Escala gráfica: entenda seu conceito, definição e aplicação

As escalas gráficas são fundamentais para a produção de mapas e também aparecem frequentemente nas provas do Enem. Veja aqui o que são e como funcionam as escalas gráficas ou cartográficas.

A escala gráfica de um mapa consiste na relação entre a dimensão das informações apresentadas em um mapa, comparadas com o tamanho real do objeto representado através da cartografia. Dessa forma com a cartografia temos um grande auxílio para a Geografia, que necessita da representação do espaço físico para seus estudos.

É por esse motivo que para as imagens terem uma proporção exata com ‘o mundo real’ é preciso utilizar uma escala gráfica. Este recurso permite que haja uma redução de maneira proporcional. Ou seja, para que exista uma linguagem que permita outras pessoas entenderem qual o tamanho real do que está sendo representado, é necessário usar a escala gráfica.

O que é escala gráfica

A escala é a relação entre o tamanho do que está representado em um mapa e o tamanho real do objeto. Deste modo, temos a representação da escala na forma de uma fração, como por exemplo na imagem abaixo. Observe:

Escala gráfica Nesta imagem a escala gráfica está indicando Um centímetro para vinte e cinco mil centímetros. Ou seja, com a indicação da medida referenciada em metros: cada centímetro no papel corresponde a vinte e cinco mil centímetros.  Por sua vez eles são convertidos em metros, resultando no total de 250 metros no terreno indicado.

Em conclusão podemos dizer que a escala indica a proporção em que um mapa foi traçado em relação ao objeto real (o mundo ou parte dele). Ou seja, quantas vezes o tamanho verdadeiro teve de ser reduzido para poder ser representado no papel. É importante lembrar que nos mapas sempre haverá a informação da ‘escala’ que foi utilizada como referência.

A representação da escala gráfica em um mapa

Existem três tipos de escala, a escala natural, a escala reduzida e a escala ampliada.

  • Escala natural – Representada numericamente como 1:1 ou 1/1. Ela é utilizada quando o tamanho real do objeto representado no mapa, é o mesmo que o da representação.
  • Escala reduzida – Utilizada quando a representação não possui uma dimensão equivalente à realidade. Sendo assim ela é geralmente empregada em mapa de territórios, regiões ou plantas de imóveis.
  • Escala ampliada – Utilizada quando a representação gráfica é maior que a realidade. Geralmente é aplicada em espaços com dimensões reduzidas. Ou seja, em um caso como este, a escala apareceria com a seguinte apresentação: 300:1 ou 60:1.

Além de possuir estes três tipos diferentes, a escala pode ser representada de forma numérica ou gráfica.

Como funciona a escala numérica?

A escala numérica informa em números quantas vezes o espaço real foi reduzido. Veja esta representação 1:25.000 , e, agora pronuncie o que está escrito: Escala de um para vinte e cinco mil.  Ou seja, a proporção é de uma unidade no mapa pra vinte e cinco mil unidades no mundo real.

Neste caso, o algarismo ‘um’ é o numerador; e o número 25.000 é o denominador. Quando ela não possui a indicação de medida (cm, m, km) entende-se que corresponde a cm. Dessa maneira quando for fazer a leitura das escalas gráficas lê-se, um centímetro para vinte e cinco mil centímetros.

Como funciona a escala gráfica

Como estávamos dizendo antes, uma escala gráfica funciona sob a forma de uma reta dividida em segmentos. Dessa forma cada qual conta com uma distância que informa diretamente a correspondência entre elas. E assim elas são representadas na superfície cartografada.

A escala gráfica é muito útil para manter a proporção da imagem, pois é preciso reduzir o tamanho da imagem, em uma impressão. Um exemplo disso é a dimensão da barra da escala gráfica que também diminuirá junto com a imagem. Dessa forma ela mantém a informação e a proporção real.

Por fim podemos dizer que quanto ‘maior’ for a escala, menos detalhes você verá no mapa.

Como fazer a leitura de uma escala gráfica

Agora perceba que a escala indicada na imagem anterior é de 1: 10.000 (um para dez mil). Observando a imagem acima é possível identificar as ruas, a ferrovia, e as principais edificações.  Sendo assim podemos dizer que cada um centímetro na planta corresponde a 10 mil centímetros no mundo real ou, cem metros.

Mas, se nós modificássemos a escala para o dobro desta primeira proporção, colocando uma escala de 1: 20.000, a visualização já ficaria mais difícil para as edificações menores. Sendo assim quanto maior for a razão aplicada, menor seriam os detalhes visualizados na imagem. Então nestes casos dizemos que a escala ficou ‘menor’.

De modo geral as escalas gráficas variam de acordo com as finalidades do mapa. Portanto ela é definida antes de sua elaboração. Nestes casos, quando o objetivo é proporcionar uma visão geral de um grande espaço, como um país ou um continente, utiliza-se uma escala pequena.

Já para fornecer detalhes de um espaço geográfico de dimensões locais, como um bairro, uma praça, um parque, usa-se uma escala grande.

Como funciona a escala gráfica do Google Maps?

Ao abrir o Google Maps seja no celular ou no computador, observe que ao dar um zoom no mapa, você aproxima e ao mesmo tempo amplia a imagem. Consequentemente você consegue ver mais detalhes. Sendo assim podemos chamá-la de uma escala ‘maior’, pois ela conta com mais detalhes.

Ainda utilizando o exemplo do Google Maps, observe que quando afastamos a imagem, ou seja, damos um zoom out, os nomes das ruas começam a sumir e ficam apenas as avenidas principais.  Neste caso, a escala ficou ‘menor’, e agora ela aparenta menos detalhes. Então, isto que ocorre no Google Maps é como ocorre nos mapas. É a mudança de Escala que lhe permite ver com mais detalhes ou com menos detalhes.

Podemos dizer então que em uma escala pequena ou menor você identificará menos detalhes. E em uma escala grande ou maior, é possível encontrar mais detalhes.

As diferenças entre escala menor e escala maior

As escalas grandes são aquelas que reduzem menos o espaço representado pelo mapa. Sendo assim é possível obter mais detalhes dos elementos existentes. Portanto aquelas escalas cujo o denominador for 1:10.000 são chamadas de escala menor.

As escalas pequenas são as que reduzem mais os espaços representados pelos mapas e possuem menos detalhes do elemento existente. Sendo assim o seu denominador é um número maior.

Então podemos complementar e dizer que quando o denominador for maior  menor será a escala e também terá menos detalhes. Porém, quando o denominador for menor, a escala será maior e assim consequentemente aparentar mais detalhes.

Veja a dica da imagem abaixo para fixar o esquema de escalas.

Para aprender de uma vez por todas esse conteúdo, assista o vídeo que a seguir e faça os exercícios sobre escalas gráficas logo depois.

Video-aula sobre escalas gráficas

Exercícios

Questão 1 – A escala é um dos atributos fundamentais de um mapa, pois estabelece a correspondência entre as distâncias representadas e as distâncias reais da superfície cartografada. Dessa maneira,

I. na escala numérica, a correspondência é indicada por meio de uma fração.
II. em um mapa com escala 1:50000, cada centímetro no papel corresponde a 5 mil centímetros no terreno.
III. na escala gráfica, a relação entre as distâncias reais e a área cartografada é indicada em uma linha graduada.
IV. em mapas urbanos representados em grande escala, as informações e os detalhes são mais precisos.

Estão corretas apenas as afirmativas

a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) I, II e III.
e) I, III e IV.

Questão 2 – Considere dois mapas que representam a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) com as seguintes escalas:

Mapa 01 (1:50.000);
Mapa 02 (1:500.000)

Pode-se afirmar verdadeiramente que:

a) em ambos os mapas há uma representação cartográfica com grande riqueza de detalhes;
b) os dois mapas possuem o mesmo tamanho;
c) o mapa 02 apresenta riqueza de detalhes por ter escala grande
d) o mapa 01 tem maior tamanho e representa com maior riqueza de detalhes a área da RMF

Questão 03 – (FATEC SP/2020)

A distância real entre a cidade A e a cidade B é de 1 500 quilômetros. Em um determinado mapa, essa distância é de 50 centímetros.

Portanto, a escala numérica desse mapa é

a) 1:3 000

b) 1:30 000

c) 1:300 000

d) 1:3 000 000

e) 1:30 000 000

Questão 04 – (UNIOESTE PR/2020)

A Ciência Geográfica, na sua tarefa de ler, entender e representar o espaço geográfico, conta com dados, informações e ferramentas de inúmeras instituições que subsidiam seus estudos e de demais áreas do conhecimento. Acerca da Geografia, das instituições, seus produtos e dados, assinale a alternativa INCORRETA.

a) O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) é reconhecido internacionalmente e fornece aos cidadãos brasileiros não só os resultados de suas pesquisas científicas, mas também, dados e informações que são utilizadas no cotidiano da sociedade, tais como previsão do tempo, mapeamentos e imagens de satélites.

b) As imagens dos diferentes satélites servem de insumo para a elaboração de mapas e outras representações cartográficas em variadas escalas cartográficas. Neste contexto, a escala cartográfica de 1:500.000 possui mais detalhes do que uma representação na escala de 1:5.000, a qual é mais genérica e com menor presença de detalhes.

c) O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é uma instituição que forne­ce informações do território brasileiro essenciais para diferentes setores, tais como, a sociedade civil e os órgãos públicos em suas diferentes esferas (federal, estadual e municipal).

d) As imagens de satélite podem ser utilizadas para diversas aplicações como, por exemplo, o monitoramento do uso e cobertura da terra e a identificação de focos de queimadas.

e) O formato esférico desafia a tarefa de representar a superfície da Terra em um plano. Dessa forma, a escolha da projeção cartográfica adequada é fundamental para garantir, dependendo do objetivo do mapa, por exemplo, a manutenção das formas dos objetos representados ou a distância entre as localidades.

GABARITO

1) Gab: E
2) Gab: D
3) Gab: D
4) Gab: B