Figuras de Linguagem: a utilização de palavras em sentido figurado

Veja esta revisão para se dar bem nas provas de redação e de linguagens do Exame Nacional do Ensino Médio, do Encceja e dos Vestibulares. O tema das Figuras de Linguagem cai direto nas questões de Interpretação de Texto e de Gramática também.

Você precisa se apropriar dos recursos possibilitados pela utilização das figuras de linguagem. Assim fica melhor para produzir a redação no Enem e no vestibular, e também você consegue compreender num todo a ideia que os autores querem passar em seus textos.

O discurso é algo que se manifesta tanto em sentido conotativo quanto denotativo. Mas, quando o autor lança mão da segunda possibilidade, você deve estar atento para compreender o texto em todas as suas nuances. Você já domina Conotação e Denotação, certo? É o básico para entender as Figuras de Linguagem.

Conotação e Denotação

denotação será aquela que trata do significado básico e objetivo de uma palavra; uma palavra com sentido denotativo está no seu sentido literal, primário, real. Ex.: Gosto de estudar à noite(noite sentido de período noturno).

A conotação é o avesso da denotação, pois trata do sentido figurado, simbólico das palavras, não literal. O uso que se faz das palavras trazendo novos sentidos, encontramos esses exemplos no texto literário, mas na redação do Enem não se deve escrever texto poético, e sim, dissertativo-argumentativo. Fique ligado! Exemplo de conotação: Há dias que amanhecem noite (noite no sentido de tristeza, sombrio).

Dica  importante – Se você está com dúvidas sobre que é sentido conotativo, ou o que é sentido denotativo, pare um pouco por aqui e faça uma revisão sobre Conotação e Denotação. Veja aqui  na imagem uma aula do professor Jackson Avila: Linguagem Conotativa x Linguagem DenotativaEm poucos minutos você se atualiza sobre o que á Linguagem Denotativa e o que é a Linguagem Conotativa.

Então, como você viu no início do post, a linguagem conotativa trabalha com o sentido figurado, no qual determinadas palavras assumem uma significação muito mais ampla do que aquela que encontramos nos dicionários.

Nesse caso, dizemos que o autor lançou mão da linguagem figurada, na tentativa de criar um novo sentido, uma imagem.LinguagemE é justamente nesse momento que você, ao ler ou interpretar um texto, se depara com as figuras de linguagem.

As Figuras de Linguagem:

Figura de linguagem é: uma forma de expressão que consiste no emprego de palavras em sentido figurado, isto é, em um sentido diferente daquele em que convencionalmente são empregadas.

As figuras de linguagem são geralmente empregadas para dar mais expressão ao que queremos; ampliando o significado de uma palavra, suprindo a falta de um termo adequado ou criar significados diferentes.

Veja o exemplo: “Amar é um deserto e seus temores…” (Djavan) – →Ao ouvir esse trecho da canção “Oceano”, você precisa fazer uma relação com a imagem que um deserto representa: sofrimento, solidão, sacrifício; para assim poder compreender o que o amor significa para o autor.

No quadro abaixo, você vai conhecer as figuras de pensamento, que são a primeira divisão das figuras de linguagem, juntamente com um exemplo de utilização de cada uma delas:

Figuras de Linguagem

Exemplos de utilização

Comparação e Metáfora: é a comparação entre dois termos, de modo que as características de um sejam atribuídas a outro. Quando ocorre comparação, aparece um termo específico: como, tal qual, etc. Quando esse termo é suprimido, ocorre a metáfora. Metáfora: Um beijo seria uma borboleta afogada em mármore. (Cecília Meireles)

 

Comparação

Ela vive como os pássaros.

Metonímia: consiste na substituição de uma palavra por outra, havendo entre elas uma relação de interdependência, inclusão, implicação. Você nunca leu Machado de Assis (o autor pela obra).Vamos tomar uma Coca-Cola (a marca pelo produto).

Não havia uma alma na casa (a parte pelo todo).

Antítese: é o emprego de palavras que possuem sentidos opostos. De repente do riso fez-se o pranto (Vinícius de Morais)
Paradoxo: é a fusão, no mesmo enunciado, de elementos que se excluem mutuamente, quebrando a lógica. Fui-o outrora agora. (Fernando Pessoa)
Prosopopeia: também chamada de personificação, consiste em atribuir características de seres humanos a seres irracionais. O vento bateu na minha porta.
Hipérbole: consiste em expressar uma ideia com exagero, para enfatizá-la. Você vai chorar rios de lágrimas.
Eufemismo: consiste em empregar uma palavra ou expressão para amenizar o sentido desagradável de outra. Seu filho partiu dessa para a melhor (morreu).
Ironia: consiste em empregar uma palavra ou expressão querendo dizer exatamente o contrário. Você é um dançarino incrível, conseguiu pisar no meu pé várias vezes.

Exercício: Agora chegou a sua vez! Responda a questão abaixo que o Blog do ENEM preparou para você.

Você pode conhecer um pouco sobre as figuras de linguagem assistindo ao vídeo “Chora… violão…”, sobre as figuras de pensamento:

1. Assinale a figura de linguagem que foi empregada no trecho abaixo da canção de Lulu Santos e Nelson Mota.

“O vento beija meus cabelos

As ondas lambem minhas pernas

O sol abraça o meu corpo

Meu coração canta feliz”.

a) hipérbole                b) metáfora             c) prosopopeia             d) ironia                       e) metonímia

Resposta: letra “c”.

Comentário: os autores atribuíram uma característica humana a cada elemento relacionado: o vento beija; as ondas lambem; o sol abraça; o coração canta. A prosopopeia também é chamada de personificação, justamente por atribuir características humanas a seres inanimados.

Jackson Gil - Linguagem
O texto foi preparado pelo professor Jackson Gil Avila para o Blog do Enem. Jackson é licenciado em letras Português/Espanhol; especialista em Literatura Contemporânea e em Gramática do Texto; e mestrando em Ciências da Linguagem, todos pela UNISUL.