Aristóteles e a teoria do Ato e Potência – Filosofia Enem e Vestibular

O que é tornar-se algo? Reformulando esta questão, poderíamos perguntar assim: o que é mudança? Aristóteles respondeu a esta pergunta com a teoria do ato e potencia. Vamos revisar? Fique com a gente aqui no Blog do ENEM.

O problema da permanência e da mudança vem desde os filósofos pré-socráticos. Veja como os pensadores da antiga Grécia trataram esta questão, e as proposições de Aristóteles e Platão.

Para Parmênides o movimento era apenas uma ilusão dos nossos sentidos, pois se houvesse as coisas deixariam de serem elas mesmas, tudo é eterno. Já para Heráclito tudo está em constante movimento, pois as coisas mudam e nada dura para sempre. Platão e o mundo das ideiasJá Platão tentou conciliar a teoria destes dois filósofos com a teoria do mundo dos sentidos e do mundo das ideias. No mundo dos sentidos tudo está em constante mudança e não é esterno, este é o mundo que habitamos. Já no mundo das ideias nada muda e tudo que existe é eterno, são as ideias das coisas e por isso, o mundo dos sentidos é abstrato. Veja aula de revisão sobre Platão e o mundo das ideias.

Aristóteles também retoma este problema, já que para ele o mundo das ideias de Platão é uma cópia daquilo que os nossos sentidos fornecerem. Isto é, todo conceito, ou ideia que temos das coisas, primeiro passou pelos nossos sentidos, por exemplo, só formamos a ideia cadeira após termos o contato com vários tipos de cadeiras. Veja uma síntese da Filosofia de Aristóteles.A Filosofia de Aristóteles

Aristóteles tentou questionar a realidade em si, procurou analisar a realidade que não muda, entende que o movimento existe e que está dentro da própria coisa, mudando sua forma, mas não sua matéria.  Vejamos melhor.

Ato é potência

  • O Ato – a manifestação atual do ser, aquilo que ele já é (por exemplo: a semente é, em ato, uma semente)
  • A Potência – as possibilidades do ser (capacidade de ser), aquilo que ainda não é mas que pode vir a ser (por exemplo: a semente é, em potencia, a árvore).

 

Veja a figura:Aristóteles e a teoria do ato e potênciaA semente em ato, ou seja, aquilo que já é, é uma semente. Mas em potência, isto é, ela se colocada numa terra boa e ter todas as condições suficientes para se desenvolver, pode tornar-se uma árvore.

A árvore em ato continua uma árvore, mas ela pode tornar-se com ajuda de fatores externo, do homem, por exemplo, um lápis, uma mesa, uma casa, ou ainda pode dar flores e frutos. A forma ou o formato mudou, mas a matéria não mudou.

Aula Gratuita sobre Aristóteles:

Ainda está com dúvida? Então veja este vídeo  com uma super aula do Professora Alan, do Curso Enem Gratuito, e compreenda um pouco mais da essência de Aristóteles. Você vai ficar fera nesse assunto!

Matéria e Forma no pensamento de Aristóteles

Aristóteles afirma que a realidade é constituída por diversas coisas particulares que apresentam uma unidade de “forma” e “matéria”. A “matéria” é aquilo a partir do qual a coisa é feita, enquanto a “forma” caracteriza as qualidades particulares das coisas.

  • Matéria (hylé, em grego): o princípio indeterminado dos seres, mas que determinável pela forma.
  • Forma (Morphé, em grego): o princípio determinado em si próprio, mas que é determinado em relação à matéria.

Essa teoria de matéria e forma ficou conhecida como Hilemorfismo, ou seja, hile matéria e morfismo forma.

Novo exemplo:

Vamos exemplificar para você entender melhor… Um brinco de ouro tem a forma de cruz, ele pode ser derretido e ser constituído num anel com um brilhante em cima. Notamos, portanto, que a forma mudou, de brinca para anel, mas a matéria é a mesma, o outro.

Resumindo: Para Aristóteles todas as coisas são formas e matéria, podendo mudar de forma e permanecer na mesma matéria. Desta forma, o movimento constitui-se em ato e potência, isto é, aquilo que as coisas são, e a potência é a possibilidade que elas podem vir a ser.

Dica 1: Quer estudar um pouco mais sobre o mundo dos sentidos e o mundo das ideias de Platão? Acesse esse link e fique por dentro deste conteúdo.

Dica 2 de Filosofia: Fique por dentro do discussão sobre o movimento. Saiba tudo sobre os filósofos pré-socráticos e estude Parmênides e Heráclito. Veja:Os filósofos Pré-Socráticos

Agora chegou a sua vez. Vamos ver se entendeu este conteúdo? Resolva essas questões de vestibulares sobre este assunto:

(UEM-2008) Elaborando a teoria das quatro causas e a distinção entre ato e potência, Aristóteles busca explicar a realidade do devir e da mudança a que estão submetidas às coisas causadas. Assinale o que for correto.

01) Para Aristóteles, a mudança implica uma passagem da potência ao ato; o ato é o estado de plena realização de uma coisa; a potência, a capacidade que algo tem para assumir uma determinação.
02) Segundo Aristóteles, tudo que acontece tem suas causas, essas são a explicação ou o porque de certa coisa ser o que é.
04) Causa material, causa formal, causa eficiente e causa final são os quatro sentidos que Aristóteles distingue no termo causa
08) Segundo Aristóteles, a causa material e a causa formal de uma coisa são, respectivamente, aquilo de que a coisa é feita e aquilo que ela essencialmente é.
16) Segundo Aristóteles, a causa eficiente e a causa final de uma coisa são, respectivamente, o agente que atua sobre essa coisa e o fim que ela se destina.

Soma:________

Resposta: 01+02+04+08+16= 31

 

(Ufu 2012)Em primeiro lugar, é claro que, com a expressão “ser segundo a potência e o ato”, indicam-se dois modos de ser muito diferentes e, em certo sentido, opostos. Aristóteles, de fato, chama o ser da potência até mesmo de não-ser, no sentido de que, com relação ao ser-em-ato, o ser-em-potência é não-ser-em-ato.

REALE, Giovanni. História da Filosofia Antiga. Vol. II. Trad. de Henrique Cláudio de Lima Vaz e Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 1994, p. 349.

A partir da leitura do trecho acima e em conformidade com a Teoria do Ato e Potência de Aristóteles, assinale a alternativa correta.

a) Para Aristóteles, ser-em-ato é o ser em sua capacidade de se transformar em algo diferente dele mesmo, como, por exemplo, o mármore (ser-em-ato) em relação à estátua (ser-em-potência).
b) Segundo Aristóteles, a teoria do ato e potência explica o movimento percebido no mundo sensível. Tudo o que possui matéria possui potencialidade (capacidade de assumir ou receber uma forma diferente de si), que tende a se atualizar (assumindo ou recebendo aquela forma).
c) Para Aristóteles, a bem da verdade, existe apenas o ser-em-ato. Isto ocorre porque o movimento verificado no mundo material é apenas ilusório, e o que existe é sempre imutável e imóvel.
d) Segundo Aristóteles, o ato é próprio do mundo sensível (das coisas materiais) e a potência se encontra tão-somente no mundo inteligível, apreendido apenas com o intelecto.

Resposta: b

(UFU – 2008) Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C), apesar de ter sido discípulo de Platão, criou sua própria filosofia. Uma das diferenças marcantes entre os dois é a importância dada aos fenômenos naturais do chamado mundo sensível. No mundo sensível, a mudança é constante, característica que Aristóteles procura explicar a partir das concepções de matéria, forma, potência e ato.

Com base nos seus conhecimentos e no texto acima, assinale a alternativa que define corretamente a concepção aristotélica de ato e potência.

A) A potência e o ato são conceitos que não se referem, de fato, às coisas materiais sujeitas àtransformação.
B) A potência é o momento presente, atual da matéria; ato é o que ela poderá vir a fazer.
C) A potência e o ato não se relacionam com a matéria.
D) A potência é o que a matéria virá a ser, seu devir, o princípio do movimento; ato é aquilo que elaé no presente.

Resposta: D

Gilson Luiz Corrêa
Gilson Luiz Corrêa, bacharel em Filosofia pela UNISUL, Licenciatura em Filosofia pela UFSC, Psicopegadogia pela FMP. Professor do Colégio Catarinense. Facebook:
https://www.facebook.com/gilsonluiz.correa