Cuidado com as marcas da Oralidade no texto da redação

Falamos língua portuguesa. Eu falo e o outro entende, ótimo. Mas, na Redação do Enem ou do Encceja, “o buraco é mais embaixo”. Não vale a Oralidade, e sim a norma culta.

Aproveite esta aula do professor Wilson Rochenbach para você compreender como criar o texto dissertativo observando da Redação do Enem respeitando as normas da língua culta, e não perder pontos pelo uso incorreto da Oralidade.

A norma da Língua Culta é o padrão exigido pelo MEC. Você vai ver que há alguns detalhes importantes sobre a língua escrita, principalmente, no que se refere à redação para serem observados.

Oralidade x Redação

Nós falamos a língua portuguesa, quanto a isso não existe problema, porém há uma diversidade de falares diferentes que variam de acordo com uma série de fatores. Seguem abaixo alguns desses fatores da Oralidade que interferem no nosso falar.

Fatores regionais – expressões usadas por falantes de uma região; às vezes, há variações dentro de um mesmo estado. as marcas da Oralidade na Redação do EnemFatores culturais – O grau de escolarização e, até, a formação cultural, seu conhecimento de mundo, chamado também de conhecimento enciclopédico.

Fatores contextuais – Para cada situação, uma forma de falar diferente. Se estamos no bar com amigos, usamos um tipo de linguagem diferente daquele que usamos quando precisamos atender um cliente no trabalho.

Fatores naturais – Para cada idade e sexo existe um tipo de linguagem diferente. É omo se a Oralidade variasse ao longo do tempo, com o jeito de falar.linguagem: as marcas da Oralidade Adolescentes usam muitas gírias; mulheres são mais cuidadosas com a linguagem; idosos usam palavras que muitos desconhecem.

Cuidado com as gírias na redação

Veja agora com a professora Daniela Garcia, especialista em redação no Canal do Curso Enem Gratuito, as dicas essenciais sobre a linguagem que vale pontos e a linguagem que derruba a nota dos participantes na Redação do Enem:

As dicas da professora Daniela:

  1. O seu texto dissertativo-argumentativo deve ser escrito de forma impessoal. Isso tudo será avaliado dentro da Competência nº 1 da redação do Enem.
  2. O que significa “forma impessoal”? Significa evitar o uso de construções verbais que utilizem a primeira pessoa do singular ou plural, como “Eu acredito que tais medidas resultarão em uma mudança de comportamento” ou “Nós podemos fazer a diferença praticando o consumo consciente”.
  3. Além disso, fique sabendo que não é permitido escrever gírias fora de contexto na prova ou formar frases como as que a gente costuma formar ao conversar com os amigos, de maneira bem coloquial.
  4. É importante seguir a norma padrão da língua portuguesa.
  5. Porém, isso não significa utilizar palavras difíceis ou excesso de formalidade no seu texto! Veja todas as dicas no vídeo acima.

 

Os Fatores que influenciam na Oralidade

Os fatores Regionais, Culturais, Contextuais e Naturais frequentemente influenciam a sua produção textual. Da redação, eles devem estar distantes. As marcas da oralidade, ou seja, escrever como se fala não pode fazer parte da sua redação; não use a linguagem cotidiana, chamada de coloquial, ela faz parte da linguagem oral.

Resumo Gratuito: Oralidade x Linguagem Formal

Confira com a professora Kel, no canal Curso Enem Gratuito, como você pode evitar de cair nas armadilhas da linguagem oral quando for escrever sua Redação :

Muito boas estas dicas da professora Kel.

Dica 1 – Veja 10 dicas sobre o que NÃO fazer numa redação. Evite perder pontos na redação: https://blogdoenem.com.br/redacao-10-dicas-voce-nao-redacao/

Não se esqueça de que em um texto dissertativo-argumentativo é um gênero específico, você não pode escrever como se estivesse conversando com o leitor. Portanto, não use você, verbos no imperativo, .

Leia e Releia seu texto, e observe se a linguagem usada não parece com a que você usa quando está em um bar com seus amigos. Só vale usar trechos assim se estiverem num contexto determinado, mas não como o padrão de escrita em toda a redação.

Sua redação deve seguir a norma culta, o que importa é o que a “tia Norminha” determina: a escrita deve ser mais rígida, disciplinada, deve primar pela correção gramatical, é como se você estivesse discursando em uma formatura.

No momento da produção do seu texto, a “tia Norminha” é a sua fiel companheira.  Se você utilizar expressões ou construções típicas da oralidade é preciso especificar o contexto como um exemplo ou citação, para não perder pontos.

Veja a exigência do MEC para a Norma Culta

Confira com a professora Daniela Garcia as dicas do estilo de linguagem para a Redação do Enem

Muito boas estas dicas da professora Daniela Garcia.

Cuidado com as marcas da oralidade na Redação

Dica final – Veja os 7 passos fundamentais para você estruturar bem a sua dissertação. Eles formam um conjunto em direção a uma Redação nota dez! https://blogdoenem.com.br/redacao-texto-organizada/

Valeu! E até o próximo! 

Wilson Redação
Este post sobre as marcas da Oralidade na Redação foi elaborado pelo professor Wilson Rochenbach Nunes para o Blog do Enem. Wilson é formado em Letras pela Unilassale Canoas – RS e Mestre em Linguística Aplicada pela PUCRS. Dá aulas de Português para concursos em cursos da Grande Florianópolis e Grande Porto Alegre desde 2002.
As marcas da Oralidade na Redação