influencia os seres vivos e as mudanças que neles ocorrem. Sendo assim, o naturalista denominou como se dá a existência de relações de “parentesco” e descendência entre as espécies.

Jean Baptiste Lamarck

Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck foi um naturalista francês que viveu de 1744 a 1829. Naquela época as ideias evolucionistas começavam a surgir junto com os estudos dos naturalistas. Ele foi um evolucionista pioneiro ao elaborar leis e fundamentos para tentar explicar a evolução das espécies.

Antes de Lamarck apresentar sua teoria, predominava no meio científico o chamado Fixismo. Essa lei consistira em dizer que os seres vivos não se modificavam ao longo do tempo, ou seja, eram fixos, imutáveis. Essa teoria era altamente influenciada por questões religiosas da época.

Lamarck então elaborou uma das primeiras teorias sobre as mudanças ocorridas nas espécies ao longo dos anos. Hoje sabemos que a maior parte das ideias de Lamarck estavam erradas. Porém, é importante conhecer a teoria que abriu caminho para os estudos no campo da evolução. Principalmente em uma sociedade onde a ideia predominante era a fixista e a criacionista, até mesmo entre os principais cientistas da época.

A Visão Lamarckista

Lamarck, antes de tudo, era adepto da abiogênese. Essa teoria dizia que os seres vivos poderiam surgir espontaneamente a partir da matéria inanimada, principalmente os mais simples, como as bactérias. Sendo assim, para Lamarck a vida tenderia sempre a se modificar, partindo dos seres vivos mais simples e a partir de uma modificação aumentado seu nível de complexidade.

Lamarck considerava que essas mudanças nos seres vivos eram direcionadas pelas características que o ambiente apresentava. Segundo ele, mudanças nas condições ambientais forçariam mudanças nos seres vivos que os adaptassem à estas novas condições ambientais. Logo, as mudanças que ocorrem nos seres vivos, segundo Lamarck, seriam dirigidas pelas necessidades impostas pelo ambiente. Para explicar como os seres vivos se modificavam, ele elaborou duas leis: a lei do uso e desuso e a lei dos caracteres adquiridos.

Lei do Uso e Desuso – exemplo das girafas

Segundo Lamarck, quando um ser vivo utilizasse muito um determinado órgão, este tenderia a se desenvolver mais que outras partes do corpo, ficando cada vez maior ou mais complexo. O contrário também deveria acontecer: quanto menos se utilizasse um órgão, menos ele deveria se desenvolver e atrofiar.

A partir das ideias de Lamarck, poderíamos explicar o tamanho do pescoço das girafas. Tais animais ao fazer o esforço de esticá-lo para comer ramos de vegetação mais alta, consequentemente aumentariam gradativamente de tamanho. Estas modificações ocorreriam para que o animal se adaptasse a uma nova condição ambiental: a diminuição da vegetação rasteira. Veja neste diagrama um resumo da proposta de Jean-Baptiste Lamarck.

No cenário Lamarckista, não haveria variação inicial entre os indivíduos de uma população. Ou seja, todas as girafas teriam pescoços curtos e o uso constante do órgão esticando-o para alcançar a vegetação mais alta, fez com que o órgão se desenvolvesse mais.

Então, de acordo com Lamarck, esta ‘modificação’ seria uma adaptação das girafas à nova condição ambiental. Sendo assim esta característica teria sido transmitida aos descendentes, que a cada geração teriam um pescoço um pouco maior. Podemos notar então que, segundo as ideias de Lamarck, as alterações nos seres vivos surgem a partir da necessidade de adaptação às condições ambientais, ou seja, são produzidas pelo ambiente.

A imagem a seguir ilustra um resumo das duas leis de Lamarck aplicadas à evolução das girafas:

Lei dos caracteres adquiridos

Segundo Lamarck, quando um ser vivo adquire uma característica (resultado do uso e desuso) ao longo da sua vida e esta característica o auxilia a ter vantagens no ambiente em que ele vive, essa característica poderá ser passada aos seus descendentes.

Assim, de acordo com a lei dos caracteres adquiridos, as serpentes não teriam patas porque ao se adaptarem ao modo de vida rastejante, suas patas teriam perdido o uso, tendo se atrofiado e desparecido e, assim, seus descendentes teriam herdado patas cada vez mais atrofiadas que em algum momento desapareceram.

Charles Darwin

O cientista Charles Darwin era um inglês de família extremamente religiosa que jovem viveu em uma “aventura” ao redor do mundo que mudou a história da sua vida e também das ciências biológicas. Ele ficou tão forte no mundo das ciências que Darwinismo virou vocábulo nos dicionários.

Com vinte e poucos anos, embarcou no navio HMS Beagle, da marinha mercante inglesa, em uma viagem para atualizar mapas e que duraria mais de cinco anos. Esta viagem (que o levou a pontos incríveis do planeta – inclusive o Brasil) permitiu a Charles Darwin a observação da enorme biodiversidade do planeta.

Quando voltou à Inglaterra, Darwin pôs-se a organizar os dados que havia compilado na sua viagem e se jogou em outra jornada que viria a durar mais de 20 anos: a elaboração de sua teoria evolucionista: a Seleção Natural. Duas décadas após sua viagem, Darwin lança seu célebre livro, “A Origem das Espécies” e sua teoria se populariza, não só entre os cientistas da época, mas também entre a sociedade inglesa.

A visão darwinista

Segundo o darwinismo, o ambiente seleciona os seres vivos mais adaptados. Isso quer dizer que os seres vivos que apresentam características que lhes permitam sobreviver a determinada condição ambiental, viverão. Dessa forma eles conseguirão transmitir seus genes para as futuras gerações.

Voltando a teoria das girafas, em um cenário darwinista, existiriam variações entre as girafas. Ou seja, alguns animais teriam pescoços mais longos, outros, mais curtos. Assim, quando o ambiente se modificar e a vegetação rasteira for escassa, somente os indivíduos com pescoços mais longos conseguiriam se alimentar e sobreviver. Dessa maneira, esta característica seria selecionada e transmitida às futuras gerações.
Girafas - Evolução Darwin

Darwin x Lamarck

O ponto principal que diferencia as duas teorias está na maneira como o ambiente age em relação aos seres vivos e como eles reagem às pressões do ambiente. Para que você entenda melhor estas diferenças, vamos utilizar o exemplo clássico para comparar as duas teorias: o tamanho do pescoço das girafas.

Girafas - Lamarck vs Darwin

Para Darwin, o ambiente não gera as variações, elas já existem naturalmente nas populações. Ou seja, o ambiente não promoverá as mudanças, como Lamarck dizia. Dessa maneira, selecionaria variações mais adaptadas às condições apresentadas, ou seja a seleção natural.

Videoaula

Para compreender um pouco mais sobre a comparação entre as duas teorias, veja a nossa videoaula sobre o darwinismo e lamarckismo, com a professora Juliana.

Exercícios

Questão 1) (Fuvest-2000) Uma ideia comum às teorias da evolução propostas por Darwin e por Lamarck é que a adaptação resulta:

a) do sucesso reprodutivo diferencial.
b) de uso e desuso de estruturas anatômicas.
c) da interação entre os organismos e seus ambientes.
d) da manutenção das melhores combinações gênicas.
e) de mutações gênicas induzidas pelo ambiente.

Resposta: C

Questão 2) (Uneb-1998)Considere as seguintes afirmações:

I. Devido à necessidade de respirar ar atmosférico, certo animal passou a apresentar pulmão e transmitiu essa característica aos descendentes.
II. As toupeiras atuais têm olhos atrofiados porque seus ancestrais, por viverem sob a terra, não necessitavam da visão.
III. De tanto comer capim, o intestino dos herbívoros foi ficando cada vez mais longo.

O pensamento de Lamarck pode ser percebido em:

a) I, apenas.
b) III, apenas.
c) I e II, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

Resposta: E.

Questão 3) (VUNESP-2008)

… o uso, nos animais domésticos, reforça e desenvolve certas partes, enquanto o não-uso as diminui e, além disso, estas mudanças são hereditárias.  A afirmação faz referência aos mecanismos que explicariam a transmissão das características biológicas de pais para filhos: lei do uso e desuso e transmissão hereditária dos caracteres adquiridos.

Pode-se afirmar que esses mecanismos de herança eram aceitos:

a) tanto por Lamarck quanto por Darwin. Porém, para Darwin, esses mecanismos apenas explicavam a transmissão das características hereditárias, enquanto que a evolução em si era explicada como resultado da ação da seleção natural sobre a variabilidade.

b) tanto por Lamarck quanto por Darwin. Para ambos, esses mecanismos, além de explicarem a herança das características hereditárias, também explicavam a evolução das espécies ao longo das gerações. Para Darwin, porém, além desses mecanismos deveria ser considerada a ocorrência das mutações casuais.

c) exclusivamente por Lamarck. Cerca de 50 anos depois de Lamarck, Darwin demonstrou que as características adquiridas não se tornam hereditárias e apresentou uma nova teoria capaz de explicar o mecanismo da herança: a seleção natural.

d) exclusivamente por Lamarck. Essas explicações sobre o mecanismo da herança foram imediatamente contestadas pela comunidade científica. Coube a Darwin apresentar o mecanismo ainda hoje aceito como correto: a Teoria da Pangênese, que complementa a Teoria da Evolução.

e) exclusivamente por Lamarck. Darwin sabia que essa explicação não era correta e por isso, nesse aspecto, era contrário ao lamarckismo. Contudo, Darwin não tinha melhor explicação para o mecanismo da herança. Coube a Mendel esclarecer que o material hereditário é formado por DNA.

Resposta: A

Questão 4) (UEL-2010)

“Darwin, empolgado com as maravilhas da natureza tropical, em Salvador e no Rio, registrou: A viagem do Beagle foi sem dúvida o acontecimento mais importante de minha vida e determinou toda a minha carreira. As maravilhas das vegetações dos trópicos erguem-se hoje em minha lembrança de maneira mais vívida do que qualquer outra coisa.” (Adaptado de: MOREIRA, I. C. Darwin, Wallace e o Brasil. In Jornal da Ciência, Ano XXII, n. 625, p. 6, 11 jul. 2008.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir:

I. A ideia de evolução não era nova, contudo, foi Darwin que estabeleceu cientificamente o princípio da seleção natural como fator responsável pela evolução dos organismos.?
II. As conclusões expostas no livro A origem das espécies levaram ao aprimoramento dos estudos de Lamarck que embasavam a teoria da geração espontânea dos organismos.
III. Em sua viagem, Darwin observou a ocorrência de processos biológicos semelhantes em áreas geográficas e com seres vivos diferentes, o que colaborou para a elaboração da Teoria da Evolução pela seleção natural.
IV. A Teoria da Evolução pela seleção natural, conhecida por darwinismo, também foi desenvolvida por Alfred Wallace que, na mesma época, estudava o fenômeno evolutivo.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.

Resposta: E.