Poluição por derramamento de petróleo – Biologia Enem

Você conhece os problemas causados pelos derramamentos de petróleo? Não? Então vem com a gente e arrase em Biologia no Enem!

No mundo atual, infelizmente é difícil imaginar a civilização humana sem o petróleo e seus derivados. Os produtos obtidos do petróleo são fontes de energia extremamente importantes para a produção industrial e também para os meios de transporte. Além disso, a partir do petróleo é obtida matéria-prima para a produção de plástico. Enfim, o petróleo é o combustível que move o mundo. Porém, sua extração, transporte e utilização podem causar sérios danos ambientais. Neste post vamos estudar o derramamento de petróleo e suas consequências para os seres vivos. Então, vem com a gente! Saiba tudo sobre derramamento de petróleo e arrase nas questões de Biologia do Enem e dos vestibulares!

O petróleo é uma mistura de substâncias, composta principalmente de hidrocarbonetos e pequenas quantidades de substâncias contendo enxofre, oxigênio e nitrogênio. O petróleo é uma substância menos densa que a água e sua cor em geral varia entre marrom e preta. Essa mistura é formada a partir de restos de seres vivos que se depositaram no fundo de lagos ou mares e que posteriormente foram cobertos por sedimentos rochosos. Por conta do calor e da pressão causados pelo empilhamento de várias camadas de sedimento (que posteriormente se tornam rochas sedimentares), ocorre a decomposição destes restos juntamente com reações complexas que acabam formando o petróleo ao longo de milhões de anos. Assim, por causa de sua origem, dizemos que o petróleo é um combustível fóssil.

Surgimento do petróleo como combustível fóssil

Boa parte do petróleo extraído no planeta se encontra em bacias sedimentares embaixo dos oceanos. Isto além de dificultar a extração de petróleo, pode aumentar os riscos ambientais de sua utilização (tanto na extração quanto no transporte). Tanto é que a imensa maioria dos desastres ambientais causados por derramamentos de petróleo está relacionada com acidentes envolvendo os navios petroleiros e as plataformas petrolíferas.  Além disso, muitas vezes a água utilizada para lavar os reservatórios de petróleo desses navios é jogada diretamente no mar, sem qualquer tratamento.

Navios poluem mar com petróleo

Dica 1: Revise a composição química do petróleo e seu refinamento com esta super aula de Química da professora Munique Dias.

Como o petróleo é menos denso que a água, ele boia. Isso faz com que se formem grandes manchas: as marés negras – e é aí que os problemas começam. Essas grandes manchas de petróleo impedem que a luz passe, prejudicando a fotossíntese dos seres produtores marinhos (como o fitoplâncton e as algas pluricelulares). Além disso, a camada de petróleo sobre a água impede trocas gasosas da água com o ar, levando muitos seres vivos à asfixia.

Derramamento de petróleo

Os animais aquáticos são diretamente afetados pelo petróleo, pois ele impregna a superfície de seus corpos e os mata por intoxicação (a pele dos animais pode absorver parte das substâncias que constituem o petróleo). Quando o petróleo impregna as brânquias dos peixes, ocorre morte por asfixia. As aves marinhas também são altamente prejudicadas: o petróleo gruda em suas penas, impedindo-as de voar e de regular sua temperatura, acabando por matá-las. O mesmo ocorre com os mamíferos marinhosque, impedidos de eliminar calor por conta da camada de petróleo, acabam morrendo.

Ave suja de petróleo

Dica 2: Revise também os aspectos políticos e econômicos da produção de petróleo no Brasil com esta aula de Geografia do Blog do Enem.

Os problemas podem ser ainda maiores se a mancha de petróleo atingir áreas de manguezais. O petróleo poderá impedir a absorção de nutrientes nas raízes das plantas, além de destruir a principal área de reprodução para inúmeras espécies marinhas.

Petróleo afetando espécies de moluscos

O maior desastre ambientalenvolvendo derramamento de petróleo ocorreu em 2010 no Golfo do México. Uma plataforma de extração de petróleo explodiu, provocando a morte de sete trabalhadores e o vazamento de aproximadamente 5 milhões de barris de petróleo no mar. Com a explosão, uma das sondas perfuradoras se quebrou, fazendo com que o petróleo vazasse diretamente do solo durante 87 dias. A demora em controlar o vazamento permitiu que mais de 1500 km de litoral fossem contaminados pelo petróleo, o que envenenou e matou milhares de animais. Além das perdas biológicas, houve também um grande prejuízo econômico: calcula-se a perda de dezenas de bilhões de dólares que afetaram principalmente a pesca e o turismo das regiões atingidas. Estudos recentes demonstraram que o petróleo derramado neste episódio continua afetando larvas de animais, como peixes e moluscos, causando más formações em seus sistemas circulatórios.

Explosão de um Petroleiro

O petróleo pode ser degradado por alguns grupos de bactérias. Porém o processo é extremamente lento. Por tal motivo, após um acidente é necessário tomar medidas de emergência de forma a impedir que a maré negra (mancha de petróleo) se espalhe. As medidas mais utilizadas são barreiras físicas (como boias) e bombas de sucção.

Sucção de Petróleos

Dica 3: Revise também os danos ambientais causados por substâncias não-biodegradáveis nesta super aula da professor Juliana Evelyn dos Santos.

E aí, curtiu nosso resumo sobre o derramamento de petróleo? Beleza! Agora, para finalizar sua revisão, que tal ver uma videoaula bacaninha? Veja esta aula do canal “Me salva!”:

Gostou do vídeo? Muito bom, não é? Que tal testar seus conhecimentos?

01 – (UEPA/2012)   Uma das formas de poluição do mar é o derramamento de petróleo que afeta consideravelmente os seres vivos das áreas atingidas. Uma camada de óleo sobrenadante de 1 cm de espessura é suficiente para reduzir a capacidade de penetração da luz na água, além de dificultar a oxigenação da água e impregnar as penas das aves marinhas que não conseguem voar e nem termorregular. Afeta também as estruturas de filtragem de ostras e de mariscos. (Adaptado de Paulino, Biologia: genética, evolução e ecologia. Volume 3, 2008).

Diante dessa situação, as consequências acarretadas aos seres vivos atingidos por esse tipo de acidente são:

I. O processo fotossintético das algas fica comprometido.
II. As formas aquáticas de vida aeróbica morrem por asfixia.
III.   As aves morrem de frio porque as penas perdem a impermeabilidade.
IV. As brânquias das ostras e mariscos, órgãos responsáveis pela filtração dos alimentos, são obstruídas.

De acordo com as afirmativas acima, a alternativa correta é:

a) I e III
b) II e III
c) I, II e IV
d) II, III e IV
e) I, II, III e IV

Gab: E

02 – (UFRJ/2011)   Em abril de 2010, o incêndio e posterior naufrágio da plataforma petrolífera Deepwater Horizon causou o derramamento de milhões de litros de petróleo no Golfo do México.

Estudos sobre a degradação do petróleo no local mostraram que o uso de dispersantes químicos (capazes de fazer com que o petróleo forme minúsculas gotículas) aumentou muito as populações de bactérias aeróbicas que se alimentam do petróleo. Esse processo pode fazer com que o petróleo seja eliminado mais rapidamente do que se espera. Por outro lado, embora não gere substâncias tóxicas, a intensa atividade microbiana no local pode levar à formação das chamadas Zonas Mortas, nas quais a maior parte dos seres vivos não sobrevive.

a) Explique como os dispersantes aumentam a eficiência bacteriana na degradação do petróleo.
b) Explique de que modo a grande proliferação bacteriana pode levar à formação de Zonas Mortas.

Gab:

a) O dispersante aumenta a superfície relativa do petróleo facilitando o acesso de grande número de bactérias a sua fonte de alimentação, acelerando a degradação.
b) Com alimento abundante bactérias crescem exponencialmente, formando grandes populações cujo metabolismo requer grande quantidade de oxigênio. Esse oxigênio será retirado da água gerando grandes áreas anóxicas ou Zonas Mortas.

Dica 4: Revise também a poluição sonora, térmica e radioativa! Tem curiosidades sobre Chernobyl e Fukushima!

Juliana Biologia Enem
Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Juliana Santos para o Blog do Enem. Juliana é formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007. Facebook: https://www.facebook.com/juliana.evelyndossantos.